Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Resolução que autoriza uso de nome social é homologada pelo Ministério da Educação
Início do conteúdo da página
Diversidade

Leitores recém-alfabetizados são público-alvo de prêmio

  • Sexta-feira, 24 de abril de 2009, 15h52
  • Última atualização em Sexta-feira, 24 de abril de 2009, 16h16
Escritores brasileiros, e africanos de língua portuguesa, têm um desafio em 2009: produzir obras destinadas a jovens e adultos que estão aprendendo a ler e a escrever em centenas de salas de aula em todo o país. Os novos leitores são cidadãos com mais de 15 anos. As obras literárias são para um público que não é criança, mas também não é leitor experimentado, explica Carmen Gatto, coordenadora de formação e leitura da Secretaria de Educação Continuada, alfabetização e Diversidade (Secad).

Concurso seleciona obras literárias para jovens e adultos do programa Brasil Alfabetizado. (João Bittar)Esta é a terceira edição do concurso Literatura para Todos, promovido pelo Ministério da Educação, e vai distribuir R$ 90 mil para oito escritores brasileiros e um escritor de país africano de língua portuguesa – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Cada autor selecionado receberá R$ 10 mil em dinheiro e terá sua obra publicada e distribuída pelo Ministério da Educação. As inscrições estarão abertas até 20 de julho.

Com mínimo de 30 e máximo de 40 páginas, as obras devem ser inéditas e específicas para novos leitores jovens e adultos. Podem concorrer textos nas modalidades: prosa (conto, novela ou crônica), poesia, perfil biográfico, dramaturgia e textos da tradição oral (em prosa ou em verso).

Carmen Gatto chama a atenção dos escritores para o público a quem se destinam os livros. São jovens e adultos em processo de alfabetização ou recém-alfabetizados. Para esses novos leitores, a coordenadora explica que tipo de literatura o Ministério quer lhe oferecer: livros com narrativa atraente e que não se confundam com tarefas escolares; textos que façam uma leitura do mundo, que favoreçam o envolvimento afetivo do leitor e que possibilitem a comunicação, compreensão, entendimento e crítica.

Entre os critérios de julgamento para a seleção das obras, o edital valoriza a linguagem que estimule a imaginação e a reflexão; e narrativas que contribuam para a construção da consciência individual, social e ética. Não serão aceitas obras com temas religiosos, que tratem de conduta moral ou com abordagens preconceituosas.

Conforme o Edital nº 7/2009, a inscrição no concurso acontece com o envio da obra pelo correio, no período de 20 de abril a 20 de julho de 2009. Os escritores africanos devem encaminhar suas obras para as embaixadas do Brasil em seus países.

Ionice Lorenzoni

Leia Mais...
Concurso já premiou 20 títulos
X
Fim do conteúdo da página