Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Confira o terceiro de 10 episódios produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    Como trabalhar as primeiras práticas de alfabetização de crianças entre 6 e 7 anos. Esse é o ponto-chave do terceiro episódio da série da TV MEC "Como aproveitar o tempo com as crianças". A série é baseada no material dos programas Conta pra Mim e Tempo de Aprender.

    O material é destinado a pais, mães e responsáveis que queiram estimular a leitura dos filhos em casa. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter as crianças em contato com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas. Confira o segundo vídeo da série da TV MEC:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Na Câmara, ministro listou programas da educação básica à superior lançados pela pasta


    Dyelle Menezes e Guilherme Pera, do Portal MEC

    “É a maior revolução na área de ensino no país nos últimos 20 anos”. Assim o ministro da Educação, Abraham Weintraub, definiu o conjunto de programas lançados pela atual gestão da pasta. A declaração foi dada em sessão da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 11 de dezembro.

    O titular do Ministério da Educação (MEC) comparece pela oitava vez ao Congresso Nacional desde que assumiu o cargo, em abril. Desta vez, para falar sobre uso de drogas nos campi universitários. Questionado sobre ausência de pautas, listou programas tocados pelo MEC.

    Entre os exemplos citados estão:

    • Future-se: lançado em 17 de julho, tem o objetivo de dar maior autonomia financeira a universidades e institutos por meio do fomento à captação de recursos próprios e ao empreendedorismo;
    • Novos Caminhos: uma série de medidas para aumentar em 80% o número de matrículas na educação profissional e tecnológica;
    • Educação Conectada: MEC repassou R$ 224 milhões para conectar 100% das escolas aptas a receber internet e R$ 60 milhões para levar acesso à web a 8 mil rurais;
    • Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares: visa à implantação de 216 escolas cívico-militares até 2023. Para 2020, há R$ 54 milhões para 54 escolas, ou R$ 1 milhão por instituição de ensino;
    • Conta pra Mim: programa de estímulo à literacia familiar, ou seja, de leitura pela família para as crianças;• Política Nacional de Alfabetização: decreto com novas diretrizes para a alfabetização do país, baseadas em evidências científicas.

    O ministro ainda destacou a liberação de recursos extras para as universidades federais em 2019. No final de novembro, o MEC liberou R$ 125 milhões a mais para investimento na conclusão de obras que melhorem o gasto público e em energia limpa, isto é, na aquisição de placas fotovoltaicas para diminuir despesas com energia elétrica. A medida foi tomada depois da liberação de 100% do orçamento para as universidades federais.

    Esta é a oitava visita de Weintraub como ministro da Educação ao Congresso Nacional. O diálogo com parlamentares ao longo desses encontros envolveu temas como o Future-se, contingenciamento de recursos, a reformulação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) e a necessidade de maior investimento na educação básica.


    11/12/2019 - Reunião de comparecimento à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.  Fotos: Luis Fortes/MEC

  • Série produzida pela TV MEC vai ter 10 vídeos com conteúdo de literacia familiar e alfabetização

    Quer saber como aproveitar o período de maior afastamento social para aumentar o vínculo com seus filhos e ainda aprender a trabalhar aspectos importantes para alfabetização deles? O Ministério da Educação (MEC) preparou uma série de 10 vídeos com dicas de literacia familiar e alfabetização para ajudar as famílias. A série é baseada no material dos programas Conta pra Mim e Tempo de Aprender.

    As técnicas que serão apresentadas podem ser utilizadas por pais e responsáveis e contribuem para a aprendizagem das crianças que estão longe da sala de aula. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter os pequenos envolvidos com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas.

    Confira o vídeo de apresentação da série da TV MEC:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Confira o segundo de 10 episódios produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização


    Interação verbal é o ponto-chave do segundo episódio da série da TV MEC "Como aproveitar o tempo com as crianças". O vídeo contém dicas de técnica e conteúdo para conversas, leituras e contações de histórias para os pequenos. A série é baseada no material dos programas Conta pra Mim e Tempo de Aprender.

    O material é destinado a pais, mães e responsáveis que queiram estimular a leitura dos filhos em casa. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter as crianças em contato com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas.

    Confira o segundo vídeo da série da TV MEC:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Itinerário da mascote estimula contação de histórias e incentiva novos contadores mirins a se aventurarem pelo mundo da literatura


    O urso Tito, mascote do Conta pra Mim, em Recife (PE) (Foto: Grupo Four Midia/Divulgação - 19/01/2020)


    Tatiana Sócrates, do Portal MEC

    Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife e Fortaleza. As cinco capitais receberam, entre 10 e 23 de janeiro, a visita do ursinho Tito com sua campanha em prol da literacia familiar. Os locais escolhidos foram shoppings centers por serem pontos onde crianças, acompanhadas de familiares ou amigos, circulam dia e noite.

