Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Consulta pública recebe mais de 2 mil sugestões em 24 horas

    Com pouco mais de 24 horas no ar, a consulta pública sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já conta com 2.241 contribuições até as 18h desta quarta-feira, 4. A intenção é receber sugestões da sociedade para aprimorar a prova. O ministro da Educação, Cid Gomes, pensa na possibilidade de que o exame seja realizado on-line. A consulta pública receberá contribuições até 17 de março e é a segunda de 2015: a primeira foi sobre o programa Diretor Principal, que contou com mais de 45 mil opiniões.

    Para contribuir, os interessados devem responder um formulário com três perguntas. 1) Qual é a sua sugestão para a ampliação do banco de itens nas quatro áreas de conhecimento do Enem (linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias)? 2) Qual a sua sugestão para o aprimoramento da logística, segurança e aplicação da prova? 3) Gostaria de fazer algum outro comentário acerca do tema?

    Ao longo dos anos, o Enem se consolidou como uma porta de oportunidades para o acesso ao ensino superior por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Universidade para Todos (ProUni), Financiamento Estudantil (Fies) e Ciência sem Fronteiras. De acordo com o secretário executivo do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, a sociedade deve participar do desenvolvimento do exame. “O Enem envolve alunos, famílias, sociedade e escolas. É um processo que vem se aprimorando nos últimos anos”, disse.

    A consulta pública faz parte da promessa de posse do ministro Cid Gomes, visando aproximar as pessoas das ações do Ministério da Educação.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Consulta pública sobre exame recebe sugestões até esta terça

    Aberta no início de março com a intenção de receber sugestões da sociedade para aprimorar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a segunda consulta pública do Ministério da Educação em 2015 já recebeu mais de 29 mil contribuições. O prazo para participação se encerra nesta terça-feira, 17.

    Para contribuir, os interessados devem responder a um formulário com três perguntas, dando sugestões para a ampliação do banco de itens nas quatro áreas de conhecimento do Enem, para o aprimoramento da logística, segurança e aplicação da prova, além de opinar livremente sobre o exame. As inscrições são feitas pela internet, na página Enem Digital.

    Ao longo dos anos, o Enem se consolidou como uma porta de oportunidades para o acesso ao ensino superior por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Universidade para Todos (ProUni), Financiamento Estudantil (Fies) e Ciência sem Fronteiras.

    A consulta pública faz parte de compromisso assumido pelo ministro Cid Gomes para aproximar as pessoas das ações do Ministério. Em fevereiro, o MEC lançou a primeira consulta, que reuniu mais de 45 mil sugestões para valorizar os diretores das escolas.

    Assessoria de Comunicação Social

    Acesse a página Enem Digital

  • Enem terá aplicação digital em fase piloto em 2020 e deixará de ter versão em papel em 2026

    O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá aplicação digital a partir de 2020. No primeiro ano da novidade, a aplicação ocorrerá em modelo piloto. A implantação do Enem Digital será progressiva, com início no próximo ano e previsão de consolidação em 2026. Nada muda para os participantes inscritos em 2019.

    As primeiras aplicações digitais serão opcionais. Os participantes poderão escolher, no ato de inscrição, pela aplicação piloto no modelo digital ou pela tradicional prova em papel. No primeiro ano de teste, o modelo digital será aplicado para 50 mil pessoas em 15 capitais do país.

    "[O Enem Digital] é o futuro que se abre", disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub. "Depois de 100 anos de provas sendo realizadas no papel, a educação brasileira aponta para o futuro e vai abrir processo para fazer o Enem em uma versão digital", continuou. As declarações foram dadas em entrevista à imprensa na sala de atos da Pasta na manhã desta quarta-feira, 3 de julho

    Com essa nova versão, por meio de computador, o governo federal pretende realizar o exame em várias datas ao longo do ano, por agendamento. A aplicação permanecerá em dois domingos, nos dias 11 e 18 de outubro, e os resultados serão divulgados de forma conjunta.

