Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Inep já registra mais de 11 mil cursos enquadrados no exame

     

    Às vésperas de encerrar o período de enquadramento dos cursos e a inscrição dos estudantes habilitados ao Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2018, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) registrou mais de 11 mil cursos enquadrados até esta quarta-feira, 8 de agosto. A expectativa do Inep é de que o enquadramento chegue a 11.500 cursos até domingo, 12, quando termina o prazo das instituições de educação superior. Deste total, estima-se que 9 mil cursos terão estudantes concluintes inscritos por seus respectivos coordenadores e avaliados pelo Enade.

    O enquadramento de curso é o processo pelo qual uma instituição vincula seus cursos às respectivas áreas de avaliação do Enade, correlacionadas ao projeto pedagógico dos cursos, com base nas Diretrizes de Prova publicadas no Portal do Inep. O enquadramento e a inscrição dos estudantes devem ser feitos, respectivamente, pelos procuradores educacionais institucionais e pelos coordenadores de cursos, no Sistema Enade. Entre 13 e 31 de agosto eles terão oportunidade de fazer retificações nos processos.

    Este ano, o Enade vai avaliar os estudantes dos cursos que conferem diploma de bacharel em 14 áreas, além de 13 áreas que conferem diploma de tecnólogo. Administração, direito e ciências contábeis têm o maior número de cursos enquadrados até o momento.

    Devem ser inscritos no Enade 2018 todos os estudantes ingressantes e concluintes habilitados de cursos de bacharelado e superiores de tecnologia vinculados às áreas de avaliação previstas no Edital Inep nº 40/2018. O estudante habilitado deverá ser inscrito independentemente de haver registro de participação em edições anteriores. Os estudantes ingressantes habilitados, inscritos pelas instituições, ficarão dispensados da participação no Enade e terão sua situação de regularidade atribuída pelo Inep ao final do período de inscrições. Os estudantes concluintes devem preencher o Questionário do Estudante e realizar a prova do Enade 2018, que será aplicada em 25 de novembro.

    Uma novidade do Enade 2018 é que não há mais inscrição pelo coordenador de curso dos estudantes irregulares de anos anteriores. Estudantes irregulares perante o Enade, por ausência na prova ou ausência de preenchimento do Questionário do Estudante, terão sua situação regularizada, por ato do Inep, a ser regulamentado em normativa específica, com início previsto em 3/9/2018. Já os estudantes irregulares por ausência de inscrição, em decorrência de omissão da instituição, terão sua situação regularizada por declaração de responsabilidade da instituição, a partir de 3/9/2018.

    Avaliados – Em 2018, o Enade vai avaliar os estudantes dos cursos que conferem diploma de bacharel nas áreas de: administração, administração pública, ciências contábeis, ciências econômicas, comunicação social – jornalismo, comunicação social – publicidade e propaganda, design, direito, psicologia, relações internacionais, secretariado executivo, serviço social, teologia e turismo. Também serão avaliados os cursos que conferem diploma de tecnólogo nas áreas de: tecnologia em comércio exterior, tecnologia em design de interiores, tecnologia em design de moda, tecnologia em design gráfico, tecnologia em gastronomia, tecnologia em gestão comercial, tecnologia em gestão da qualidade, tecnologia em gestão de recursos humanos, tecnologia em gestão financeira, tecnologia em gestão pública, tecnologia em logística, tecnologia em marketing e tecnologia em processos gerenciais.

    Enade – O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e é composto por dois instrumentos obrigatórios: uma prova para avaliação de desempenho dos estudantes e um Questionário do Estudante. De acordo com a legislação, devem ser inscritos no exame os estudantes ingressantes e concluintes dos cursos de graduação avaliados na edição. No histórico escolar do estudante ficará registrada a situação de regularidade em relação ao Enade.

    Confira as Diretrizes de Prova do Enade

    Acesse o Sistema Enade

    Conheça o Edital Inep nº 40/2018

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Portões fechados para primeiro dia de provas

    Os portões de acesso aos locais de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 foram fechados às 13h (horário de Brasília). Antes de entrar na sala de aplicação, o participante deve guardar telefone celular e outros equipamentos eletrônicos desligados dentro do envelope porta-objetos. O envelope deve ser lacrado e identificado pelo participante e mantido embaixo da carteira durante a realização das provas, sob pena de eliminação.

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, não se responsabiliza por guarda, perda, extravio ou dano, durante a realização das provas, dos objetos levados pelos participantes, já que orienta o porte apenas do documento de identificação oficial com foto e da caneta estereográfica de tinta preta feita em material transparente. Entre as 13h e as 13h30, os chefes de sala e aplicadores realizam os procedimentos de verificação de segurança e só é permitido ir ao banheiro com o acompanhamento de um fiscal.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

     

  • Abertas inscrições do Enem para pessoas privadas de liberdade

    As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL) foram abertas nesta segunda-feira, 9, e podem ser feitas até 20 de outubro. O registro dos candidatos deve ser realizado pelo responsável pedagógico de cada unidade prisional ou socioeducativa.

    Para que estejam aptos a inscrever os participantes, os órgãos de administração prisional e socioeducativa devem firmar um termo de compromisso junto ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até esta sexta-feira, 13. As unidades indicadas por estes órgãos também devem assinar o documento de adesão no mesmo prazo.

    Cada unidade prisional ou socioeducativa apontada terá um responsável pedagógico com acesso ao sistema de inscrição e suas funcionalidades. O profissional terá a função de realizar e acompanhar as inscrições; determinar a sala de provas dos candidatos; transferir participantes entre as unidades, quando necessário, dentro do prazo previsto; e excluir participantes que tiverem sua liberdade decretada.

    O responsável pedagógico também acessará os resultados obtidos pelos candidatos, pleiteará sua participação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e em outros programas de acesso à educação superior, se for o caso. Além disso, deverá divulgar as informações sobre o exame aos participantes.

    Os candidatos do Enem PPL com idade a partir de 18 anos poderão utilizar o desempenho no exame como mecanismo único, alternativo ou complementar para acesso à educação superior. Já os participantes menores de 18 anos, considerados treineiros – que fazem as provas para conhecer o processo –, só poderão utilizar os resultados individuais no exame para autoavaliação de conhecimentos.

