Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Atendimento especializado deve ser solicitado durante inscrição


    A política de acessibilidade e Inclusão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, garante atendimento especializado, específico e por nome social no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para ter direito ao benefício, é preciso fazer a solicitação durante a inscrição e comprovar a necessidade. Qualquer alteração também está restrita a esse período, que termina em 18 de maio. Apenas para o uso do nome social, o pedido pode ser feito em prazo posterior: entre 28 de maio e 3 de junho.

    Participantes que tiverem as solicitações de atendimento especializado e específico reprovadas serão comunicados por e-mail e/ou pelo celular cadastrados durante a inscrição e terão um prazo de cinco dias úteis para enviar novo documento pela Página do Participante, disponível no portal do Inep. Caso o segundo documento enviado não esteja de acordo com as regras do edital, o participante não receberá o atendimento solicitado e ficará sem direito aos recursos e auxílios de acessibilidade.

    ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

    Tipos – Baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, surdocegueira e visão monocular.

    Recursos e auxílios de acessibilidade – Prova em braile, tradutor-intérprete de língua brasileira de sinais (libras), videoprova em libras (vídeo com a tradução de itens), prova com letra ampliada (fonte 18 e figuras ampliadas), prova com letra superampliada (fonte 24 e com figuras ampliadas), guia-intérprete para pessoa com surdocegueira, ledor, transcritor, leitura labial, tempo adicional, sala de fácil acesso e/ou mobiliário acessível.

    O tempo adicional de 60 minutos em cada dia de aplicação só será oferecido ao participante que fizer a solicitação desse recurso durante a inscrição e que tiver o documento ou a declaração/parecer aprovado.

    O candidato que solicitar atendimento especializado para cegueira, surdocegueira, baixa visão e/ou visão monocular poderá utilizar material próprio, como máquina Perkins, reglete, punção, sorobã ou cubaritmo, caneta de ponta grossa, assinador, régua, óculos especiais, lupa, telelupa, luminária e tábuas de apoio. O material será vistoriado pelo aplicador.

    Exigências - Quem solicitar atendimento especializado deve ter um documento legível que comprove a condição, contendo o nome completo do participante; diagnóstico com a descrição da condição que motivou a solicitação e o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10); assinatura e identificação do profissional competente, com respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), registro do Ministério da Saúde (RMS) ou registro de órgão competente. O documento deve estar no formato PDF, PNG ou JPG e ter até 2MB. Quem solicitou atendimento especializado em edições anteriores e teve o pedido aprovado não precisa enviar outro laudo se a solicitação atual for para o mesmo atendimento.

    O participante com transtorno global do desenvolvimento (dislexia, discalculia e déficit de atenção) poderá apresentar declaração ou parecer, com seu nome completo, emitida e assinada por entidade ou profissional habilitado, na área da saúde ou similar, com a descrição do transtorno, a identificação da entidade e do profissional declarante.

    ATENDIMENTO ESPECÍFICO

    Tipos – Gestante, idoso, lactante, estudante em classe hospitalar, outra situação específica.

    Recursos e auxílios de acessibilidade –  Sala de fácil acesso, mesa e cadeira sem braços, apoio para perna e pés.

    Exigências – A candidata lactante que necessitar amamentar a criança durante a realização das provas e solicitar atendimento específico no ato da inscrição deverá, obrigatoriamente, levar um acompanhante adulto, que ficará em sala reservada e será responsável pela criança enquanto a candidata estiver em sala de provas.

    O participante em situação de classe hospitalar – aquele cujo processo formal de escolarização ocorre no interior de instituição hospitalar ou afim, na condição de estudante internado para tratamento de saúde – deve apresentar, durante a inscrição, declaração do hospital, informando a disponibilidade de instalações adequadas para a aplicação do exame. A declaração precisa conter o nome completo do participante internado e o seu CPF; o diagnóstico, com a descrição da condição que motivou a solicitação; o nome e o endereço completo do hospital, com UF, município, bairro, logradouro e CEP; a assinatura e a identificação do médico e/ou profissional especializado responsável. O documento deve estar no formato PDF, PNG ou JPG e ter até 2MB.

