Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Resultados da edição de 2012 estão disponíveis para consulta
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Ensino profissional interiorizado vai atender o mercado de trabalho

  • Sexta-feira, 25 de agosto de 2006, 10h24
  • Última atualização em Segunda-feira, 21 de maio de 2007, 10h21

DivulgaçãoA pesquisa Geração do Emprego Industrial nas Capitais e no Interior do Brasil, publicada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), revelou que os empregos oferecidos por indústrias estão concentrados no interior do país. Para atender a essa demanda, o Ministério da Educação está interiorizando o ensino técnico e profissional. A expansão da rede federal vai construir cinco escolas técnicas federais (ETFs), quatro escolas agrotécnicas federais (EAFs) e 33 unidades descentralizadas vinculadas aos centros federais de educação tecnológica (Cefets).

De acordo com o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, as unidades atenderão todas as regiões do país, com ênfase em cidades do interior.

O estudo publicado pelo Senai foi realizado pelo professor de economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), João Sabóia, que analisou o quadro de vagas industriais ofertadas entre os anos de 2000 e 2004. “No conjunto dos cinco anos estudados, três de cada quatro empregos gerados localizam-se no interior. Em 2001 e 2003, houve inclusive redução de empregos nas capitais, enquanto foram criados empregos no interior”, concluiu na pesquisa.

Ao analisar os números do setor, o professor da UFRJ afirmou também que a faixa etária mais beneficiada com a geração de empregos industriais é a de jovens entre 18 e 24 anos.

A Lei nº 9.649, de 27 de maio de 1998, impedia a União de expandir a educação profissional. A alteração da lei, em novembro do ano passado, permitiu à União criar escolas técnicas, agrotécnicas federais e unidades descentralizadas, quando não for possível fazer parcerias com estados ou municípios, ONGs e o setor produtivo. A mudança viabilizou o plano de expansão da rede federal, permitindo a oferta de educação profissional nas regiões com menor de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Matrículas - Atualmente, 153 mil alunos estão matriculados no ensino superior tecnológico brasileiro, que possui mais de 3.500 cursos superiores. As áreas que mais oferecem cursos de tecnologia são a industrial, de informática e de gestão. Os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC) revelam ainda que em 1994 havia 23.861 vagas na educação profissional pública e privada, passando em 2004 para 200.458.

Repórter: Flavia Nery

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página