    A mascote do programa Conta pra Mim, como de praxe, ficou dois dias em cada cidade, mas o cantinho de leitura permaneceu com suas atividades ao longo de 10 dias nos centros de lazer, sempre com a presença dos contadores de histórias, treinados pelo Ministério da Educação (MEC).

    Tito nas cidades – Na capital gaúcha, onde Tito esteve nos dias 10 e 11 de janeiro para abrir a campanha, o grande diferencial foi o fato de o contador de histórias Lucas Bassualdo, 27 anos, ser fluente em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ele realizou a campanha nessa linguagem, interagindo com crianças e pais. O objetivo foi fazer esse público infantil ser igualmente impactado com a prática da literacia familiar.

    Nos dias 13 e 14, em Curitiba, Camila Lima de Assis Monteiro, 22 anos, integrante do Movimento Escoteiro, e o ursinho aproveitaram a experiência do escotismo para aplicá-la às atividades educativas de forma especialmente lúdica. Prendeu a atenção das crianças e conseguiu, assim, passar a mensagem da campanha aos pais.

    No shopping baiano, os dias 16 e 17 de janeiro foram marcados pela ação efetiva da cantora profissional Maira Lins de Queiroz Pereira, 27 anos, e da mascote. Além disso, a equipe ofertou lápis de cores no cantinho da leitura para as crianças realizarem as atividades do livreto que ganharam. Isso permitiu com que a meninada quisesse permanecer no espaço o máximo de tempo possível. A contadora ainda fez rodas de canto e danças com as crianças e seus responsáveis.

    Nos dias 19 e 20, foi a vez de Tito chegar a Recife. Juliana Domingos da Silva Souza, 35 anos, utilizou técnicas de audiodescrição para promover a inclusão de pessoas com deficiência visual na ação. 

    Atriz profissional e professora, Steffanny Bezerra, 32 anos, de Fortaleza, teve um jeito especial de praticar a contação de histórias não apenas nos dois dias, 22 e 23 de janeiro, com a presença de Tito, mas ao longo dos 10 dias seguintes. Atraindo crianças, jovens e adultos, ela repassou a mensagem principal do Conta pra Mim: pratiquem a literacia familiar em casa.

    Conta pra Mim – Lançado em dezembro de 2019, o programa visa a difundir a prática da literacia familiar, ou seja, de pais, mães e responsáveis lerem para as crianças. A iniciativa faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA) e reúne uma série de materiais para orientar as famílias a como contribuir na construção do projeto de vida e do sucesso escolar dos pequenos.

  • Em dezembro do ano passado, mascote do programa Conta pra Mim esteve em quatro capitais do país e atraiu admiradores por onde passou


    Tatiana Sócrates, do Portal MEC

    A visita de Tito, mascote do programa Conta pra Mim, do Ministério da Educação (MEC), a quatro capitais do país encantou crianças, adolescentes, adultos e idosos. Essa foi a percepção dos contadores de histórias de Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, cidades que receberam o ursinho fofo em dezembro com muita diversão e contação de histórias.

    Foi o caso, por exemplo, de Arnaldo Ramalho, 42 anos, de São Paulo, e Walace Pinheiro, 24 anos, do Rio de Janeiro. Os dois foram treinados pelo MEC para contarem histórias, junto com o Tito, nos shoppings de suas cidades durante 10 dias. O desafio deles foi plantar a semente da leitura em família na garotada.

    Dedicado ao trabalho com educação e contação de histórias há 20 anos, Ramalho considera o programa do MEC a realização de um sonho. “Foi muito interessante falar sobre literacia familiar com os pais e ter contato com eles. Vê-los levar os filhos, voltarem com os sobrinhos e continuarem indo todos os dias. Foi muito gratificante”, comemora. “Um pai me falou que nos dias posteriores a filha pediu para ele ler livro em voz alta para ela, como um contador de história”, lembra.

    Para Ramalho, casos como esses comovem e mostram que o MEC está no caminho certo. “Há uma troca e há interesse dos pais. O lado bom é eles entenderem que podem fazer isso em casa. A literacia familiar é criatividade, é fazer a contação das histórias com pano de prato, colher, o que for para ilustrar as cenas”, empolga-se. “Poder falar com os pais sobre isso foi incrível”, revela Ramalho.

    Na visão de Walace Pinheiro, o personagem Tito, além de encantar a todos, é o grande atrativo e o convite para as pessoas entrarem nessa jornada literária. Para ele, o treinamento dado pelo MEC foi essencial para ele entender o conceito de literacia familiar e sua importância para as famílias.