    Clique aqui para acessar a Página do Participante.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Estudantes têm prazo até esta sexta, 18, para se inscrever


    Estudantes que desejam fazer as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 devem ficar atentos. O prazo para fazer a inscrição acaba nesta sexta-feira, 18, às 23h59 (horário de Brasília). Até as 10h do último dia, o monitoramento feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação, que aplica o exame, registrou 5,9 milhões de inscritos.

    O Inep lembra que a data limite para que os interessados paguem a taxa de inscrição, pela Guia de Recolhimento da União (GRU), no valor de R$ 82, termina em 23 de maio, quarta-feira da próxima semana. O órgão recomenda, no entanto, que quem pagou este valor retorne à Página do Participante para conferir a situação de sua inscrição. A confirmação do pagamento do boleto pela instituição bancária pode levar de três a cinco dias úteis.

    Para a edição 2018 do Enem, 3.361.468 pessoas já estão beneficiadas com a gratuidade por se enquadrarem em um dos quatro perfis que davam direito à isenção. Neste caso, o Inep faz outro alerta: mesmo com o benefício, esses candidatos precisam se inscrever. Excepcionalmente este ano, em função da mudança no formato que separou a isenção da inscrição, todos os concluintes do ensino médio em 2018, e que estudam em escola da rede pública, estão isentos.

    O Inep também reforçou que a gratuidade está garantida mesmo para aqueles concluintes que eram treineiros em 2017 e faltaram às provas, e para aqueles que, por algum motivo, não solicitaram a isenção, em abril. Os concluintes da rede pública, dessa forma, estão dispensados de pagar a taxa de inscrição do exame 2018.

    Cores – Durante o procedimento de preenchimento de dados, apenas duas opções de mensagens aparecem ao final da inscrição. O participante verá a mensagem “Inscrição concluída com sucesso” ou outra constando a informação “Inscrição aguardando o pagamento da GRU”, juntamente com a imagem da GRU, que é um boleto do Banco do Brasil.

    A frase “Inscrição concluída com sucesso”, em verde, aparece para todos os participantes que estão isentos do pagamento da taxa de inscrição do exame. Três tipos de participantes estão nessa situação: participante com solicitação de isenção da taxa de inscrição aprovada; concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que se ausentou em 2017 e teve justificativa de ausência reprovada; e concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que não solicitou isenção.

    Já a mensagem “Inscrição aguardando o pagamento da GRU”, em vermelho, juntamente com um boleto do Banco do Brasil, aparece para todos os participantes que precisam pagar a taxa de inscrição do Enem 2018, até 23 de maio, por não se enquadrarem nos critérios de isenção. Dois tipos de participantes estão nessa situação: os com solicitação de isenção da taxa de inscrição reprovada; os demais no primeiro acesso ao sistema.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Exame Nacional do Ensino Médio abre inscrições estreando novo formato para a edição de 2018


    Após um prejuízo de R$ 962 milhões, nas últimas cinco edições, por causa de ausência de participantes, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 abre suas inscrições nesta segunda-feira, 7, estreando novo formato. A 20ª edição do Enem, com provas marcadas para 4 e 11 de novembro, consolida uma série de melhorias implementadas pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para frear o desperdício do dinheiro público e aumentar a segurança. Desde meados de 2016, estudos e planejamento permitiram fazer um exame mais barato e ainda mais seguro.

    O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou que o Enem 2018 tem uma série de novidades, entre elas um processo de inscrição prévia para os candidatos que desejam manter a isenção, com a necessidade daqueles que faltaram ao exame passado justificarem a sua falta. “Isso é muito importante, pois nós temos quase R$ 1 bilhão desperdiçados quando reunimos as últimas cinco edições do Enem”, explicou o ministro. “É importante que o Brasil avance na responsabilidade desse processo para que a gente gere economia e aplique esse recurso em outras áreas da educação.”

