Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Atendimento especializado deve ser requerido até 17 de maio



    Os candidatos que farão a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019 poderão solicitar atendimentos especializados e específicos até 17 de maio. O acolhimento individualizado não se restringe a gestantes, deficientes físicos, idosos e lactantes.

    Poderão ser contempladas com atendimento especializado pessoas com:

    • baixa visão;
    • cegueira;
    • visão monocular;
    • deficiência física;
    • deficiência intelectual (mental);
    • surdez; surdocegueira;
    • dislexia;
    • déficit de atenção;
    • autismo;
    • discalculia (pessoa que possui pouca habilidade em compreender e manipular números).

    Como participar – Os alunos devem informar, no ato da inscrição, qual auxílio necessitam. É possível pedir uma hora a mais para resolver questões. 

    Além de comprovar as necessidades especiais por meio de laudos médicos, os candidatos recebem ligações dos funcionários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) após a solicitação e o encerramento do prazo das inscrições para confirmar o auxílio requerido e a necessidade de tempo extra dependendo do tipo e do grau da deficiência.

    Para os solicitantes deste tipo atendimento, o Ministério da Educação (MEC) oferecerá:  

    • provas em braile;
    • tradutor-intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras);
    • provas com letras ampliadas e super ampliadas;
    • guia-intérprete para pessoas com surdocegueira;
    • auxílios para leitura e transcrição;
    • leitura labial; tempo adicional;
    • sala de fácil acesso e mobiliário acessível.

    Para gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar — aqueles que têm o seu processo de escolarização no interior de uma instituição hospitalar e que está na condição de estudante internado para tratamento nos dias de prova —, os recursos serão oferecidos conforme as necessidades do inscrito.

    A lactante, por exemplo, poderá levar para o local de prova um acompanhante responsável por cuidar do seu filho entre os períodos em que ela não estiver amamentando. Os estudantes em classe hospitalar poderão fazer o exame no seu ambiente de tratamento.

    O Inep tem aprimorado os atendimentos diferenciados e específicos para os estudantes. Em 2017 e 2018 foram aprovadas 41.284 e 29.954 solicitações de atendimentos especiais, respectivamente, bem como 16.986 e 11.881 pedidos para acompanhamentos específicos e 306 e 251 tratamentos pela diferença de gêneros.

    As inscrições do Enem 2019 estão abertas e podem ser feitas até às 23h59 de 17 de maio.

    Confira o cronograma das solicitações:

    Solicitação de atendimento especializado 6 a 17/05/2019
    Solicitação de atendimento em classe hospitalar 6 a 17/05/2019
    Solicitação de atendimento pelo nome social 20/05 a 24/05/2019
    Resultado da solicitação de atendimento especializado 22/05/2019
    Resultado da solicitação de atendimento em classe hospitalar 22/05/2019
    Recurso de solicitação de atendimento especializado 23 a 29/05/2019
    Recurso de solicitação de atendimento em classe hospitalar 23 a 29/05/2019
    Resultado da solicitação de atendimento pelo nome social 31/05/2019
    Resultado do recurso de solicitação de atendimento especializado    05/06/2019
    Resultado do recurso de solicitação atendimento em classe hospitalar 05/06/2019

                                     

    Confira o edital do Enem 2019.  

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Avaliação de 2,7 milhões de crianças vai até sexta-feira

    Terminam na sexta-feira, 25, as provas da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) para 2.707.348 alunos de escolas públicas do país. O exame avalia o nível da alfabetização em português e dos conhecimentos em matemática de estudantes do terceiro ano (oito anos de idade) do ensino fundamental.

    Elaborada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao MEC, a ANA, que faz parte do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), contém um questionário voltado a professores e gestores das escolas e o teste para os estudantes. As provas começaram a ser aplicadas no dia 14 último, em 48.860 escolas de 5.545 municípios.

    Nesta edição, estão previstos 92.450 atendimentos especializados, o que representa 3,4% do total de 2,7 milhões de crianças avaliadas. Foram solicitados 326 atendimentos especializados para cegueira, 26 para surdocegueira, 1.080 para surdez, 4.562 para baixa visão e 86.456 para outras deficiências e transtornos.

    Compreender a alfabetização no Brasil passa pelo conhecimento da realidade dessas crianças, que estão sendo atendidas em salas especiais, com provas superampliadas e em braile. Há também provas traduzidas para videolibras, recurso inédito, que o Inep pode adotar também nas próximas edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As crianças têm ainda acesso a profissionais especializados, como ledores, transcritores e guia-intérprete, de acordo com a deficiência.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Exame terá 169 mil candidatos com tratamento diferenciado

    Mais de 8,7 milhões de pessoas farão, nos dias 8 e 9 de novembro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição de 2014. Desses candidatos, 76.676 declararam que têm necessidades especiais e 36.385 solicitaram atendimento especializado. Outros 92.972 pediram atendimento específico.

