Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Instituições de ensino devem enviar dados de estudantes para emissão da ID Estudantil
Início do conteúdo da página
  • Primeira reunião do Comitê Gestor do Fies discute a política de oferta de financiamento

    O Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil (CG-Fies) fez, na manhã desta quarta-feira, 13, na sede do Ministério da Educação, em Brasília, a primeira reunião de trabalho para formular a política de oferta de financiamento estudantil, supervisionar a execução das operações e discutir as mudanças do Novo Fies – que, a partir de 2018, terá um novo modelo, sustentável, com mais governança e uma gestão melhor.

    “À medida que o programa se desenvolva, de forma adequada, é lógico que isso trará um elemento ainda mais forte de manutenção do Fies e de preservação dele em longo prazo”, afirmou o ministro Mendonça Filho, responsável por abrir a reunião do CG-Fies. “Isso vai ratificar o diagnóstico feito com o apoio do Ministério da Fazenda e do Ministério do Planejamento, com a atuação direta do MEC, por intermédio, especialmente, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) ”.

    Sancionado pelo presidente da República, Michel Temer, no último dia 7 de dezembro, o Novo Fies determina que, a partir do próximo ano, o financiamento vai garantir 310 mil vagas e terá três modalidades de contrato, com taxas de juros, número de vagas e renda familiar específicos para cada uma delas. As alterações nas regras visam promover acesso à educação superior para quem mais precisa, com garantia de sustentabilidade do programa a longo prazo. O destaque são as 100 mil vagas a juro zero, para estudantes com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos.

    Plano trienal – Uma das atribuições do CG-Fies, formado por representantes dos ministérios da Educação, da Fazenda, do Planejamento e da Casa Civil, é elaborar o planejamento do financiamento estudantil por meio de um plano trienal. Esse plano deverá conter as diretrizes gerais do Fies para o período, com a quantidade anual de vagas e as prioridades de atendimento.

    O plano trienal conterá também o mapeamento de riscos cobertos, os parâmetros e as disposições contratuais necessárias; os percentuais ou valores de financiamento à educação superior; a estimativa e o monitoramento do aporte global de recursos financeiros e o impacto fiscal no curto e no médio prazos; e o período de aplicação do plano, inclusive a data limite para liquidação das obrigações financeiras junto às instituições de educação superior antes do encerramento do exercício financeiro.

    O ministro da Educação, Mendonça Filho, destacou que o programa contribuirá para manutenção e preservação do Fies em longo prazo (Foto: André Nery/MEC)

    Cabe ao FNDE, autarquia vinculada ao MEC, celebrar os instrumentos contratuais vinculados ao Fies com as instituições financeiras públicas federais, na qualidade de interveniente, e exercer a fiscalização da execução dos contratos.

    Vagas – O Novo Fies é composto por três faixas e vai oferecer 310 mil vagas em 2018. A primeira modalidade, o Fies 1, corresponde ao financiamento ofertado diretamente pelo governo para o estudante, representando a parcela de 100 mil vagas a juro zero. Elas são reservadas a estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos. Essa modalidade terá o Fundo Garantidor composto de recursos da União e aportes das instituições de ensino.

    Já as modalidades 2 e 3 estão destinadas aos estudantes com renda per capita mensal de até cinco salários mínimos. O Fies 2 vai ofertar 150 mil vagas e visa contemplar estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, tendo como fonte de financiamento recursos de fundos constitucionais dessas regiões. No Fies 3 serão oferecidas 60 mil vagas para todo o Brasil, sendo os recursos oriundos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em ambos os casos, a taxa de juros vai variar de acordo com a instituição financeira onde foi fechado o financiamento.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Programa de apoio à realização de eventos recebe inscrições

    Candidatos ao financiamento do Programa de Apoio a Eventos no País (Paep), para a realização de eventos no primeiro semestre de 2018, têm prazo até 11 de setembro para finalizar sua inscrição na página do programa. A seleção é relativa ao Edital nº 35/2017, lançado em 10 de agosto.

    Propostas devem ser submetidas até às 17 horas, horário de Brasília. Não serão aceitas propostas submetidas por qualquer outro meio, ou enviadas após o prazo.

    Solicitantes de apoio devem possuir título de doutor, manter currículo Lattes atualizado e presidir a comissão organizadora do evento.

    Para eventos a ocorrer em 2017, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) concedeu R$ 42,6 milhões em apoio a 1.391 eventos aprovados.

    Paep – O Paep concede patrocínio para realização de eventos científicos, tecnológicos e culturais de curta duração no Brasil. Os eventos apoiados envolvem pesquisadores, docentes e discentes dos programas de pós-graduação e dos cursos de graduação em licenciaturas, bem como do ensino fundamental e médio.

    Acesse a página do programa

    Confira o Edital nº 35/2017

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes 

  • Programa IES – MEC/BNDES

    O Ministério da Educação e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) firmaram protocolo de atuação conjunta que viabilizará a concessão de financiamento a instituições de educação superior, públicas e privadas, que apresentem bom desempenho acadêmico.