    Enquanto o período de inscrições vai até as 23h59 (horário de Brasília) de 18 de maio, o prazo para pagamento da taxa de inscrição é maior, terminando em 23 de maio. O pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) pode ser feito por meio de instituições bancárias, agências dos Correios e casas lotéricas. Mesmo para os pagantes, o MEC segue subsidiando parte dos gastos. Em 2017, o custo do Enem por candidato fechou em R$ 87,54, enquanto o do Enem 2016 foi de R$ 90,64. 

    A inscrição posterior às solicitações de isenção e justificativas de ausência dá mais oportunidades a quem realmente tem direito à gratuidade, pois permite a criação de um período para interposição de recursos. Além disso, coíbe a reincidência dos ausentes. Ao todo, 3.361.468 pessoas já estão beneficiadas com a gratuidade, e os 88% de isenções aprovadas ao término do período de recursos revelam o sucesso da iniciativa inédita.

    Este também é o Enem com a maior oportunidade de isenção, apresentando quatro perfis de beneficiados. Pela primeira vez, quem obteve nota mínima para certificação do ensino médio nas áreas para as quais se inscreveu no Encceja 2017 teve direito a não pagar. E mesmo aqueles que não têm direito à isenção podem se beneficiar de uma taxa de inscrição sem reajustes. O valor será o mesmo do ano passado: R$ 82. Todos os interessados em prestar o Enem 2018 devem se inscrever, incluídos aqueles que já solicitaram a isenção entre 2 e 15 de abril e os que entraram com recurso entre 23 e 29 de abril, independentemente do resultado.

    A redução nos custos por participante é resultado de uma série de estudos e adequações do Inep visando à maior eficiência na gestão dos gastos. O dinheiro economizado, por sua vez, foi revertido na ampliação dos recursos de segurança, como a prova personalizada, o maior número de detectores de metal e a introdução dos detectores de ponto eletrônico, recursos que serão ampliados no Enem 2018. Também está mantida a parceria com a Polícia Federal, que já permitiu identificar e prender organizações criminosas e anular o resultado de participantes que fraudaram o Exame.

    Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, na sede do MEC, em Brasília, foram apresentados os dados consolidados de solicitação de isenção e justificativa de ausência.

    O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou a importância da obrigatoriedade de justificativa de falta no exame anterior. “Isso é muito importante, pois nós temos quase R$ 1 bilhão desperdiçados quando reunimos as últimas cinco edições do Enem” (Foto: Mariana Leal/MEC)

    Isenção – Das 3.818.663 pessoas que solicitaram isenção, 3.318.149 tiveram os pedidos aprovados. Dentre as 500.513 que tiveram a solicitação reprovada, 35.437 entraram com recurso. Após a análise dos novos documentos, foram aprovados 26.339 recursos relacionados à isenção, elevando para 3.361.468 o número total de participantes isentos no Enem 2018.

    Tiveram direito à isenção aqueles que estão cursando a última série do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública; obtiveram nota mínima para certificação do ensino médio nas áreas para as quais se inscreveram no Encceja 2017; cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada; têm renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio; estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica por serem membros de família de baixa renda que possua Número de Identificação Social (NIS), único e válido; e tenham renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

    Segundo a presidente do Inep, Maria Inês Fini, os estudantes com direito ao benefício, por lei e por decreto, ou concluintes da escola pública, continuam sendo as mesmas pessoas que sempre tiveram direito à isenção da taxa de inscrição do Enem. “A diferença deste ano é que estamos solicitando que aqueles que fazem esse pedido e, que no ano de 2017 tiveram esse direito e não compareceram à prova, apresentem a justificativa tal qual está especificado no nosso edital”, ressaltou Maria Inês. “É nossa responsabilidade zelar pelo dinheiro público.”