    "Em 2020, teremos três aplicações do Enem: o Enem digital, para 50 mil pessoas, a regular em papel e a reaplicação", explicou o presidente do Inep, Alexandre Lopes.Este último caso é voltado para candidatos prejudicados por algum problema logístico ou de infraestrutura durante a realização da prova digital. Eles terão direito à reaplicação, que ocorrerá em papel.

    Há também uma economia com a impressão de papel e um ganho para o meio ambiente. Somente em 2019, mais de 10,2 milhões de provas serão impressas para o Enem. Os custos da aplicação superam R$ 500 milhões para os mais de 5 milhões de participantes confirmados na edição.

    Do ponto de vista técnico, o Enem Digital vai permitir a utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até a lógica dos games. Também será possível aplicar o Enem em mais municípios.

    Mudança progressiva – O Enem Digital será implantado gradualmente. A aplicação será em papel, como nas demais 21 edições do exame, e haverá a aplicação regular e a reaplicação.

    O Ministério da Educação, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) já se prepara para a aplicação piloto em 2020, com o desenvolvimento/aquisição da plataforma digital e desenho da aplicação a partir de dados coletados pelo Censo Escolar. Em 2021, serão realizadas duas aplicações digitais, em datas distintas, agendadas previamente, também opcionais. A edição servirá como aprimoramento do piloto. Permanecem a aplicação regular e a reaplicação em papel.

    De 2022 a 2025, o Enem Digital seguirá sendo aprimorado. A previsão do Inep é realizar até quatro aplicações digitais, em datas distintas, com agendamento prévio e ainda opcional para os participantes.

    Em 2026, a versão em papel para de ser distribuída e o exame só será em formato digital. A consolidação do modelo digital será marcada por diversas aplicações regulares ao longo do ano, por agendamento, em todo o país, e reaplicação também em modelo digital.

    Capitais – Confira as capitais que receberão a prova em formato digital em 2020:

    • Belém (PA);
    • Belo Horizonte (MG);
    • Brasília (DF);
    • Campo Grande (MS);
    • Cuiabá (MT);
    • Curitiba (PR);
    • Florianópolis (SC);
    • Goiânia (GO);
    • João Pessoa (PB);
    • Manaus (AM);
    • Porto Alegre (RS);
    • Recife (PE);
    • Rio de Janeiro (RJ);
    • Salvador (BA);
    • São Paulo (SP).

    Confira a apresentação feita pelo Inep.

    03/07/2019 - Coletiva de Imprensa – ENEM 2020

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • MEC pretende ouvir sugestões da sociedade para melhorar exame

    Depois do sucesso do Diretor Principal, com 45.704 contribuições, o Ministério da Educação publicou nesta terça-feira, 3, a segunda consulta pública do ano. A intenção é receber sugestões da sociedade para aprimorar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O ministro da Educação, Cid Gomes, pensa na possibilidade de que o exame seja realizado on-line. A consulta pública receberá contribuições até 17 de março.

    Para contribuir, os interessados devem responder um formulário com três perguntas. 1) Qual é a sua sugestão para a ampliação do banco de itens nas quatro áreas de conhecimento do Enem (linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias)? 2) Qual a sua sugestão para o aprimoramento da logística, segurança e aplicação da prova? 3) Gostaria de fazer algum outro comentário acerca do tema?

    Ao longo dos anos, o Enem se consolidou como uma porta de oportunidades para o acesso ao ensino superior por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Universidade para Todos (ProUni), Financiamento Estudantil (Fies) e Ciência sem Fronteiras. De acordo com o secretário executivo do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, a sociedade deve participar do desenvolvimento do exame. “O Enem envolve alunos, famílias, sociedade e escolas. É um processo que vem se aprimorando nos últimos anos”, disse.

    A consulta pública faz parte da promessa de posse do ministro Cid Gomes, visando aproximar as pessoas das ações do ministério da Educação.

