Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Estudantes do ensino médio se preparam para torneio internacional de física
Início do conteúdo da página
Professores do Brasil

Alunos carentes usam lixo para projeto de robótica premiado

  • Terça-feira, 14 de maio de 2019, 16h43
  • Última atualização em Terça-feira, 14 de maio de 2019, 16h59

Um dos projetos vencedores no Prêmio Professores do Brasil foi o “Robótica com Sucata, promovendo a sustentabilidade”, da professora Débora Garofalo. Ela foi premiada em 2018 por ensinar alunos a utilizar o lixo coletado nas ruas para transformar em soluções para problemas da comunidade.

“Quando eles (alunos) começaram a entender a importância de reutilizar, reciclar, dar novo destino aos lixos, colocando em prática diversas áreas do conhecimento, começaram a valorizar os estudos na vida deles”, afirma a professora da Escola Municipal de Educação Fundamental Almirante Ary Parreiras, em São Paulo.

A docente venceu o Prêmio Professores do Brasil em 2018, na categoria Ensino Fundamental: Anos Finais, que abrange do sexto ao nono ano dessa fase. Garofalo ensina matérias de tecnologia em uma área cercada por quatro favelas conhecidas pela violência. É a primeira mulher sul-americana entre os 10 melhores professores do mundo. Ficou entre os finalistas ao prêmio Global Teacher Prize, considerado o Nobel da educação.

A escola Ary Parreiras fica na Cidade Leonor, comunidade carente da Grande São Paulo. Sofre pela ausência de saneamento básico e alagamentos constantes causados pelo descarte de lixo em locais impróprios.

“Durante aulas públicas, percebemos o lixo como grande problema da localidade. A partir dessa questão, resolvemos trazer alguns desses materiais para a sala de aula e desenvolvemos nosso primeiro protótipo, que foi um carrinho movido a balão de ar”, conta a professora.

A intenção do projeto é dar a oportunidade ao aluno de intervir no lugar onde vive, por meio da reflexão para o descarte, reciclagem e reutilização, ao transformar o lixo em robótica com sucata.

Inscrições – Os professores de escolas públicas da educação básica têm prazo até 31 de maio para se inscrever no prêmio, que está na 12ª edição. É necessário enviar um relatório de alguma prática pedagógica desenvolvida com os alunos.

Registrar um processo vivido entre alunos e professores é uma forma de sistematizar o conhecimento do docente, o que garante o aprimoramento dos processos de ensino e aprendizagem.

Acesse a página de inscrições do prêmio 

Veja o relato de Débora Garofalo na íntegra  

Assista à série Professor Presente, com relatos semanais de professores vencedores do prêmio em 2018. Toda as quartas-feiras às 20h50 

 

Assessoria de Comunicação Social

 

X
Fim do conteúdo da página