    Justificativa de ausência – Assim como a solicitação de isenção antecipada, a justificativa de ausência é uma novidade desta edição, sendo uma oportunidade para quem tem direito à gratuidade, e faltou por motivo justo, comprovar a situação e se beneficiar novamente da isenção. Das 208.588 pessoas que tentaram justificar a ausência, apenas 8.486 apresentaram algum comprovante, sendo 4.345 aprovados. E 54.124 candidatos entraram com recurso para tentar justificar a ausência. Ao final, foram aprovados 1.357 recursos relacionados à ausência.

    A justificativa de ausência era necessária para aqueles que tiveram a isenção no ano passado, não compareceram aos dois dias de prova e pleiteavam nova isenção. As situações que permitiam justificativa eram relacionadas a acidentes de trânsito, assalto/furto, casamento, morte na família, acompanhamento de cônjuge, problema de saúde, maternidade, paternidade e trabalho.

    Orientações – As inscrições do Enem são feitas exclusivamente pela internet, na Página do Participante, disponível no portal do Inep. Todos os interessados em prestar o exame devem se inscrever, mesmo os que já conseguiram a isenção. O percurso e a quantidade de campos da inscrição serão menores para quem solicitou isenção e tentou justificar ausência, previamente, pois parte das informações já foram fornecidas. O Inep preparou tutoriais da inscrição completa e da inscrição simplificada, em português e em libras. 

    Passarão pelo SISTEMA SIMPLIFICADO
    Acesso com CPF e senha previamente cadastrada 
    - Participante com solicitação de isenção da taxa de inscrição aprovada
    Sem GRU
    - Participante com solicitação de isenção da taxa de inscrição reprovada
    Com GRU
    - Concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que se ausentou em 2017 e teve justificativa de ausência reprovada sem GRU (excepcionalmente no Enem 2018) 

    Passarão pelo SISTEMA COMPLETO
    Acesso com CPF e data de nascimento
    - Concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que não solicitou isenção sem GRU (excepcionalmente no Enem 2018)
    - Demais participantes / primeiro acesso ao sistema com GRU Outra novidade se refere ao atendimento especializado. Os participantes do Enem 2017 que tiveram laudo de comprovação do CID aprovado
    não precisarão apresentar novo laudo em 2018 se a solicitação for para a mesma necessidade.

    Cliqueaqui para fazer sua inscrição.

    Acesse os tutoriais em português e em libras.

    Veja a  apresentação da coletiva.

    07/05/2018 Coletiva de Imprensa ENEM 2018.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Exame tem a melhor aplicação desde 2009 e pela primeira vez não será necessária reaplicação


    O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 teve a melhor aplicação desde 2009, quando assumiu o formato atual. Neste domingo, 11, segundo e último dia, foram aplicadas as provas de matemática e ciências da natureza, sem ocorrências. Pela primeira vez, não será necessária uma reaplicação de prova, em função de problemas logísticos, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação, responsável pela elaboração e aplicação do exame. Atualmente, os resultados do Enem são usados para o ingresso de estudantes em 1.434 instituições educacionais no Brasil e em 35 em Portugal.

    O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou o trabalho realizado por todos os envolvidos na aplicação do Enem nos estados, nas escolas e nas redes de ensino. Para ele, a missão de levar a todos os participantes um exame dinâmico e plural foi cumprida. “A edição deste ano teve a melhor aplicação da história do Enem, um absoluto sucesso”, afirmou. “O processo foi totalmente tranquilo, levando-se em conta a proporção de participantes do exame com as ocorrências registradas. Todos que trabalharam e que realizaram as provas estão de parabéns”, destacou.

    Neste segundo dia de provas, o Enem registrou 1.610.681 ausências, o que representou 29,2% do total de 5.513.749 inscritos na edição. O número de abstenções, no entanto, considera as ausências nos dois dias de prova, e por isso só será divulgado após a conferência das atas de todos os locais de prova, dos dois dias do exame.