    A adesão ao Enem PPL bem como a inscrição podem ser feitas no portal do Inep.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

     

  • Aplicativo do Enade proporciona mais facilidades aos candidatos

    Os participantes do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) agora contam com um aplicativo para resolver várias situações relacionadas ao exame. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) lançou o App Enade na terça-feira, 14, que já está disponível nas plataformas Google Play e Apple Store. Com a nova tecnologia, todas as etapas de responsabilidade do participante podem ser feitas por meio de smartphones e tablets.

    No aplicativo, é possível consultar, de maneira rápida e fácil, o cronograma completo do exame, um mural de avisos constantemente atualizado pelo Inep com as principais informações, além de uma seção de perguntas frequentes. Pelo app será possível preencher o cadastro, solicitar atendimento especializado, específico ou por nome social, se necessário. O questionário do estudante também poderá ser preenchido pela nova ferramenta, dando acesso à consulta ao local de provas, quando essa informação estiver disponível.

    Cadastro – Também na terça-feira, 14, o Inep abriu o período de cadastro dos estudantes concluintes habilitados ao Enade 2018, que deve ser feito até 21 de novembro, às 23h59 (horário de Brasília), pelo Sistema Enade ou pelo aplicativo. Só podem se cadastrar os estudantes que foram previamente inscritos pelos coordenadores de curso. Para realizar o cadastro, é necessário selecionar a opção Primeiro Acesso para criar login e senha. 

    Foi aberto ainda o período para solicitação de atendimento específico e especializado. As duas etapas são responsabilidade do estudante e foram introduzidas na edição passada do exame. Este ano, serão avaliados estudantes dos cursos que conferem diploma de bacharel em 14 áreas, além de 13 áreas que conferem diploma de tecnólogo. O estudante habilitado que não identificar sua inscrição no Sistema Enade deverá solicitar esclarecimentos e providências diretamente com o coordenador de curso, que terá até 31 de agosto para retificar as inscrições. Também é responsabilidade do estudante verificar se o cadastro foi concluído com sucesso, para garantir que possa responder ao questionário do estudante e participar da prova em 25 de novembro.

    Enade – O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e é composto por dois instrumentos obrigatórios: uma prova para avaliação de desempenho dos estudantes e um questionário do estudante. De acordo com a legislação, devem ser inscritos no exame os estudantes ingressantes e concluintes dos cursos de graduação avaliados na edição. No histórico escolar do estudante ficará registrada a situação de regularidade em relação ao Enade.

    Baixe o App Enade nas plataformas Google Play e Apple Store.

    Acesse o Sistema Enade 

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Atendimento por nome social deve ser solicitado até o dia 18

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) abriu nesta segunda-feira, 14, o período de solicitação de atendimento por nome social no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2017. Participantes transexuais e travestis – pessoas que se identificam e querem ser reconhecidas socialmente em consonância com sua identidade de gênero – têm até a próxima sexta-feira, 18, para fazer a solicitação e anexar os documentos necessários.

    Para fazer a solicitação, o candidato deverá acessar o campo fale conosco do portal do Inep e comprovar, por meio de documentos, as condições que motivam a solicitação de atendimento pelo nome social. Deverão ser apresentados: fotografia atual, individual, colorida, com fundo branco, da cabeça e do tronco, sendo que a cabeça deverá estar descoberta; cópia digitalizada da frente e do verso de um dos documentos de identificação oficial com foto; cópia assinada e digitalizada do formulário de solicitação de atendimento pelo nome social.

    Os documentos comprobatórios deverão conter todas as informações solicitadas, ser legíveis e estar no formato PDF, no tamanho máximo de 2MB. Não serão considerados válidos documentos apresentados via postal, fax, correio eletrônico ou entregues no dia de aplicação das provas. Em caso de indeferimento do pedido, o participante será informado, pelo e-mail inserido na inscrição, para que possa enviar um novo documento comprobatório. Se mesmo assim o documento enviado não estiver conforme o solicitado, o participante fará o exame sendo tratado pelo nome civil.

    Provas – O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil. O exame é feito tanto por estrangeiros formados em medicina fora do Brasil, quanto por brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal.

    A primeira etapa do exame será aplicada em 24 de setembro. É uma avaliação escrita, composta de uma prova objetiva com 100 questões de múltipla escolha e uma prova discursiva, com cinco questões. Os participantes têm cinco horas para resolver a parte objetiva, pela manhã (das 8h às 13h), e três horas para realizar a discursiva, no período da tarde (das 15h às 18h). Os participantes aprovados deverão confirmar a inscrição para a segunda fase entre 6 e 9 de novembro.

    A segunda etapa, que ocorrerá em 10 e 11 de março de 2018, é uma avaliação de habilidades clínicas. O candidato precisa executar atividades para uma banca examinar suas habilidades referentes ao exercício da função médica. Para isso, percorre dez estações resolvendo tarefas como a investigação de história clínica, a interpretação de exames complementares, a formulação de hipóteses diagnósticas, a demonstração de procedimentos médicos, e o aconselhamento a pacientes ou familiares. A prova prática será aplicada em dois turnos: das 9h às 13h e das 14h30 às 19h (horário de Brasília). A taxa de inscrição é de R$ 450.

    Acesse o sistema de inscrição do Revalida.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Aumenta número de inscritos em exame para certificar adultos

    O número de inscritos do Exame Nacional de Certificação de Competências (Encceja) de 2014, aplicado no exterior, cresceu 45,9% em relação à última edição. Neste ano, 2.268 pessoas se candidataram ao exame em outros países. Em 2013, foram 1.554 inscrições.

    No Encceja aplicado no Brasil, o número de interessados aumentou 7,5%. Em 2013, foram registradas 104.663 inscrições e, neste ano, foram 112.557.

    Organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Encceja é voltado a jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada.

    Os resultados garantem a certificação de conclusão do ensino fundamental para quem vive no Brasil e dos ensinos fundamental e médio para aqueles que moram no exterior. No Brasil, a certificação para o ensino médio é realizada por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

    No ensino fundamental, o interessado precisa ter no mínimo 15 anos completos na data de realização das provas. Para quem pretende o certificado do ensino médio, a idade mínima é de 18 anos na data do exame.

    As inscrições para o Encceja terminaram na última segunda-feira, 31.

    As provas do Encceja Nacional serão realizadas em 1º de junho, em todos os estados. No Japão, as provas do ensino fundamental serão realizadas em 31 de maio. Para o ensino médio, as provas serão realizadas em 1º de junho. Em Portugal, Guiana Francesa, Bélgica e Estados Unidos, os exames para o ensino fundamental serão aplicados em 7 de junho. Para o ensino médio, as provas serão aplicadas em 8 de junho.