    O que chamou a atenção do contador carioca foi que a contação de histórias com livros deixou os pequenos com os olhos brilhando mesmo na era da tecnologia. “Foi natural! Eu percebi que existem muito mais crianças interessadas na leitura e no mundo lúdico do que eu imaginava. Isso é lindo e mostra que o projeto é potente, sim, e funciona, sim”, garante. Ele lembra que um menino de nove anos pediu ao pai para ficar um pouquinho, mas acabou ficando duas horas. “Ele perguntava tudo e ele não queria ouvir a leitura, mas queria que contássemos a história”, diz.

    É exatamente esse o objetivo do projeto Conta pra Mim: desenvolver atividades simples, mas capazes de influenciar significativamente no desenvolvimento intelectual já na fase pré-alfabetização, antes do começo das primeiras aulas na escola. Meninos e meninas que são estimulados desde cedo à leitura e à brincadeira dentro de casa tendem a chegar mais aptos e habilidosos nos anos iniciais do ensino fundamental.

    O programa Conta pra Mim faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA), lançada pelo governo federal em abril de 2019. Em janeiro, o Tito leva sua alegria a outras cinco capitais brasileiras, no Sul e no Nordeste. Confira a programação:

  • Vídeos são produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    A série “Como aproveitar o tempo com as crianças”, produzida pela TV MEC, ganhou mais episódios. No 11º vÍdeo, a série ensina os pequenos a converter as letras escritas em sons para pronunciarem as palavras – técnica conhecida como decodificação. Essa é mais uma das estratégias do curso Práticas de Alfabetização do programa Tempo de Aprender do Ministério da Educação (MEC).

    Os vídeos da série são baseados no material dos programas Conta pra Mim, que incentiva a Literacia Familiar por meio da prática da leitura em família, e Tempo de Aprender, que aprimora estratégias de alfabetização no ensino infantil. Os programas são da Secretaria de Alfabetização (Sealf) do MEC.

    Os episódios são destinados a pais, mães e responsáveis que queiram estimular a leitura dos filhos em casa. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter as crianças em contato com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas.

    Não perca essa jornada de interação com os pequenos e confira o 11º vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Vídeos são produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    A motivação é fundamental para aumentar o interesse e o desempenho dos pequenos nas práticas que envolvem a fala, a escuta, a leitura e a escrita. Os pais são fundamentais nessa jornada, pois servem de exemplo para a garotada. Esse é o tema do 12º episódio da série “Como aproveitar o tempo com as crianças”, produzida pela TV MEC.

    Os assuntos abordados pela série nos vídeos são selecionados de acordo com o material de dois programas da Secretaria de Alfabetização (Sealf) do MEC: Conta pra Mim e Tempo de Aprender. O primeiro incentiva a prática da leitura em família. O segundo aprimora estratégias de alfabetização no ensino infantil.

    Os episódios são destinados a mães, pais e responsáveis que queiram estimular a leitura e a escrita das crianças em casa. As práticas são simples e instrutivas para que todos possam utilizá-las. A ideia é manter as crianças em atividade, para assim não perderem o ritmo de aprendizagem na volta às aulas.

    Não perca essa chance de interagir, ensinar e aprender com as crianças. Confira o 12º vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social

  •  

    Vídeos são produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    Ensinar os pequenos a reconhecerem os sinais gráficos é um passo importante para que eles tenham uma leitura mais precisa, além de ajudar a expandir o universo de palavras que eles conseguem ler. Esse é o tema do 13º episódio da série “Como aproveitar o tempo com as crianças”, produzida pela TV MEC.

    Os assuntos abordados pela série nos vídeos são selecionados de acordo com o material de dois programas da Secretaria de Alfabetização (Sealf) do MEC: Conta pra Mim e Tempo de Aprender. O primeiro incentiva a prática da leitura em família. O segundo aprimora estratégias de alfabetização no ensino infantil.

    Os episódios são destinados a mães, pais e responsáveis que queiram estimular a leitura e a escrita das crianças em casa. As práticas são simples e instrutivas para que todos possam utilizá-las. A ideia é manter as crianças em atividade, para assim não perderem o ritmo de aprendizagem na volta às aulas.

    Não perca essa chance de interagir, ensinar e aprender com as crianças. Confira o 13º vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Vídeos são produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    Estimular a conversa com os bebês desde o ventre e manter esse hábito depois que nascem ajuda o bebê a ter familiaridade com as vozes dos pais e dos sons das palavras. Essas fofuras conseguem assimilar o mundo ao redor através da audição, da visão e de muitas brincadeiras. Esse É o tema do 14º episódio da série “Como aproveitar o tempo com as crianças”, produzida pela TV MEC.

    Os assuntos abordados pela série nos vídeos são selecionados de acordo com o material de dois programas da Secretaria de Alfabetização (Sealf) do MEC: Conta pra Mim e Tempo de Aprender. O primeiro incentiva a prática da leitura em família. O segundo aprimora estratégias de alfabetização no ensino infantil.

