Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Indígenas de Roraima estudam informática
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Catálogo de cursos técnicos: aberto o debate

  • Segunda-feira, 05 de novembro de 2007, 16h19
  • Última atualização em Terça-feira, 06 de novembro de 2007, 07h39

Comissão de especialistas deve visitar 30 cursos de Direito ainda em 2007, diz Haddad. (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom)A partir desta segunda-feira, 5, está aberta a discussão sobre o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. “Estamos expandindo a educação superior, qualificando a educação básica, mas também temos que nos preocupar com a educação profissional”, afirmou o ministro da Educação, Fernando Haddad.

Os debates sobre o conteúdo do documento vão durar 90 dias. O objetivo é unificar a nomenclatura dos cursos, de acordo com as características científicas e tecnológicas. Segundo o ministro, a discussão sobre o catálogo vai ser acompanhada de outra, sobre as diretrizes para a educação profissional. “Estamos ampliando e regulando o acesso à educação profissional, de maneira que o percurso na carreira seja visível aos estudantes”, destaca Haddad.

O sentido pedagógico do catálogo é o de orientar estudantes e instituições de ensino e de apresentar possibilidades de novas ofertas de cursos. O ministro ressalta que o ensino médio ainda é o elo fragilizado na cadeia educacional. “Mas estamos caminhando para uma formação melhor dos estudantes. Com eixos tecnológicos bem definidos, a partir do catálogo, a juventude vai escolher melhor seus caminhos”, aponta.

O secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Eliezer Pacheco, concorda que a publicação terá impacto positivo. “Poderemos exigir que as ofertas de cursos primem pela qualidade e que efetivamente habilitem para o mercado de trabalho”, diz.

Nomenclaturas – A quantidade de nomenclaturas para os cursos técnicos chegava a 2,8 mil. Com a tabela de convergência, lista que relaciona as denominações de cursos atualmente em uso e aquelas constantes no catálogo, o número cai para 155. O curso de indústria com habilitação em eletrônica industrial na ênfase de operacionalização eletrônica, por exemplo, passa a ser chamado de eletrônica. Já o curso de ciências das massagens e bem-estar corporal será, apenas, massoterapia.

Quem deseja participar da audiência pública, que vai até dia 5 de fevereiro de 2008, e encaminhar propostas de inclusão de outros cursos ou de alteração nos nomes dos cursos já descritos na versão atual do catálogo, pode acessar a página do Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos para obter mais informações. 

Letícia Tancredi

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página