    Eduardo Aiache


  • Celpe-Bras

    O Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) é conferido aos estrangeiros com desempenho satisfatório em teste padronizado de português, desenvolvido pelo Ministério da Educação.

    O exame é aplicado no Brasil e em outros países com o apoio do Ministério das Relações Exteriores.
    Internacionalmente, o Celpe-Bras é aceito em firmas e instituições de ensino como comprovação de competência na língua portuguesa e, no Brasil, é exigido pelas universidades para ingresso em cursos de graduação e em programas de pós-graduação.

    Outorgado pelo MEC, o Celpe-Bras é o único certificado brasileiro de proficiência em português como língua estrangeira reconhecido oficialmente. É conferido em quatro níveis: intermediário, intermediário superior, avançado e avançado superior. O primeiro teste foi aplicado em 1998.

    Para mais informações sobre o Celpe-Bras, acesse a página do Inep

    Portaria nº 1.350, de 25 de novembro de 2010 - Dispõe sobre o Exame para Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros - Celpe-Bras.

    Mais Informações
    Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)
    Portal do Inep Página do Celpe-Bras Autoatendimento
    0800 616161

  • Confira dez dicas para ter um bom rendimento na prova


    Uma das recomendações é que os candidatos procurem chegar pelo menos uma hora antes de os portões abrirem (Foto: Mariana Leal/MEC)
    Com a proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, marcado para 5 e 12 de novembro, os estudantes precisam ficar atentos a alguns procedimentos fundamentais que ajudam na resolução das provas e na administração do tempo disponível.

    Professora de língua portuguesa, literatura e redação há mais de 20 anos, Deliane Leite Teixeira lembra que, para o candidato ser bem-sucedido na prova do Enem, deve tirar uma boa nota na prova de redação e de conhecimentos gerais. “Além de estudar e ler bastante, é importante que o candidato tenha controle do tempo de prova, não fique distraído e sem ritmo na hora de responder às questões”, orienta.

    Deliane, que leciona no Centro de Ensino Médio Setor Leste, em Brasília, selecionou dez dicas importantes para assegurar bom rendimento. Confira, abaixo, o roteiro elaborado pela professora.

    1 – Com a proximidade da prova, reserve boas noites de sono. Consuma bastante água e frutas, dando preferência a uma alimentação um pouco mais balanceada e saudável do ponto de vista calórico.
    2 - Compareça ao local do exame uma hora antes do início da prova. Para tanto, acorde duas horas mais cedo que o habitual e planeje o trajeto a partir de sua casa com mais tranquilidade.
    3 – Esteja atento à interpretação de texto. A leitura ajuda a incentivar o raciocínio da mente, e as respostas das questões, na maioria das vezes, estão dentro desses textos.
    4 - Resolva primeiramente as questões dos assuntos com os quais você tem mais facilidade de lidar e são o seu forte.
    5 – Redação é treino. Com a proximidade da prova, faça pequenos textos de dez linhas. Pegue temas como ética, violência, corrupção, etc. Depois, passe para a estrutura da dissertação, reunindo temas das edições anteriores do Enem e lembrando que o parágrafo de conclusão deve ser sempre uma proposta de resolução do tema em relação à sociedade.
    6 – Pense na questão do tempo de resolução da prova, aproximadamente três minutos por questão. É importante pegar edições anteriores do Enem e treinar em casa, como se você estivesse ali. Desligue o celular, o computador e demais aparelhos eletrônicos que possam distrair sua atenção.
    7 - Após responder todas as questões, revise uma por uma. Só então, preencha o cartão de respostas. E concentre-se.
    8 – Esteja atento ao planejamento nas semanas que antecedem a prova. Não estude em cima da hora. Um dia antes do exame, não releia demais o que você já estudou. Você precisa estar descansado. O ideal é fazer uma breve revisão do conteúdo até dois dias antes.
    9 – Em relação ao segundo dia de provas, de exatas, procure fazer cálculos curtos e também não deixe de revisar os assuntos. Isso vai lhe trazer mais segurança na hora da prova.
    10 – A preparação dos estudos é importante. Mesmo para quem não estudou ou estudou pouco, é importante sanar as dúvidas que restaram. Aqui, resolver simulados e edições anteriores do Enem pode ajudar. Faça, sem se preocupar com o tempo.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Conselho divulga nota sobre as ocorrências do exame

    O Conselho Nacional de Educação (CNE) se posicionou de forma favorável a soluções adequadas dos problemas pontuais ocorridos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado nos últimos dias 6 e 7. Em nota divulgada nesta quinta-feira, 11, o colegiado destacou a importância do exame como instrumento de acesso à educação superior. Além disso, ressaltou as condições de comparação entre as provas, quando aplicadas em tempos e lugares diferentes.

    Veja a íntegra da nota:

    “O Conselho Nacional de Educação vem a público manifestar sua atenção aos problemas ocorridos na aplicação de provas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem 2010) e confiança na possibilidade de sua superação, por conjugação de esforços, em razão dos elevados interesses dos examinandos e da educação brasileira.

    Considera que o Enem é um instrumento de grande potencial para a melhoria da qualidade da educação básica e também para a ampliação das oportunidades de acesso à educação superior, objetivos primordiais da nação neste momento histórico.

    Destaca a importância dos processos avaliativos de massa para a constituição de padrões nacionais e mundiais de qualidade no ensino; e que avanços científico-tecnológicos já permitem a realização desses exames em condições de comparabilidade quando aplicados em distintos tempos e lugares.

    A ocorrência de falhas na aplicação do Enem, como em outras provas de avaliação e seleção, devem ser tomadas como desafios técnicos e administrativos para o conjunto dos agentes públicos e privados responsáveis por sua identificação, correção e prevenção. A construção da capacidade nacional em avaliação da educação é tarefa complexa, que vem progredindo de forma admirável. Não pode ser adiada nem limitada diante de falhas humanas ou desastres naturais pontuais.

    Pelo exposto, este Conselho reafirma sua convicção de que o Ministério da Educação e o Inep poderão oferecer providências adequadas à conclusão do processo de aplicação do Enem 2010, respeitando o direito de todos os candidatos e contribuindo para que todas as potencialidades do exame venham a se concretizar.”