    Os episódios são destinados a mães, pais e responsáveis que queiram estimular a leitura e a escrita das crianças em casa. As práticas são simples e instrutivas para que todos possam utilizá-las. A ideia é manter as crianças em atividade, para assim não perderem o ritmo de aprendizagem na volta às aulas.

    Não perca essa chance de interagir, ensinar e aprender com as crianças. Confira o 14º vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Vídeos são produzidos pela TV MEC com conteúdos de literacia familiar e alfabetização

    A percepção de sons iguais ou semelhantes pelos pequenos, em fase de alfabetização, é o tema do sétimo vídeo da TV MEC sobre Como Aproveitar o Tempo com as Crianças. Os vídeos são baseados no material dos programas Conta pra Mim e Tempo de Aprender.

    Na faixa etária entre 6 e 7 anos, em que a criançada já começa a aprender a ler, escrever e já é capaz de reconhecer rimas e aliterações. O episódio incentiva pais ou responsáveis a darem um passo além: usar o lado lúdico para os pequenos identificarem fonemas iniciais e finais das mais diversas palavras por meio de brincadeiras.

    A série, que terá 10 episódios, é destinada a pais, mães e responsáveis que queiram estimular a leitura dos filhos em casa. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter as crianças em contato com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas.

    Não perca essa jornada de interação com os pequenos e confira o sétimo vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social

  • A narração de histórias promove momentos muitos especiais entre pais e filhos. Essa prática de literacia familiar está no sexto episódio da série "Como aproveitar o tempo com as crianças", produzida pela TV MEC. Os vídeos são baseados no material dos programas Conta pra Mim e Tempo de Aprender da Secretaria de Alfabetização (Sealf) do Ministério da Educação (MEC).

    A série, que terá 10 episódios, é destinada a pais, mães e responsáveis que queiram estimular a leitura dos filhos em casa. Foram selecionadas práticas simples e instrutivas para que todos possam utilizar. O propósito é manter as crianças em contato com a aprendizagem para que não percam o ritmo na volta às aulas.

    Não perca essa jornada de interação com os pequenos e confira o quinto vídeo da série da TV:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Ursinho vai ajudar famílias a promover a leitura dentro de casa

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, apresenta o Tito, mascote do "Conta pra Mim" (Foto: Gabriel Jabur/MEC)


    Dyelle Menezes, do Portal MEC

    Sorrisos, acenos e muita euforia. Foi com essas reações que um ursinho muito especial foi recebido no auditório do Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira (Inep), nesta quinta-feira, 5 de dezembro. Mais de 150 crianças lotaram o espaço para conhecerem o Tito, o mascote do programa Conta pra Mim. Ele foi apresentado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante o lançamento da iniciativa.

    A mascote foi criada para ser um símbolo do objetivo do Ministério da Educação (MEC) com o programa: incentivar a contação de histórias, a leitura em voz alta e o olhar olho no olho. Os gestos podem parecer simples, mas influenciam de forma muito significativa na capacidade intelectual já na fase pré-alfabetização de crianças, antes do começo das primeiras aulas na escola.

    O Tito vai acompanhar tudo isso, como parte da família. Aliás, o trabalho dele já começou. O pequeno Alexandre Souza Santos, 5 anos, foi uma das crianças que esperaram ansiosas a chegada do ursinho ao auditório. O aluno do primeiro ano do ensino fundamental afirmou que vai “dividir” o Tito com os familiares. “Gostei muito dele. Vou mostrar o Tito para os meus pais”, disse.

    Mais velho, Guilherme Oliveira Melo, 9 anos, destacou que achou tudo muito interessante na apresentação do programa, mas foi o Tito que ganhou seu coração. “Ter um mascotinho para incentivar a leitura em casa vai ajudar muito. Eu gosto muito de ler”, afirmou o aluno do terceiro ano do ensino fundamental.

    Já a colega de turma do Guilherme, a Maria Luiza Alves Rodrigues, 9 anos, lembrou de outro presente que foi entregue pelo MEC para os pequenos. “Vou mostrar o guia que ganhei para os meus pais e para os meus amigos. Vou recomendar para eles. Eu amo ler e vou mostrar para os meus pais como podem participar”, afirmou. O guia a que Maria Luiza se refere é uma das iniciativas do programa Conta pra Mim.

    Com apoio de especialistas na área da alfabetização da primeira infância, a publicação do MEC reúne uma espécie de passo a passo para explicar as melhores técnicas de literacia familiar. O material e os vídeos didáticos estão disponíveis para download no site do programa (link). O guia, voltado para as famílias, também pode ser adaptado à realidade da sala de aula.

    Além do guia, o kit entregue para as crianças na cerimônia de lançamento do Conta pra Mim tinha livros de histórias e de desenho, bloco de anotações, canetas, adesivo e giz de cera. A diversão já começou ali mesmo.