    O atendimento especializado é oferecido aos participantes com baixa visão, cegueira, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdo-cegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia (dificuldade ao calcular) ou outra condição especial. No momento da inscrição, eles pediram esse tipo de atendimento. Contarão, portanto, entre outros recursos, com sala de mais fácil acesso (para 15.115 participantes), prova superampliada (6.768) e auxílio para transcrição (6.328).

    O atendimento específico será oferecido a gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar. Estão aí incluídos ainda os sabatistas, que por convicção religiosa guardam os sábados (62.396 participantes). As lactantes são 13.882; as gestantes, 9.256.

    No primeiro dia do Enem (sábado, 8 de novembro), os candidatos terão quatro horas e meia para fazer as provas de história, geografia, filosofia, sociologia, química, física e biologia. No segundo dia (domingo, 9), cinco horas e meia para as de matemática, língua portuguesa, literatura, artes, educação física, tecnologias da informação e comunicação e língua estrangeira, além da redação. Nos dois dias, as provas terão início às 13h, no horário de Brasília.

    Para as provas do primeiro dia, o participante que guarda os sábados deve chegar ao local do exame no mesmo horário de todos os participantes — entre 12h e 13h — e aguardar em sala específica até as 19h. No caso dos sabatistas do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, a prova será realizada a partir das 19h locais (18h em Brasília).

    Para ter acesso ao local de provas, o candidato deve apresentar documento de identidade com foto. Durante o exame, terá de preencher o caderno de respostas com caneta esferográfica preta. Ele terá permissão para deixar o local da prova somente duas horas após o início. Além disso, só será autorizado a levar o caderno de questões se sair nos 30 minutos finais.

    Mais informações sobre o exame e perguntas mais frequentes estão na página do Enem na internet e também no facebook.

    Assessoria de Comunicação Social

    Matéria republicada com acréscimo de informações

    Leia também:
    Nota do exame vale para outros programas oferecidos pelo MEC

  • Recursos para nome social devem ser apresentados até sexta, 18


    Quem teve a solicitação de atendimento especializado ou por nome social reprovada no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2018 tem prazo até esta sexta-feira, 18 de maio, para entrar com recurso. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) receberá até 23h59, pela Página do Participante, os novos documentos comprobatórios para as situações que dão direito aos atendimentos.

    A oportunidade de atendimento pelo nome social para participantes travestis ou transexuais e o atendimento especializado fazem parte da Política de Inclusão e Acessibilidade do Inep, que ainda inclui atendimento específico para gestantes, lactantes, idosos e outras condições específicas. O atendimento especializado é garantido àqueles que comprovarem ter baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, surdocegueira e visão monocular. Para comprovar a condição é preciso apresentar documentação, conforme previsto no edital.

    Nome – O atendimento dá direito ao participante travesti ou transexual ser distribuído pelas salas de aplicação de acordo com seu nome social, e não de acordo com o nome civil. Todos os documentos relacionados à aplicação também serão identificados com o nome social. Para ter direito ao atendimento, o participante também deve apresentar documentos que comprovem a condição que motiva a solicitação, como: fotografia atual, individual, colorida, com fundo branco, da cabeça (descoberta) e do tronco; cópia digitalizada (frente e verso) de um dos documentos de identificação oficial com foto; e cópia assinada e digitalizada do formulário de solicitação de atendimento pelo nome social disponível na Página do Participante. Os documentos devem conter todas as informações solicitadas, ser legíveis e estar no formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2MB.

    Clique aqui para acessar a Página do Participante

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Saem os resultados dos recursos para atendimentos especiais

    Já estão disponíveis para consulta na Página do Participante os resultados dos recursos para atendimento específico e especializado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. Nessa etapa, foram analisados apenas os novos documentos — laudos médicos — enviados pelos participantes que tiveram a solicitação reprovada durante o período regular.

    Mais de 40 mil atendimentos especializados e 8 mil atendimentos específicos foram registrados nesta edição do Enem. As solicitações para uso de recursos de acessibilidade superaram 60 mil.

    Acessibilidade – A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep garante atendimento especializado, específico e por nome social aos participantes do Enem. Além dos três tipos de atendimento, são ofertados 15 recursos de acessibilidade.

    O Inep oferece atendimento específico para gestante, idoso, lactante, estudante em situação de classe hospitalar ou outra condição específica. Já o atendimento especializado é para participantes com autismo, baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, surdocegueira e visão monocular.

    Confira o site do Enem

     

Fim do conteúdo da página