    Assessoria de Comunicação Social
  • Consulta pública aos locais de prova do Enade está disponível

    Os participantes do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2017 que ainda não sabem onde farão suas provas neste domingo, 26, poderão consultar os locais sem acessar o ambiente restrito do estudante. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) liberou a consulta pública aos locais de prova, como tem feito nas últimas edições do exame. Basta acessar o Sistema Enade e fornecer CPF, data de nascimento, primeiro nome da mãe e selecionar a opção de instituição de educação superior e curso do qual é concluinte.

    Segue obrigatório o preenchimento do questionário do estudante, até dia 26, para obtenção da situação de regularidade junto ao Enade, além da realização da prova. Os estudantes que ainda não têm acesso ao documento precisam entrar no ambiente restrito do Sistema Enade, seguindo atentamente os procedimentos para primeiro acesso, alteração da senha temporária ou recuperação de senha. Cerca de 12 mil participantes que se cadastraram no Enade ainda estão com senha provisória por terem esquecido ou fornecido senhas erradas.

    Se o e-mail informado no primeiro acesso estiver errado, não será possível acessar o questionário. Nesse caso, é preciso entrar em Autoatendimento para registrar a solicitação de alteração de e-mail. Em seguida, deve selecionar Inep, avaliação da educação superior, Enade, atendimento ao estudante, problemas de acesso e problemas com senha. O participante precisa apresentar a solicitação de alteração de e-mail, informando corretamente o novo endereço a ser incluído no cadastro.

     Para recuperar senha, o participante deve acessar o Sistema Enade, clicar na opção de autenticação e, em seguida, no link recuperar senha. É preciso preencher corretamente todas as informações solicitadas: CPF do usuário já cadastrado no sistema e e-mail corretamente informado pelo usuário do sistema. Ao clicar no botão confirmar, o Inep encaminhará, automaticamente, uma senha temporária para esse e-mail. Essa senha deve ser usada para acessar o sistema que solicitará outras informações para mudança de senha: login (no caso, o CPF), senha temporária e nova senha, que deve ter de 6 a 20 caracteres e conter letras minúsculas, letras maiúsculas, números (0-9) e símbolos (! @ # $ % & *).

    Acesse o Sistema Enade.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Detentos de todo o país fazem provas nesta terça e na quarta

    Cerca de 12 mil detentos fazem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009 nesta terça-feira, 5, e na quarta-feira, 6, em 336 unidades prisionais de 16 unidades da Federação. Os exames serão realizados às 13h, de Brasília.

    Nesta terça-feira, será aplicada a prova I, de ciências da natureza e suas tecnologias e de ciências humanas e suas tecnologias, até as 17h30; na quarta-feira, a prova II, de linguagens, códigos e suas tecnologias, de matemática e suas tecnologias e a redação, até as 18h30.

    O exame será realizado no Distrito Federal e nos estados do Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo. As inscrições dos detentos foram feitas pela diretoria dos presídios que mantêm programas especiais de ensino médio.

    A aplicação em dias diferentes em relação ao exame regular de dezembro foi decidida com base no sistema logístico de segurança do Enem.

    Haverá provas também em duas cidades do Espírito Santo. No mês passado, os municípios de Brejetuba, com 165 inscritos, e Ibatiba, com 169, tiveram a aplicação do exame suspensa em decorrência das enchentes.

    Assessoria de Imprensa do Inep




  • Dez dicas importantes para controlar a ansiedade na hora de fazer a prova


    Uma das principais orientações é saber relaxar antes do exame, a começar pela prática da respiração lenta e pausada (Arte: ACS/MEC)

    Para muitos candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, mais complicado do que assimilar o conteúdo ao longo dos estudos é controlar a ansiedade na hora da prova. A psicóloga Kátia de Lima elaborou uma lista com dez dicas que ajudam o candidato a controlar a ansiedade na hora de prestar o exame.

    A primeira, lembra ela, é saber respirar. “Ninguém vai apagar da sua mente o que você estudou. Se ficar nervoso achando que vai ‘dar branco’, pare, respire e pense que a sua parte, que era estudar, você fez.” Abaixo, confira a lista dos procedimentos fundamentais que Kátia de Lima enumera para um bom desempenho.

    1 – Respire. A forma correta de respirar é soltar o ar, esvaziar o pulmão e ir puxando, novamente, o ar, lentamente. Faça cinco respirações dessas antes da prova.
    2 – Controle o pensamento. Não se trata de pensar positivo, mas de ser realista. É preciso pensar: “Eu estudei para o Enem, resolvi provas, tive o auxílio de livros, professores, então vou fazer a prova com o que sei”.
    3 – Esqueça o “dar branco”. Se você estudou, nada vai apagar isso da sua mente. O que pode acontecer é o medo ser tão grande que leva o cérebro à luta ou à fuga, deixando o pensamento racional para segundo plano. Se começar esse sentimento, respire, vá ao banheiro e tome água.
    4 – Gerencie o tempo. Fique atento ao relógio a cada meia hora, mas não pensando nisso durante todo o tempo. A rapidez para responder questões vem de uma leitura mais concentrada. É importante, também, treinar antes da prova. Hoje muitos estudam com som ou com TV ligada alegando que se trata de multitarefas – mas não é verdade. Então, na hora do estudo, fique concentrado de fato.
    5 – Não tente praticar adivinhação. Muitos perdem a noite de sono porque querem saber exatamente o que vai cair na prova, qual vai ser o tema da redação etc. Você não pode adivinhar o futuro; faça a sua parte, estude e se prepare.
    6 – Cuide da alimentação, que deve ser balanceada no dia anterior à prova. Leve lanche e água. Esta é uma preocupação produtiva.
    7 – Saia de casa cedo. Chegar ao local da prova com tempo para acalmar a mente é muito importante.
    8 – Preste atenção ao seu perfil. Há pessoas que respondem melhor se no dia anterior à prova relaxarem a mente, forem ao cinema ou ficarem com a família. Outras são tão ansiosas que, se forem aconselhadas a não tocar nos livros na véspera da prova, ficam em pânico. Se você se enquadra no segundo caso, leia apenas pequenos resumos.
    9 – Esqueça a tal revisão nos minutos anteriores ao teste. Quando entrar na sala de aula, nada de ler anotações. Isso joga para o cérebro a informação de que há uma ameaça, fazendo surgir o medo. Da mesma forma, se for conversar com alguém na sala, evite falar sobre a prova, para não despertar o medo ou qualquer sensação de insegurança.
    10 – Seja confiante. Acredite em você e saiba que, se não for possível dessa vez, outras virão. Há alunos que vão para a prova como se fosse a última oportunidade da vida. O Enem é uma grande oportunidade, mas a prova não pode ser vista como uma ameaça.