    Não foram só as crianças que gostaram do Tito. “Eu gostei muito do programa, mas eu vim aqui para conhecer o Tito, que vai levar um montão de historinhas para vocês”, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

    Conta pra mim - Para incentivar uma cultura de leitura no ambiente familiar, o Ministério da Educação (MEC) lançou o programa “Conta pra Mim”. A iniciativa faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA) e reúne uma série de materiais para orientar as famílias a como contribuir na construção do projeto de vida e do sucesso escolar dos pequenos.

  • É a terceira publicação de série de vídeos do programa Conta pra Mim, da Secretaria de Alfabetização do MEC

    Você já leu para o seu filho hoje? Para incentivar a literacia familiar, o programa Conta pra Mim do Ministério da Educação (MEC) lançou uma série de vídeos com dicas de livros para serem lidos para meninos e meninas de acordo com a faixa etária. No terceiro episódio da série, o público-alvo são as crianças de 5 a 7 anos.

    O vídeo indica que as obras devem conter:

    • poucas frases, muitas ilustrações;
    • enredo simples (como os começados em “era uma vez”);
    • padrões repetitivos (exemplo: “Três pratos de trigo para três tigres tristes”);
    • textos rimados;
    • temas como: animais, super-heróis e esportes.

    Série – Os vídeos, que irão ajudar pais e responsáveis a escolherem livros para os filhos, são mais uma ação do programa Conta pra Mim, da Secretaria de Alfabetização do MEC. O programa foi lançado em dezembro de 2019 para incentivar uma cultura de leitura no ambiente familiar.

    As sugestões apresentadas na série também estão no Guia de Literacia Familiar do programa, que possui orientações e dicas simples e diretas para que as famílias comecem o quanto antes a colocar em prática estratégias de leitura em casa antes de os pequenos iniciarem a alfabetização na escola.

    A série abrange as seguintes faixas etárias:

    • 0 a 3 anos;
    • 3 a 5 anos;
    • 5 a 7 anos;
    • 7 a 9 anos;
    • 9 anos ou mais.
  • É a quarta publicação de série de vídeos do programa Conta pra Mim, da Secretaria de Alfabetização do MEC

    O quarto episódio da série do Ministério da Educação (MEC) para incentivar a literacia familiar é destinado a crianças de 7 a 9 anos. Os vídeos são do programa Conta pra Mim e contêm dicas de livros para serem lidos para meninos e meninas de acordo com a faixa etária.

    De acordo com a Secretaria de Alfabetização do MEC, responsável pela iniciativa, os livros para as crianças de 7 a 9 anos deve conter:

    • narrativas envolventes;
    • conteúdos informativos que interessem as crianças;
    • mais textos e menos ilustrações.

    Série – Os vídeos, que têm o objetivo de ajudar pais e responsáveis a escolherem livros para os filhos, são mais uma ação do programa Conta pra Mim, da Secretaria de Alfabetização do MEC. O programa foi lançado em dezembro de 2019 para incentivar uma cultura de leitura no ambiente familiar.

    As sugestões apresentadas na série também estão no Guia de Literacia Familiar do programa, que possui orientações e dicas simples e diretas para que as famílias comecem o quanto antes a colocar em prática estratégias de leitura em casa antes de os pequenos iniciarem a alfabetização na escola.

    A série abrange as seguintes faixas etárias:

    • 0 a 3 anos;
    • 3 a 5 anos;
    • 5 a 7 anos;
    • 7 a 9 anos;
    • 9 anos ou mais.

    Assista ao vídeo:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Shoppings em Brasília, São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro receberão a mascote em espaços para alegria e contação de histórias até o final do ano

    Mascote Tito é apresentado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante lançamento do programa Conta pra Mim (Foto: Gabriel Jabur/MEC - 05/12/2019)


    Dyelle Menezes, do Portal MEC

    Incentivar a leitura para crianças no ambiente familiar. É com esse objetivo que o Tito, mascote do programa Conta pra Mim, do Ministério da Educação (MEC), embarcará em uma viagem pelo Brasil. Até o final do ano, ele vai visitar quatro capitais do país para levar diversão e muita contação de histórias. Brasília, São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro vão receber a visita do Tito. Ele vai passar dois dias em cada local, sempre de 12 horas às 20 horas.

    Além da presença do ursinho cheio de histórias, os shoppings irão ganhar espaços do Conta Pra Mim. No local, as famílias terão acesso a uma revista com várias dicas do Tito para as ajudar crianças a desenvolverem habilidades, atitudes e conhecimentos que facilitarão o processo de alfabetização. Os espaços permanecerão em shoppings durante 10 dias.

    Mas não é só o Tito que vai ajudar na diversão. Contadores de histórias treinados pela Secretaria de Alfabetização do MEC também estarão nos espaços Conta pra Mim. Eles vão ensinar práticas e atividades de literacia familiar, isto é, técnicas de interação durante a contação de histórias e de leitura em voz alta com as crianças, por exemplo.