    O primeiro domingo registrou o menor percentual de ausentes desde 2009: 24,9%. O segundo dia teve 66 eliminações, sendo 64 por descumprimento de regras do edital, uma por problemas identificados na revista por detector de metal e uma por recusa de coleta do dado biométrico. O Inep também registrou 88 emergências médicas.

    A equipe do Inep criou um novo processo, sistematizado, para que candidatos prejudicados por problemas de logística tenham nova chance (Foto: André Nery/MEC)

    Ocorrência – Este ano, o Enem estreou um processo sistematizado pelo qual os participantes afetados por problemas logísticos poderão registrar uma ocorrência, no sentido de pleitear a reaplicação do exame. As análises serão feitas pelo Inep e os candidatos interessados terão até 19 deste mês para fazer a solicitação, pela Página do Participante. A ferramenta virtual estará disponível a partir da meia-noite desta segunda-feira, 12. O Inep divulgará os resultados dos pedidos por e-mail ou mensagem de celular (SMS).

    “O objetivo deste novo processo é que possamos entender se houve alguma ocorrência de logística, que será confrontada com as atas recolhidas pelos aplicadores e analisada para que, caso seja comprovado o problema, o estudante tenha uma nova oportunidade de fazer as provas, explicou a presidente do Inep, Maria Inês Fini. “É mais uma forma de comunicação de todos os envolvidos na elaboração e aplicação do Enem com a sociedade, para entender o que aconteceu de forma transparente.”

    Gabaritos – Os participantes afetados pela interrupção de energia elétrica no último domingo – 993 em Franca (SP) e 759 em Porto Nacional (TO) – terão direito à reaplicação das provas de linguagens, redação e ciências humanas. A reaplicação do Enem ocorre juntamente com a aplicação do Enem para Pessoas Privativas de Liberdade (PPL), em 11 e 12 de dezembro. Na próxima quarta-feira, 14, o Inep divulgará os gabaritos, bem como os cadernos de questões pela página na internet e pelo aplicativo do Enem. Os resultados oficiais estão programados para serem divulgados no dia 18 de janeiro de 2019.

    Veja a apresentação sobre o segundo dia de provas do Enem 2018.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Mais de 4 milhões já acessaram o cartão de confirmação da inscrição

    Até as 10h desta segunda-feira, 29, quando 4.072.209 inscritos na edição de 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já tinham consultado o cartão de confirmação de inscrição. O número representa 73,8% dos 5.513.727 inscritos confirmados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC. As provas serão realizadas nos dias 4 e 11 de novembro.

    O cartão de confirmação, disponível na página do participante e no aplicativo do Enem 2018, informa número de inscrição, local de prova (com endereço e número da sala), datas e horários do exame e opção de língua estrangeira escolhida, além de atendimentos específicos e/ou especializados e recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados. É preciso informar o CPF e a senha cadastrada na inscrição. Quem esqueceu a senha pode recuperá-la na página do Enem, por meio de um passo a passo elaborado pelo Inep.

    Não é necessário apresentar o cartão para ter acesso aos locais de prova – basta levar documento oficial com foto e caneta esferográfica de tubo transparente. O Inep, todavia, alerta para os participantes não deixarem para acessar o cartão na véspera da prova. Outra orientação é fazer o trajeto antes do dia do exame, para verificar a distância, o tempo gasto e a melhor forma de chegar ao local de prova, evitando atrasos no dia da aplicação.

    Veja a relação de acessos aos cartões por UF

    Confira mais informações na página do participante.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Número de inscrições para o exame supera os 4 milhões

    O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já tem mais de 4 milhões de inscritos. O número foi alcançado às 17h33 desta segunda-feira, 14 de maio. Os interessados em fazer o exame têm prazo até 23h59 desta sexta-feira, 18, para se inscrever. O prazo para pagar a taxa de inscrição, de R$ 82, termina em 23 de maio. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) recomenda que todos os pagantes retornem à Página do Participante para conferir a situação de sua inscrição. A confirmação do pagamento do boleto pela instituição bancária leva de três a cinco dias úteis.