    Assessoria de Comunicação Social  

  • Dez dicas importantes para fazer uma boa redação


    Dar atenção à redação é fundamental para o candidato ir bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, marcado para 5 e 12 de novembro. O formato da prova é a dissertação-argumentativa, gênero que possibilita ao estudante construir uma tese inicial e defender diferentes pontos de vista ao longo do texto.
    Para tanto, a escritora Dad Squarissi, editora de Opinião do jornal Correio Braziliense, destaca que é preciso muito treino e prática para se alcançar a tão sonhada nota mil no exame. “Escrever é treino e habilidade”, reforça, lembrando que a redação é um dos maiores desafios aos candidatos. “Essa prática acorda as ideias e o vocabulário. Faça isso diariamente e você será um sério candidato a medalha de ouro no Enem. ”
    Pensando em ajudar os estudantes a evitar erros básicos, Dad lista uma série de dicas práticas e essenciais para a realização de uma boa redação. Veja, abaixo, as principais recomendações.

    1 – Treine. Quem quer tirar nota mil na redação do Enem precisa treinar muito. Escreva sobre qualquer assunto, pelo menos, uma página todos os dias.
    2 – Organize o texto com coerência e, principalmente, com começo, meio e fim. Para isso é preciso fazer um plano de redação, que nada mais é do que um guia que orienta a escrita dentro do tema proposto. As partes do texto precisam conversar entre si.
    3 - Se o candidato tem mais facilidade de começar a prova pela redação, faça isso. Mas, se preferir fazer o exame antes, não tem problema. A ordem depende de cada estudante. Mas ler o tema da redação na hora que iniciar a prova é importante, pois os textos dão elementos e argumentos para a redação e isso pode enriquecer a sua dissertação.
    4 – Faça provas e simulados anteriores do Enem. Esse ponto está ligado ao treino, pois, quanto mais se pratica, mais rápido se escreve. Para ganhar tempo na hora de revisar a prova, escrever rápido é um diferencial.
    5 - Use dados estatísticos e informações do texto de apoio para construir a sua redação. Eles são fornecidos justamente para isso. O examinador quer saber se o candidato sabe aproveitar tudo o que lhe é oferecido.
    6 – Esteja atualizado. Em geral, o tema da redação é algo da atualidade. Estar em dia com a leitura é fundamental. É preciso ler jornais, sites e revistas, até para não ser surpreendido por um assunto do qual nunca ouviu falar.
    7 - A alusão histórica e a citação de autores não são obrigatórias, mas podem ser um diferencial para tornar o texto mais interessante e sedutor. Se for adequado ao que se está escrevendo, use esse recurso para atrair a atenção da banca examinadora.
    8 – Esteja atento à linguagem. Tecnicamente, o Enem cobra dos estudantes a norma culta, a língua que respeita a gramática e o dicionário. Não tem nada a ver com palavras difíceis, mas esqueça a língua usada no whatsapp e nas salas de bate-papo.
    9 - A compreensão do tema é fundamental. Não fuja dele na hora de escrever, pois é isso que praticamente elimina o candidato. Isso dá à banca examinadora a impressão de que o texto foi decorado.
    10 – Fuja do gerúndio, pois ele atrapalha a escrita e a clareza das ideias. Ele é ambíguo, torna o texto impreciso, pobre e pune a simplicidade do texto.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Diretora comenta melhorias e reforço na segurança do Exame Nacional do Ensino Médio 2017

    Na reta final para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, aumenta a expectativa dos milhares de candidatos em alcançar uma boa nota e ingressar na universidade. Este ano, o Enem traz algumas mudanças, entre elas, a aplicação em dois domingos –  5 e 12 de novembro – e maior reforço na segurança, como destaca Luana Bergmann, titular da Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do Enem.

    “Reorganizamos os momentos de aplicação em dois domingos diferentes e a demanda cognitiva dos participantes de maneira mais inteligente. No primeiro domingo, farão prova de ciências humanas, linguagem e redação. Será a demanda socioverbal e sociocultural. No segundo domingo, estaremos focados na matemática e nas ciências da natureza”, explica Luana, que é pedagoga e pesquisadora de carreira do Inep, tendo assumido em 2016 a direção-geral da Daeb.

    Em relação à segurança, haverá detectores de ponto eletrônico nos locais de prova e detectores de metais nos banheiros. A biometria foi mantida. Outra mudança importante é a identificação do candidato não apenas no cartão de respostas, mas em todas as folhas do exame.

    A diretora reforça que os candidatos devem calcular o tempo do trajeto até o local da prova e ficar atentos aos horários de ônibus (Frame: TV MEC)”A prova vale muito para os participantes porque abre portas de universidades, cursos técnicos e tecnológicos. É uma operação de muito risco e, por isso, todas as etapas devem ser monitoradas. O que nos interessa é garantir a isonomia e a segurança do participante para que ele possa chegar no momento da prova com tranquilidade”, afirma a diretora.

    Luana ressalta que o trabalho da Daeb vai além da logística. A diretoria mantém equipe de monitoramento que acompanha tudo o que é divulgado a respeito do exame, com o objetivo de combater boatos e notícias falsas, com foco especial nas redes sociais. Vale ressaltar a importância de os candidatos checarem as informações nos canais oficiais do Inep e do Ministério da Educação, uma vez que todas as informações relativas ao Enem são divulgadas por estes meios.

    “É uma ‘operação de guerra’. Começamos a preparar o Enem muito antes de novembro. É uma preparação que dura o ano inteiro e, neste momento, estamos na reta final, com todas as etapas quase concluídas. Tivemos vários parceiros articulados neste processo; além do Inep, temos a Polícia Federal, o MEC, o Exército e uma série de outros”, destaca Luana.

    Todas as regras do Enem 2017 estão descritas na página do exame, na qual também é possível baixar o cartão de inscrição, com o local da prova e os horários. “É importante que o candidato acesse o portal do Enem, verifique o endereço e simule sua ida, veja os horários de ônibus. No domingo há menos ônibus, então é importante que ele faça um cálculo de quanto tempo vai levar para o local de aplicação da prova para que não se atrase”, orienta a diretora. Os portões abrirão às 12h, no horário de Brasília, e fecharão às 13h. O participante deve ficar atento às variações de fuso horário.