    As atividades de literacia familiar são simples, mas capazes de influenciar significativamente no desenvolvimento intelectual já na fase pré-alfabetização, antes do começo das primeiras aulas na escola. Meninos e meninas que são estimulados desde cedo à leitura e à brincadeira dentro de casa tendem a chegar mais aptos e habilidosos nos anos iniciais do ensino fundamental.

    O programa Conta pra Mim faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA), lançada pelo governo federal em abril deste ano.

  • Programa tem o objetivo de estimular a leitura de forma lúdica e participativa entre pais e filhos


    Larissa Lima, do Portal MEC

    O Ministério da Educação (MEC) formalizou o programa Conta pra Mim. A iniciativa faz parte da Política Nacional de Alfabetização e tem o objetivo de orientar, estimular e promover práticas de literacia familiar em todo o território nacional.  

    A portaria que institui formalmente o programa, lançado em dezembro de 2019, foi publicada na edição desta sexta-feira, 24 de abril, do Diário Oficial da União (DOU).

    A literacia familiar é aplicada no dia a dia, na convivência entre pais e filhos. As práticas estimulam desde cedo a leitura de forma lúdica e participativa, o que faz as crianças chegarem mais preparadas aos anos iniciais do ensino fundamental, além de fortalecer o vínculo familiar. 

    De acordo com o secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, o Conta pra Mim mostra técnicas facilitadoras, precursoras, da alfabetização. “[As práticas] são importantes para que as crianças depois sejam alfabetizadas corretamente no primeiro ano do ensino fundamental. Os pais vão encorajar seus filhos a tomar gosto pela leitura. Eles serão exemplos de pessoas que cultivam hábitos de leitura. Serão leitores para os filhos”, disse. 

    O programa é destinado a todas as famílias brasileiras, em especial àquelas que estão em condições de vulnerabilidade social. Os materiais de apoio Conta Pra Mim visam orientar e estimular diversas práticas, tais como:

    • interação verbal: aumentar a quantidade e a qualidade dos diálogos com as crianças;
    • leitura dialogada: interagir com a criança antes, durante e após a leitura fazendo, por exemplo, perguntas sobre a história;
    • narração de histórias: contar histórias em voz alta;
    • contatos com a escrita: incentivar que a criança rabisque, desenhe, escreva e deixá-la sempre em contato com materiais escritos;
    • atividades diversas: jogos, brincadeiras, passeios, atividades artísticas e desportivas; 
    • motivação: ter altas expectativas em relação às crianças, motivando-as e incentivando-as no contato com leitura e escrita.  

    Explicações, exemplos e as primeiras orientações sobre essas práticas já podem ser encontradas no guia de literacia familiar presente no site alfabetizacao.mec.gov.br. O material foi produzido pelo MEC em consulta aos mais renomados especialistas em literacia familiar no Brasil e no mundo e pode ser utilizado pelas famílias por professores.

    As ações do programa são voluntárias e algumas das entregas seguirão critérios a serem estabelecidos pelo MEC. Todos os conteúdos são fundamentados em evidências científicas e em práticas exitosas nacionais e internacionais. 

    De acordo com a portaria, o programa objetiva atentar a sociedade para a importância da leitura em família, oferecer orientações sobre as melhores práticas de literacia familiar, incentivar o hábito de leitura na população, encorajar pais a se engajarem na vida escolar dos filhos e divulgar conhecimentos científicos sobre o tema. 

    O MEC vai ofertar materiais de orientação, cursos, atividades e outros recursos, visando instituir e facilitar práticas de literacia por parte das famílias. A pasta também poderá apoiar iniciativas locais e regionais de desenvolvimento de literacia familiar, por meio da disponibilização de materiais de orientação, capacitações e outros recursos, materiais e financeiros, que venham a ser necessários.

  • Programa, que faz parte da Política Nacional de Alfabetização, pretende estimular o desenvolvimento intelectual na primeira infância com técnicas simples usadas pelos pais dentro de casa

     

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante o lançamento do programa "Conta pra Mim" nesta quinta-feira, 5 de dezembro (Foto: Gabriel Jabur/MEC)


    Shismênia Oliveira, do Portal MEC

    A voz suave de uma mãe cantando para o bebê ainda na barriga, o pai narrando uma história de heróis para o filho antes de dormir e muita brincadeira. É nesse ambiente familiar e de afeto que a alfabetização das crianças começa a dar os primeiros passos. Para incentivar essa cultura, o Ministério da Educação (MEC) lançou, nesta quinta-feira, o programa “Conta pra Mim”. A iniciativa faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA) e reúne uma série de materiais para orientar as famílias a como contribuir na construção do projeto de vida e do sucesso escolar dos pequenos.

