Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > A trajetória da mulher na educação brasileira
Início do conteúdo da página
Cooperação internacional

Casa do Brasil faz 50 anos como referência cultural na Espanha

  • Sexta-feira, 16 de novembro de 2012, 18h02
  • Última atualização em Segunda-feira, 19 de novembro de 2012, 10h15
A Casa do Brasil, residência de estudantes e centro cultural brasileiro em Madri, completou 50 anos. Inaugurada em 4 de junho de 1962, é o principal centro de ensino de língua portuguesa na Espanha, com cerca de dois mil alunos. Durante viagem àquele país, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, visita a casa nesta segunda-feira, 19, às 10 horas (horário local), e se encontra com estudantes brasileiros. Após a visita, o ministro será recebido no Palácio da Moncloa, às 11h30, pelo primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, e no Palácio Real, às 13h30, pelo rei Juan Carlos I.

Atualmente, 119 estudantes de várias nacionalidades residem na casa. Além de servir de residência estudantil e centro de ensino de português, o local conta com sala de exposições e auditório, no qual são organizadas atividades sobre a cultura brasileira.

Idealizada pelo presidente Juscelino Kubitschek, a casa foi criada em 1959. Um acordo entre o governo espanhol e a Universidade Complutense de Madri permitiu a cessão de terreno para a construção do Colégio Maior Universitário. Hoje, o conjunto de edifícios pertence ao Brasil. A construção dos prédios é de estilo modernista, como o de Brasília. Por ser o único exemplo desse tipo de arquitetura em Madri, é visitada frequentemente por estudantes de arquitetura e turistas.

Ciência sem Fronteiras — Até 2015, o Brasil enviará 8 mil alunos e pesquisadores à Espanha por meio do programa Ciência sem Fronteiras. Os primeiros estudantes chegaram ao país em fevereiro último. Para os anos letivos de 2012 e 2013, foram concedidas 1.976 bolsas, das quais 1.760 já estão em vigência.

A Espanha foi o país que gerou maior interesse de alunos brasileiros, com o maior número de inscrições — participam do programa 35 universidades espanholas. A maioria dos bolsistas escolheu Madri e Barcelona como destino. Madri, Catalunha, Galícia, Castilha e Leão, Andaluzia e Valencia são as comunidades autônomas com a maior concentração de estudantes.

Em nono lugar mundial em termos de publicação de artigos científicos e patentes, a Espanha mantém alto padrão de pesquisa e de ensino universitário, referências em várias áreas, como engenharia, nanotecnologia, transplantes e oncologia. As engenharias e as áreas tecnológicas são as que mais atraem estudantes brasileiros para Espanha pelo Ciência sem Fronteiras — ao todo, 664 bolsistas.

ProUni — Desde 2010, o Ministério de Educação do Brasil, a Universidade de Salamanca e o Banco Santander patrocinam 10 vagas de graduação completa na universidade espanhola a alunos brasileiros do Programa Universidade para Todos (ProUni). A parceria tem duração de quatro anos e pode ser renovada. As bolsas são direcionadas às áreas de engenharia química, medicina, geologia, engenharia, mecânica e estatística.

Durante a visita do ministro, será anunciada a parceria do MEC com o Banco Santander para a oferta de 30 mil bolsas de idiomas. Os alunos, selecionados pelo MEC, devem ser aprovados em testes na Universidade de Salamanca para efetivar a matrícula. Eles contam com apoio da universidade na preparação para os exames.

O terceiro grupo de 10 alunos realizou os exames de admissão em Salamanca em setembro de 2012. Nas três edições, a taxa de aprovação foi elevada.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página