    Acesse a página do Enem 2017, no portal do Inep.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Divulgado o edital do exame; provas serão realizadas em maio

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou o edital do exame para obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) 2019/1 nesta sexta-feira, 15 de março, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). O Celpe-Bras é o exame brasileiro oficial para certificar proficiência em português como língua estrangeira. O exame é destinado a estrangeiros e brasileiros cuja língua materna não é a Língua Portuguesa. O Celpe-Bras é o único certificado oficial de proficiência em português.

    A inscrição para o exame será entre 18 e 28 de março, exclusivamente pela internet, no Sistema Celpe-Bras. As provas serão realizadas de 28 a 30 de maio em 126 postos aplicadores no Brasil e no exterior. O participante deve selecionar no momento da inscrição o país e o local onde pretende realizar as provas, de acordo com o limite de vagas oferecidas pelos postos. Não é permitido realizar o exame em posto diferente do escolhido na inscrição. Um anexo do edital tem a relação de todos os postos credenciados que realizarão o exame neste primeiro semestre e o respectivo número de vagas. Na Página do Celpe-Bras, no Portal do Inep, estão os contatos de todos os postos. Caso o posto aplicador atinja o limite de vagas oferecidas, o sistema bloqueará novas inscrições.

    Para fazer a inscrição, o participante deverá informar o número de passaporte ou documento de identificação válido no país de realização do exame. A política de acessibilidade do Inep garante atendimento específico e especializado em todos os exames e avaliações. A solicitação pelo atendimento e pelos recursos de acessibilidade deve ser feita durante a inscrição. O participante precisa comprovar por meio de documentos a necessidade do atendimento. O edital do Celpe-Bras detalha todas as regras. Após o preenchimento dos dados solicitados, deverá pagar a taxa de inscrição, até 29 de março, seguindo as orientações do posto aplicador, que estabelece a cobrança e o valor. A taxa de inscrição, entretanto, não pode ultrapassar o valor de R$ 200, nos postos credenciados no Brasil, e de USD 100, nos postos do exterior.  

    Estrutura – O Celpe-Bras é composto de parte escrita e parte oral. A parte escrita, que será aplicada a todos os participantes na manhã de 28 de maio, tem quatro tarefas de produção textual que abrangem mais de um componente ou habilidade de uso da Língua Portuguesa e que exigem do participante registro escrito em Língua Portuguesa, a partir de insumos diversificados (vídeo, áudio e texto escrito). A parte escrita tem duração de três horas.

    A parte oral, que será agendada entre os dias 28 (vespertino) e 30 de maio, consiste em uma interação face a face entre o participante e o avaliador-interlocutor, com duração de 20 minutos. A interação consiste em uma conversa planejada a partir das informações registradas pelo participante na inscrição e em três momentos de conversas sobre textos de variados gêneros que mesclam linguagem verbal e não verbal, denominadas Elementos Provocadores.

    Para obter a certificação de proficiência em Língua Portuguesa o participante deverá alcançar, pelo menos, o nível intermediário nas duas partes do exame. Caso seu desempenho seja diferente nas duas partes, prevalecerá o menor resultado. De acordo com a pontuação obtida, o participante será classificado nos seguintes níveis de proficiência: avançado superior, avançado, intermediário superior, intermediário, sem certificação. O resultado está previsto para agosto de 2019.

    Oficial – O exame para obtenção de Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) é aplicado no Brasil e em outros países com o objetivo de fornecer o certificado brasileiro oficial de proficiência em português como língua estrangeira. O Inep é responsável pela aplicação, com apoio do Ministério da Educação e em parceria com o Ministério das Relações Exteriores. As provas são realizadas em postos aplicadores: instituições de ensino superior no Brasil e no exterior, representações diplomáticas e missões consulares do Brasil no exterior, centros e institutos culturais brasileiros e estrangeiros e instituições congêneres interessadas na promoção e na difusão da Língua Portuguesa.

    Confira o Edital Celpe-Bras 2019/1 

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Edição deste ano bate recorde,com 6,2 milhões de inscrições

    Exatamente 6.221.697 estudantes inscreveram-se para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, marcadas para os dias 22 e 23 de outubro. As inscrições terminaram às 23h59 de sexta-feira, 10, como programado. Por mais um ano consecutivo, a região Sudeste, com 2.312.312 inscritos, apresentou o maior número de participantes, seguida do Nordeste, com 1.903.135. A região Sul apresentou 780.802 inscritos, seguida do Norte, com 651.995 e do Centro-Oeste, com 573.453.

    Os estudantes que estiverem com inscrições pendentes devem efetuar o pagamento da taxa, de R$ 35, até a segunda-feira, 13, nas agências do Banco do Brasil. Para confirmar a inscrição, o candidato precisa fazer, também pela internet, a opção entre gerar boleto ou declarar carência. No primeiro caso, é necessário imprimir o documento e pagar a taxa. O comprovante de inscrição estará acessível no sistema eletrônico do Enem até três dias úteis após o pagamento do boleto. O cartão de confirmação será enviado ao endereço informado pelo candidato no momento da inscrição — o número de acompanhamento estará acessível no sistema.

    Assessoria de Comunicação Social




  • Encceja

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realiza exames que, além de diagnosticar a educação básica brasileira, possibilitam meios para certificar saberes adquiridos tanto em ambientes escolares quanto extraescolares. O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) é um desses exames.

    O Encceja tem como principal objetivo construir uma referência nacional de educação para jovens e adultos por meio da avaliação de competências, habilidades e saberes adquiridos no processo escolar ou nos processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais, entre outros.

    A participação no Encceja é voluntária e gratuita, destinada aos jovens e adultos residentes no Brasil e no exterior, inclusive às pessoas privadas de liberdade, que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada.

    No Brasil e no exterior, o Encceja pode ser realizado para pleitear certificação no nível de conclusão do ensino fundamental e ensino médio. Para certificação do ensino fundamental, é preciso ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame. A certificação do ensino médio exige a idade mínima de 18 anos completos no dia de aplicação da prova.

    O Encceja oferece atendimento especializado e específico, além de atendimento pelo nome social, para participante travesti ou transexual que quiser tratamento pela sua identidade de gênero. Os atendimentos especializados, específicos e os auxílios ou recursos de acessibilidade devem ser solicitados durante a inscrição.

    O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos constitui-se de provas estruturadas da seguinte forma:

    Para o ensino fundamental:

    • Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação;
    • Matemática;
    • Historia e Geografia;
    • Ciências Naturais.