    Interagir durante a contação de histórias, ler em voz alta, olhar olho no olho. São gestos simples, mas capazes de influenciar significativamente no desenvolvimento intelectual já na fase pré-alfabetização, antes do começo das primeiras aulas na escola. A literacia familiar, como é chamada a técnica, é aplicada no dia a dia, na convivência entre pais e filhos. Meninos e meninas que são estimulados desde cedo à leitura e à brincadeira dentro de casa tendem a chegar mais aptos e habilidosos nos anos iniciais do ensino fundamental.

    Durante a cerimônia de lançamento do programa, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, destacou que a literacia familiar é uma atividade de carinho, amor e afetividade para desenvolver a capacidade de aprendizagem das crianças. “O programa é revolucionário, pela primeira vez existe uma iniciativa de valorização da leitura em família. [...] Cientificamente os resultados são muito robustos para as famílias que leem para seus filhos”, disse.

    E como desenvolver as atividades com os filhos? Primeiro, é preciso a sensibilização dos pais e responsáveis ao mostrá-los a importância de a educação ser conduzida no ambiente familiar. Um guia preparado pelo MEC, com apoio de especialistas na área da alfabetização da primeira infância, reúne uma espécie de passo a passo, explicando as melhores técnicas. O material e vídeos didáticos estão disponíveis para download no site do programa e também podem ser adaptados à realidade da sala de aula por professores.

    Entre as orientações contidas no guia estão:

    • Interpretação verbal: aumentar a quantidade e a qualidade dos diálogos com as crianças;
    • Leitura dialogada: interagir com a criança durante a leitura em voz alta, fazendo, por exemplo, perguntas sobre a história em si;
    • Narração de histórias: interagir com as crianças durante a contação de histórias;
    • Contatos com a escrita: familiarizar as crianças com a escrita;
    • Atividades diversas: jogar, brincar, cantar tocar instrumentos musicais, dançar, entre outros;
    • Motivação: aumentar a motivação das crianças em relação à leitura e à escrita.

    De acordo com o secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, o “Conta pra Mim” mostra técnicas facilitadoras, precursoras, da alfabetização. “[As práticas] são importantes para que as crianças depois sejam alfabetizadas corretamente no primeiro ano do ensino fundamental. Os pais vão encorajar seus filhos a tomar gosto pela leitura. Eles serão exemplo de pessoas que cultivam hábitos de leitura. Serão leitores para os filhos”, disse.

    Cantinhos Conta pra Mim - Para além do conteúdo virtual, o MEC vai destinar R$ 45 milhões para implantar o “Cantinho Conta pra Mim” em 2020. São cinco mil espaços que serão criados em creches, pré-escolas, museus e bibliotecas, até o fim do ano que vem, para receber as crianças e ensinar os pais a praticar as técnicas de literacia em casa.

    Uma bolsa de incentivo, entre R$ 300 e R$ 400, será paga a professores da rede pública estadual e municipal para trabalhem as atividades nesses locais. A ideia é o oferecer a cada família três oficinas com duração de uma hora, cada. Os tutores serão qualificados em um curso semi-presencial. Parte dos conteúdos serão aplicados por meio de uma plataforma online e a outra, pessoalmente, por técnicos da Secretaria de Alfabetização do MEC.

    O recurso também será utilizado para a confecção de “kits de literacia”, com distribuição de livros infantis, caderno de desenho, giz de cera e o guia de orientações.

    O ministério vai destinar esses espaços a famílias de baixa renda com crianças de 3 a 5 anos e que recebam o Bolsa Família. A previsão é de que mais de 1 milhão de brasileirinhos sejam beneficiados. O MEC estima ainda que dez mil bolsistas devam participar do programa. A adesão de municípios e estados ao programa vai acontecer no primeiro semestre do ano que vem.

    Base científica - Estudos internacionais afirmam que crianças estimuladas por meio da literacia familiar tendem a apresentar melhores resultados em testes internacionais como o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), o Progress in International Reading Literacy Study (PIRLS) e o Estudo de Tendências Internacionais de Matemática e Ciências (TIMSS). As práticas de linguagem, leitura e escrita entre pais e filhos são comuns em países mais desenvolvidos, a exemplo do Canadá e dos Estados Unidos.

    A iniciativa do MEC segue a Curva de Heckman, obra do vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2000, James Heckman. O economista observa ser maior o retorno social quão mais cedo for feito o investimento em educação. Com isso, a iniciativa possui o intuito de elevar o desempenho social e escolar do Brasil.