    Assessoria de Comunicação Social

    Participe da consulta pública do Enem Digital

  • Ministro garante que pendências do Fies serão todas resolvidas

    No programa Bom Dia, Ministro, Janine Ribeiro falou também sobre o PNE e disse que o MEC está empenhado em ajudar estados e municípios a cumprirem o prazo determinado para entrega das metas (foto: Antonio Cruz/Agência Brasil) O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, garantiu nesta quinta-feira, 23, que todos os contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) serão renovados. “Ninguém deve ficar preocupado com essa história; estamos fazendo tudo para resolver as pendências”, disse, ao participar pela primeira vez do programa de rádio Bom Dia, Ministro, na Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em Brasília.

    O Fies reúne mais de 1,9 milhão de estudantes, que têm prazo até 29 de maio para fazer a renovação. Para a adesão de novos contratos, o prazo continua previsto para o dia 30 próximo. “Temos pouco mais de 200 mil alunos que não renovaram o contrato; nossos indicadores mostram que a cada dia mais casos são resolvidos”, disse Janine Ribeiro. Os estudantes que ainda tiverem problemas relativos ao fundo devem ligar para o número 0800-616161.

    Outro ponto discutido na entrevista do ministro foi o Plano Nacional de Educação (PNE). Aprovado no ano passado, o plano estabelece o prazo de dez anos para que as 20 metas previstas sejam transformadas em realidade. Depois da aprovação do projeto de lei no Congresso Nacional e transformação na Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, o passo atual é a elaboração dos planos estaduais e municipais. O prazo vai até 24 de junho próximo. “Temos dois meses diante de nós”, disse Janine Ribeiro. “O Ministério da Educação está amplamente empenhado para ajudar estados e municípios a cumprirem o prazo determinado.”

    Janine Ribeiro também assegurou que o repasse de recursos às universidades federais voltou à normalidade e que os cortes e ajustes do início do ano foram resultado da falta de aprovação orçamentária. O orçamento do governo federal foi aprovado pelo Congresso Nacional em março, com três meses de atraso.

    Exame — Sobre o Enem Digital, tema sobre o qual o MEC promoveu consulta pública, em março último, o ministro esclareceu sobre a possibilidade de aprimoramento na aplicação e na utilização do exame para os próximos anos. “Não creio que possa ser implantado este ano”, disse. “Isso é algo que precisa ser estudado melhor para começar a funcionar.”

    O programa Bom Dia, Ministro é coordenado e produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC. O áudio da entrevista de Janine Ribeiro pode ser encontrado, na íntegra, na página do programa na internet.

    Assessoria de Comunicação Social

    Leia também:
    Renovação de contratos tem novo prazo, até 29 de maio; novas adesões só até o dia 30 próximo

  • Segunda consulta pública do MEC recebe mais de 36 mil sugestões para o exame

    Foram mais de 36 mil opiniões que vão ajudar a fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na segunda consulta pública aberta pelo Ministério da Educação, a participação popular balizará as medidas que serão tomadas para a criação do novo modelo de aplicação.

    A consulta, que teve um total de 36.582 sugestões, foi aberta em 2 de março e encerrada nesta terça-feira, 17. Para contribuir, os interessados responderam um formulário com três perguntas, sobre ampliação do banco de itens nas quatro áreas de conhecimento do Enem, para o aprimoramento da logística, segurança e aplicação da prova, além de opinar livremente sobre o exame.

    “A participação da sociedade na consulta demonstra a importância desse programa como principal porta de acesso democrático no ensino superior brasileiro”, afirmou o secretário-executivo do MEC, Luiz Claudio Costa. “Com certeza, essas sugestões vão servir para um aprimoramento ainda maior do Enem.”

    Ao longo dos anos, o Enem se consolidou como uma porta de oportunidades para o acesso ao ensino superior por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Universidade para Todos (ProUni), Financiamento Estudantil (Fies) e Ciência sem Fronteiras.

    A consulta pública é uma das ações decorrentes do compromisso assumido pelo ministro Cid Gomes de aproximar a sociedade das ações do MEC. A primeira consulta, sobre o programa Diretor Principal, ocorreu em fevereiro e recebeu mais de 45 mil sugestões para valorizar os diretores das escolas de educação básica.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página