    Para o ensino médio:

    • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação;
    • Matemática e suas Tecnologias;
    • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
    • Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

    Essas áreas do conhecimento foram estabelecidas a partir do currículo da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN's).

    Para se preparar para o exame, o Inep disponibiliza em sua página na internet o material didático pedagógico de apoio aos participantes e professores que é composto por um volume introdutório, quatro volumes de orientações aos professores e oito volumes de orientações para o estudante (quatro para o ensino fundamental e quatro para o ensino médio).

    A Matriz de Competências e Habilidades, também disponível na página eletrônica do Inep, possui 30 habilidades e continua subsidiando o estudo individual. As competências do sujeito são eixos cognitivos que referem-se, também, ao domínio de linguagens, compreensão de fenômenos, enfrentamento e resolução de situações-problema, capacidade de argumentação e elaboração de propostas. Dessas interações resultam, em cada área, habilidades que são avaliadas por meio das 30 questões objetivas (múltipla escolha) e pela produção de um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo, a partir de um tema de ordem social, científica, cultural ou política (redação).

    Todos aqueles que tenham realizado o Encceja Nacional em anos anteriores e não obtiveram média para aprovação na área de conhecimento, poderão inscrever-se novamente no Exame para eliminação do componente curricular desejado, caso tenham interesse.

    Para mais informações sobre o exame, acesse a página do Inep.

  • Encceja Nacional tem mais de 1,5 milhão de inscritos; prova será aplicada em 22 de outubro

    O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para residentes no Brasil (Encceja Nacional) teve 1.573.862 inscritos para a edição de 2017. Desses, 301.583 farão provas para o ensino fundamental, e 1.272.279 para o ensino médio. O exame será aplicado em 22 de outubro, em 564 municípios distribuídos em todas as unidades da Federação. Esses são alguns números do balanço divulgado nesta terça-feira, 29, em coletiva no Ministério da Educação.

    O ministro da Educação, Mendonça Filho, comemorou o levantamento apresentado. “O número de inscritos superou as expectativas do governo federal. O Encceja atende um processo de inclusão e de valorização dos jovens que querem ampliar sua escolaridade, possibilitando a certificação não só no ensino fundamental, como também no ensino médio”, explicou. Mendonça Filho também reafirmou o caráter social do exame. “É o alcance de etapas importantes na formação educacional. Significa, em termos práticos, a possibilidade de buscar um curso profissional, um melhor emprego, uma melhor oportunidade de trabalho”.

    O Encceja é realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, mas compete às secretarias estaduais de Educação e aos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia definirem os procedimentos complementares para certificar os participantes ou emitir a declaração parcial de proficiência, com base nos resultados do exame.

    Com as mudanças e o aperfeiçoamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, o papel de certificação dos ensinos fundamental e médio voltou a ser realizado pelo Encceja, que é o exame adequado para esse fim, em uma parceria com estados e municípios. As mudanças foram apresentadas em março e são resultado do amplo debate promovido pelo MEC, que promoveu uma Consulta Pública por meio do Inep entre 18 de janeiro e 17 de fevereiro deste ano.

    Mendonça Filho destacou que o Encceja é “a possibilidade de buscar um curso profissional e um melhor emprego” (Foto: Mariana Leal/MEC)

    “Essa desvinculação histórica que existia com relação ao Enem é muito importante. Ela faz com que a aplicação desse processo de avaliação se dê mais adequadamente, atendendo as expectativas daqueles que buscam a certificação e a ampliação da sua escolaridade”, finalizou o ministro.

    Na avaliação da presidente do Inep, Maria Inês Fini, as secretarias estaduais de educação têm um papel fundamental no exame. “Elas disponibilizam todos os locais de prova. Isso operacionaliza melhor o exame, mas, acima de tudo, faz a certificação correta daqueles que buscam terminar o ensino fundamental ou o ensino médio”.

    Ao destacar a importância do Encceja Nacional, a secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, lembrou um número preocupante e que precisa ser mudado: 55% dos brasileiros, em idade ativa no mercado de trabalho, não tem o ensino fundamental completo. “Esses são os últimos números do IBGE e abrangem desde os 15 até os 55 anos de idade. Exames deste tipo ajudam a diminuir esses números”, afirmou.

    Perfil dos inscritos

    Ensino fundamental – Do total de 301.583 inscritos, a maioria deles (71.638) tem entre 31 e 40 anos. As mulheres são 152.290 e os homens, 149.293. Em relação à cor/raça: 132.263 se autodeclararam pardos; 117.592 brancos; 34.433 pretos; 4.994 amarelos; 2.114 indígenas; e 10.187 não declararam.

    Ensino médio – Dentre os 1.272.279 inscritos, a maioria (387.697) que deseja obter certificado do ensino médio tem entre 23 a 30 anos. As mulheres continuam sendo a maioria: 637.281. Os inscritos do sexo masculino são 634.998. Em relação à cor/raça: 556.132 se autodeclararam pardos; 494.138 brancos; 150.489 pretos; 24.465 amarelos; 7.657 indígenas; e 39.398 não declararam.

    Inscritos por UF – São Paulo foi o estado com o maior número de inscritos que desejam obter certificado do ensino médio: 233.056. Minas Gerais vem em seguida, com 123.626. Outros estados que têm números significativos são: Paraná (119.963), Rio de Janeiro (117.024) e Rio Grande do Sul (105.747). Para o ensino fundamental, São Paulo segue novamente em frente, com 50.487 inscritos. Na sequência estão Rio Grande do Sul (33.642), Paraná (30.639), Minas Gerais (29.107) e Rio de Janeiro (19.942).

    Estrutura do exame

    As provas do Encceja obedecem a requisitos básicos, estabelecidos pela legislação em vigor, para o ensino fundamental e ensino médio e são estruturadas a partir da Matriz de Competências e Habilidades. O Exame tem quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, e uma proposta de redação.

    As provas serão aplicadas no turno matutino, entre 8h e 12h, e vespertino, entre 14h30 e 19h30 (Horário Oficial de Brasília).

    Ensino fundamental – Para o ensino fundamental, no período da manhã, os participantes farão provas de ciências, história e geografia. No período da tarde serão de língua portuguesa, inglês, artes, educação física, matemática e redação.

    Ensino médio – Para o ensino médio, no período da manhã, os participantes farão provas de física, química e biologia, história, geografia, sociologia e filosofia. À tarde serão as disciplinas de língua portuguesa, inglês ou espanhol, educação física, artes, matemática e redação.