    Ao todo, 3.361.468 pessoas já estão beneficiadas com a gratuidade por se enquadrarem em um dos quatro perfis que davam direito à isenção, mas mesmo assim precisam se inscrever. Excepcionalmente este ano, em função da mudança no formato que separou a isenção da inscrição, todos os concluintes do ensino médio em 2018 e que estudam em escola da rede pública estão isentos. A gratuidade está garantida mesmo para aqueles que eram treineiros em 2017 e faltaram às provas, e para aqueles que, por algum motivo, não solicitaram a isenção em abril. Os concluintes da rede pública, portanto, estão dispensados de pagar a taxa de inscrição.

    Apenas duas opções de mensagens aparecem ao final da inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. O participante verá a mensagem “Inscrição concluída com sucesso” ou a mensagem “Inscrição aguardando o pagamento da GRU”, juntamente com a imagem da Guia de Recolhimento da União (GRU), que é um boleto do Banco do Brasil.

    Concluída – A frase “Inscrição concluída com sucesso”, escrita em verde, aparece para todos os participantes que estão isentos do pagamento da taxa de inscrição do Enem 2018. Três tipos de participantes estão nessa situação: participante com solicitação de isenção da taxa de inscrição aprovada; concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que se ausentou em 2017 e teve justificativa de ausência reprovada; concluinte do ensino médio, em 2018, em escola da rede pública, que não solicitou isenção.

    Pagamento – A frase “Inscrição aguardando o pagamento da GRU”, escrita em vermelho, juntamente com um boleto do Banco do Brasil, aparece para todos os participantes que precisam pagar a taxa de inscrição do Enem 2018, no valor de R$ 82, até 23 de maio, por não se enquadrarem nos critérios de isenção. Dois tipos de participantes estão nessa situação: participante com solicitação de isenção da taxa de inscrição reprovada; demais participantes no primeiro acesso ao sistema.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Programa ensina a evitar falsas notícias ao estudar para o Enem

    A preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 já começou, trazendo aquela questão chave que acompanha todos os exames: o tema da prova de redação. O programa Hora do Enem, da TV Escola, que acaba de estrear nova temporada, discute na próxima semana a proliferação de notícias falsas na internet, além de abordar questões de matemática, sociologia, língua inglesa e física. O programa vai ao ar diariamente às 7h, às 13h e às 18h.

    Segunda-feira, 16, é dia de matemática, com análise de gráficos e engenharia de transporte. O Professor Vitor Israel resolve uma questão sobre análise de gráficos. Para completar, uma conversa com a engenheira responsável pela organização do trânsito no Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo e as Olimpíadas, Mariana Baltar. Ela conta tudo sobre a matemática envolvida nesse desafio.

    Sociologia é o tema desta terça-feira, 17, quando a professora Cristiane Cândido discute cultura escravagista. Na pauta, também há uma entrevista com a socióloga Andréa Lopes, que mostra como a sociologia pensa os desafios vividos pelos universitários brasileiros.

    Na aula de língua inglesa, quarta-feira, 18, o professor Gustavo Gomes revisa uma questão sobre interpretação de texto. E também está previsto um papo sinistro com o tradutor Bruno Dorigatti, da Darkside, editora especializada em terror e fantasia.

    A quinta-feira, 19, é dia de física. O professor Rafael Vilaça ensina sobre a associação de resistores. Em seguida, o programa traz um bate papo com a ganhadora da medalha de ouro na Olimpíada Mundial de Energia Nuclear de 2015, Alice Cunha.

    E, no dia dedicado à redação do Enem, sexta-feira, 20, o programa orienta o candidato a buscar fontes confiáveis e ficar longe das fake news, e apresenta outros temas que podem cair na redação de 2018. Terá como convidados a jornalista Juliana Dal Piva e o professor Walace Cestari. Juliana é especialista em checagem de veracidade de informações, atividade que chega ao Brasil com o nome de fact checking.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página