    05/12/2019 - Lançamento do Programa Conta Pra Mim - Fotos: Gabriel Jabur/MEC

  • Primeiro de cinco vídeos está publicado e dá sugestões para leitura aos pequenos de 0 a 3 anos

    Tatiana Sócrates, Portal do MEC

    Sabe qual tipo de livro é ideal para a idade do seu filho? Vai aí uma dica! Serão publicados vídeos nas páginas oficiais do Ministério da Educação (MEC) - um por semana - com dicas para selecionar livros de acordo com a faixa etária dos pequenos. Nas animações, há sugestões de ilustrações, cores, durabilidade, rimas, frases e outros itens para facilitar manuseio e a leitura no ambiente familiar.

    O primeiro vídeo da série foi publicado nesta quarta-feira, 4 de março, e destina-se a crianças de 0 a 3 anos. Confira as sugestões para que a leitura para crianças nessa faixa etária seja bem aproveitada:

    • Livros resistentes e duráveis: de papel grosso, de plástico e de pano;
    • Livros com ilustrações em cores fortes e contrastantes;
    • Livros com ilustrações ou fotografias de pessoas, bebês, animais e objetos;
    • Livros com rimas e letras de canções;
    • Livros com uma frase curta ou uma palavra por página e com predomínio de ilustrações.

    Confira o vídeo aqui.

    Série - Os vídeos, que irão ajudar pais e responsáveis a escolherem livros para os filhos, são mais uma ação do programa Conta pra Mim, da Secretaria de Alfabetização do MEC. O programa foi lançado em dezembro de 2019 para incentivar uma cultura de leitura no ambiente familiar.

    As sugestões apresentadas na série também estão no Guia de Literacia Familiar do programa, que possui orientações e dicas simples e diretas para que as famílias comecem o quanto antes a colocar em prática estratégias de leitura em casa antes de os pequenos iniciarem a alfabetização na escola.

    A série abrange as seguintes faixas etárias:

    • 0 a 3 anos;
    • 3 a 5 anos;
    • 5 a 7 anos;
    • 7 a 9 anos;
    • 9 anos ou mais.
  • Alunos alimentam-se com livros antes das aulas


    Literatura no café da manhã. Em Brejo Santo, no Ceará, um projeto de leitura tem ajudado os estudantes a terem gosto pelos livros. É o Café com Leitura. Essa delícia é realizada na cantina da escola Francisco Leite de Moura, onde é exposto um balaio cheio de obras paradidáticas, pequenos textos de diferentes gêneros e muitas gostosuras para serem saboreadas.

    Outro projeto implantado na rede de ensino municipal que tem chamado a atenção é o Educação Literária. São alunos do 2º ao 9º ano do ensino fundamental da escola Maria Benvinda Quental Lucena, que no início da aula fazem a leitura de um texto e depois debatem sobre o tema.

    Ambas as iniciativas tiveram início em escolas da região e, por meio da troca de experiências pedagógicas entre os estudantes, foram se espalhando. O principal objetivo é desenvolver o hábito da leitura de forma lúdica e prazerosa.

    Aluno da Francisco Leite de Moura, Kerrison Santana, de 7 anos, já pegou o gosto pela leitura. “Eu gosto muito do livro dos três porquinhos, do Pinóquio, da Chapeuzinho, da Branca de Neve e vários outros”, relatou.Para a professora Cícera Mônica, de língua portuguesa, a criança ter a chance de escolher um texto, ou um livro para ler silenciosamente, em voz alta, individualmente ou em pequeno grupo, enquanto faz seu lanche da manhã na escola, é uma experiência única.

    Na escola Maria Benvinda Quental Lucena, uma aluna do 6º ano foi medalhista na Olimpíada de Língua Portuguesa, na categoria “Relato de memória”, com o texto “Acende a fogueira do meu coração”.

    Mônica, que dá aula nas duas escolas, observou como as iniciativas são importantes para o desenvolvimento dos alunos. “Com a inserção dessas atividades exitosas nas aulas, os alunos do 2º ao 9º ano desenvolveram bastante suas habilidades e tornaram-se leitores fluentes e bons escritores”, disse.

    Segundo a professora, o hábito de leitura por meio dessas práticas tem demostrado avanço no processo de aprendizagem dos alunos. “A leitura é a base para construção do conhecimento; é um ato de grande importância porque além de favorecer o aprendizado de conteúdos específicos, aprimora a escrita. Quanto mais o aluno lê, mais ele aprende”, enfatizou.

    Conta pra Mim – O Ministério da Educação (MEC) conta com um programa de incentivo à leitura. É o “Conta pra Mim”, lançado em dezembro de 2019. O objetivo é difundir a prática da literacia familiar, ou seja: pais, mães ou responsáveis lerem para as crianças.

    A iniciativa faz parte da Política Nacional de Alfabetização (PNA) e reúne uma série de materiais para orientar as famílias a como contribuir na construção do projeto de vida e do sucesso escolar dos pequenos.

    Para conhecer o programa e ter acesso ao conteúdo acesse: http://alfabetizacao.mec.gov.br/ e conheça, também, as aventuras do ursinho Tito, a mascote da literacia familiar.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página