    Certificados

    Certificação e declaração de proficiência – Para obter o certificado ou declaração de proficiência, o participante deve fazer, no mínimo, 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento, dos 200 pontos possíveis. No caso de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e educação física, no ensino fundamental, e de linguagens e códigos e suas tecnologias no ensino médio, para obter a certificação ou declaração de proficiência, é preciso obter, também, a proficiência em redação, sendo necessário ter nota igual ou superior a cinco pontos. Na Redação, a nota mínima é de cinco (5) pontos, numa escala que varia de zero a dez pontos.

    As Secretarias Estaduais de Educação listadas no edital do Encceja utilizarão os resultados individuais para a certificação no nível de conclusão do ensino fundamental e do ensino médio. Já os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia utilizarão os resultados individuais do Encceja somente para a certificação no nível de conclusão do ensino médio.

    Encceja Exterior – O exame tem 1.409 inscritos e será aplicado em 10 de setembro nos Estados Unidos (Boston, Nova Iorque e Miami); Bélgica (Bruxelas); Guiana Francesa (Caiena); Portugal (Lisboa); Suíça (Genebra); Espanha (Madri); Reino Unido (Londres); França (Paris), Holanda (Amsterdã) e Japão (Nagóia, Hamamatsu e Ota). É realizado pelo Inep em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, e com as respectivas representações diplomáticas do Brasil nos locais de aplicação. Para o ensino fundamental, há 82 inscritas do sexo feminino, e 73 inscritos do masculino. Já no ensino médio, são 685 do sexo feminino e 569 do masculino. Em relação à cor/raça do ensino fundamental: 70 se autodeclararam brancos; 31 pardos; 19 amarelos; 19 não declararam; 15 pretos e um indígena.

    Em relação à cor/raça do ensino médio: 637 se autodeclararam brancos; 319 pardos; 141 amarelos; 89 não declararam; 60 pretos e nove indígenas.

    Encceja Nacional PPL – O Encceja para adultos submetidos a penas privativas de liberdade e adolescentes sob medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade no Brasil (Encceja Nacional PPL) têm edital, período de inscrição e data de aplicação específicos. Para participar do Encceja PPL, os órgãos de administração prisional e socioeducativa do país e as unidades prisionais e socioeducativas devem firmar termo de adesão, responsabilidade e compromissos pelo portal do Inep até 1º de setembro. As inscrições começaram no dia 28 de agosto e terminam às 23h59 (horário oficial de Brasília-DF) do dia 8 de setembro, via on-line. As provas do Encceja Nacional PPL serão realizadas em 24 e 25 de outubro, nas unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos órgãos competentes.

    Encceja Exterior PPL - O Encceja Exterior PPL será aplicado entre 11 e 22 de setembro para 25 inscritos. Ao todo, são 10 unidades prisionais que realizarão o exame.

    Apresentação - Inscrições Encceja 2017

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Estrangeiros podem se inscrever a exame de proficiência em português

    Estão abertas as inscrições do Exame para Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras). Os interessados devem se inscrever até 23 de agosto, às 23h59 (horário de Brasília), pelo portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). As provas da segunda edição do Celpe-Bras 2017 serão realizadas de 17 a 19 de outubro em 26 postos aplicadores no Brasil e 56 no exterior.

    Podem participar estrangeiros ou brasileiros cuja língua materna não seja o português e que tenham escolaridade equivalente ao ensino fundamental no Brasil. Também podem se inscrever no exame aqueles que já têm o certificado e pretendem alcançar um nível de proficiência mais alto.

    Inscrição – Além de preencher um formulário, é preciso pagar, até 25 de agosto, a taxa de inscrição. O valor é de R$ 200 para os postos aplicadores credenciados no Brasil e de USD 100 para os postos aplicadores credenciados no exterior

    Celpe-Bras – O Exame para Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros confere o certificado brasileiro oficial de proficiência em português como língua estrangeira. Ao todo são quatro níveis de proficiência. Para obter o certificado, o participante deverá alcançar, na parte escrita e na parte oral, pelo menos o nível intermediário. Quando o nível de proficiência em cada parte é diferente, prevalece o menor resultado.

    A proficiência é avaliada a partir do desempenho do candidato em tarefas e em uma interação face a face que exigem compreensão escrita e/ou oral, além de produção escrita. Isso inclui práticas de uso da língua portuguesa que possam ocorrer no cotidiano de um estrangeiro que pretende interagir em português.         Veja a lista dos postos aplicadores do Celpe-Bras no Brasil e no exterior e o formulário de inscrições no portal do Inep.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Exame para avaliar estrangeiros terá só uma aplicação em 2018

    O exame para Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) terá apenas uma aplicação em 2018. Estavam previstas duas edições, porém, após reuniões de ajustes do cronograma, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em conjunto com os ministérios da Educação e das Relações Exteriores (MRE), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) definiram realizar uma única aplicação no segundo semestre deste ano. Em breve, o Inep divulgará o edital do Celpe-Bras 2018 com a data da prova no segundo semestre.

    Em 2018, o exame completa 20 anos. Desde o segundo semestre de 2009, a aplicação é feita pelo Inep. O número de examinandos vem crescendo progressivamente. Na edição de 2016/1, o Celpe-Bras teve um total de 6.222 inscritos; já na segunda edição do mesmo ano, 6.473 pessoas se inscreveram, a maioria do sexo feminino.

    Certificado – O Celpe-Bras é aplicado no Brasil e em outros países pelo Inep, com apoio do MEC e em parceria com o MRE, para fornecer o certificado brasileiro oficial de proficiência em português como língua estrangeira. As provas são realizadas em instituições de ensino superior no Brasil e no exterior, representações diplomáticas e missões consulares brasileiras sediadas em outros países, centros e institutos culturais brasileiros e estrangeiros e demais instituições congêneres interessadas na promoção e na difusão da língua portuguesa.

    O exame é dividido em parte escrita (coletiva) e parte oral (individual). Esta última avalia a compreensão da fala, a competência para interagir em língua portuguesa, a fluência, o domínio de vocabulário e de estruturas do idioma português e a pronúncia. A proficiência é avaliada a partir do desempenho do participante em tarefas e em uma interação face a face que exigem compreensão escrita e/ou oral, além de produção escrita. Isso inclui práticas de uso da língua portuguesa comuns no cotidiano de um estrangeiro que pretende interagir em português.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página