Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Educação profissional

Feira de ciências e pesquisas conecta estudantes e empresas

  • Sexta-feira, 07 de outubro de 2016, 13h02

A estudante Meire Aparecida da Silva é uma das responsáveis pela receita de sorvete de pequi feita a partir da redução de leite (Foto: Isabelle Araújo/MEC)Entender as fases de desenvolvimento de projetos, assistir a demonstrações práticas e conhecer alguns protótipos dos inventos foram oportunidades oferecidas pelo evento Conecta IF. Promovida pelo Ministério da Educação e organizada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB), a exposição, aberta na segunda-feira, 3, já divulgou 371 pesquisas, de 25 unidades da Federação. O evento será encerrado nesta sexta-feira, 7.

“Chamamos de Conecta porque estamos conectando as diversas áreas do saber e da vida”, explicou o reitor do IFB, Wilson Conciani. “O Conecta traz o estudante em contato com a empresa, e a empresa com o estudante. Traz também o estudante em contato com outro estudante: aí, ele começa a enxergar outro mundo.”

De acordo com Conciani, o ponto mais importante da iniciativa é mostrar aos alunos de instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, o mundo integrado em que vivemos. “Aqui, os alunos estão enxergando que seus produtos têm espaço de mercado”, disse o reitor. “Agora, ele sentem que podem abrir empresas para vender algum produto, que podem vender sua fórmula porque isso é uma patente.”

A estudante Meire Aparecida da Silva, do curso técnico em cozinha do campus do Riacho Fundo, é uma das responsáveis pela receita de sorvete de pequi feita a partir da redução de leite. “Não pretendemos acabar com o uso do leite, mas diminuir a quantidade para aquelas pessoas que têm alguma restrição ao seu consumo, além de melhorar o produto”, afirmou.

Outra pesquisa de sucesso é o SOS Kit, aplicativo que monitora os batimentos cardíacos em tempo real. De acordo com a estudante Camila Ribeiro Rodrigues, do curso de ciência da computação, campus de Taguatinga, quando os batimentos estão fora da área de normalidade, é identificada uma situação emergencial. Ao se perguntar ao paciente se ele está bem, ele deve responder em dez segundos. Caso contrário, uma mensagem será enviada aos principais contatos do usuário do aplicativo com pedido de ajuda. Além da mensagem, o aplicativo envia a localização.

“Minha motivação, realmente, é salvar vidas. Quero usar toda a tecnologia disponível para ampliar o uso do aplicativo e atingir o maior número de pessoas possível”, disse a estudante.

Gastronomia — Também faz parte da programação da Conecta IF a competição gastronômica IF Chef. Na atividade, estudantes dos cursos técnicos em cozinha, panificação e alimentos prepararam pratos com ingredientes típicos do cerrado. Participam cinco equipes, formadas por quatro alunos cada uma, além de um coordenador. A competição faz parte do projeto IF Olímpico, no qual estudantes dos institutos federais competem em várias modalidades.

Na opinião da professora Daniela Leite, que leciona nos cursos de gastronomia e cozinha brasileira, no campus do Riacho Fundo, a oportunidade estimula os alunos a entrar em contato com a realidade da profissão. “Uma coisa é a sala de aula; outra é ir a um evento, pensar em um cardápio, se organizar, se preocupar com transporte, higiene e segurança do alimento”, explicou.

A professa destacou ainda que pesquisar receitas sobre produtos e gastronomia do cerrado enriqueceu muito o conhecimento dos estudantes. “Eles passaram a enxergar a quantidade de ingredientes que temos no nosso bioma e que, para a gastronomia, isso é fantástico”, disse. “Além do desenvolvimento local, vamos ter produtos mais saborosos, acessíveis, e será possível fomentar o comércio local, e eles compreenderam isso.”

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página