     

    O Programa se destina às IES que atendam aos requisitos de qualidade definidos pelo MEC por meio do Sistema Nacional de Educação Superior (Sinaes).

     

    Além dos requisitos de qualidade, para as instituições particulares de ensino superior será também observada sua adesão ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), ao Programa Universidade para Todos (Prouni) e ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC).

     

    Entre os itens passíveis de serem financiados estão obras de melhoria de infraestrutura; máquinas e equipamentos de fabricação nacional que sejam credenciados pelo BNDES; livros, nacionais e importados, para constituição do acervo das bibliotecas; softwares nacionais didáticos, dedicados à melhoria da gestão administrativo-financeira,  importação de equipamentos que não apresentem similar na indústria nacional e projetos de reestruturação financeira.

     

    Os projetos deverão ser protocolados em uma Instituição Financeira Credenciada, e deverão estar em conformidade com as normas e políticas operacionais do BNDES. É preciso, também, apresentar a documentação comprobatória do atendimento aos pré-requisitos do PROGRAMA, conforme  art. 2 da Portaria Normativa nº 14,  e de declaração firmada pelo representante legal da Instituição de Ensino Superior proponente que ateste a validade da mesma.

     

    Consulte o protocolo de ação conjunto MEC/BNDES.

     

    Consulte a Portaria Normativa Nº 14, que regulamenta o Convênio MEC/BNDES.

     

    Consulte os canais de esclarecimento de dúvidas.


  • Projetos de inovação poderão contar com linha de crédito de R$ 500 milhões


    As instituições privadas de ensino superior que tiverem um projeto de inovação e precisarem de um financiamento para executá-lo poderão recorrer a uma nova linha de crédito, de R$ 500 milhões, com juros diferenciados.  A verba será viabilizada por meio da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), órgão vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTIC), que, em parceria com o MEC, lançou nesta terça-feira, 2, em Brasília, o Programa de Apoio à Inovação em Educação no Ensino Superior.

    O ministro da Educação, Rossieli Soares, lembrou que o Brasil tem um sistema de ensino superior com 25% das matrículas em instituições públicas e 75% nas privadas. “Nós precisamos que também as instituições privadas insiram nos seus planejamentos estratégicos, nas suas ações, pesquisas sobre metodologia de aprendizagem, a prática didática dentro da sala de aula e como a gente pode melhorar a educação básica”, disse Rossieli.

    O ministro reforçou que 82% dos professores que estão em sala de aula, hoje, nas escolas públicas brasileiras são oriundos de universidades privadas. “Então, trazer esse envolvimento para essas instituições é um grande avanço para o Brasil, um grande passo para que no futuro tenhamos essas instituições, que hoje têm uma grande abrangência, também com um olhar especial para a formação dos nossos professores e para a inovação no processo de aprendizagem como um todo. ”

    Projetos – As instituições interessadas em recorrer ao financiamento deverão apresentar projetos que contemplem ações de inovação envolvendo personalização e novas metodologias de ensino, utilização de recursos educacionais digitais para ensino-aprendizagem da criação de ambientes e de estratégias e processos promotores de inovação.

    Em parceria com o MEC, a Financiadora de Inovação e Pesquisa lança o Programa de Apoio à Inovação em Educação no Ensino Superior (Foto: Mariana Leal/MEC)

    Para o ministro do MCTIC, Gilberto Kassab, o papel da Finep é levar ciência, tecnologia e inovação a toda a sociedade brasileira. “Sendo assim, não poderia ser diferente em relação às instituições privadas de ensino superior”, avaliou. “São critérios que atendem a utilização de tecnologia adicional, de modernização do parque acadêmico, para que a gente possa efetivamente cumprir nosso objetivo. ”

    Os projetos devem ser de no mínimo R$ 3 milhões. Além dos juros diferenciados, as instituições poderão contar com um prazo de carência para o pagamento do empréstimo de até 12 anos. Essas condições especiais de financiamento deverão ser solicitadas até 31 de dezembro de 2020.

    O financiamento é aberto a instituições de ensino superior privadas que estejam em efetivo funcionamento por, no mínimo, três anos, e possuam Receita Operacional Bruta (ROB) superior a R$ 16 milhões. Para solicitar o financiamento, é preciso acessar o site do Finep e preencher um formulário. Após a aprovação do cadastro, a empresa já pode encaminhar o projeto.

    Segundo o presidente em exercício da Finep, Ronaldo Camargo, todo e qualquer projeto do setor da educação poderá ser apresentado. “Ensino a distância (EaD), novos softwares, e assim por diante, desde que tenham faturamento anual de 16 milhões e desde que os projetos tenham um custo maior ou igual a R$ 3 milhões”, enumerou. “As instituições deverão apresentar os projetos de inovação ao Finep para, juntamente com MEC, avaliar e classificar a inovação”.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Projetos de pesquisa em áreas da ciência terão financiamento

    Projetos de pesquisa nas áreas de matemática e de ciências e tecnologias da informação e da comunicação podem se inscrever, a partir desta segunda-feira, 9, até 22 de junho, para a seleção de pesquisas conjuntas de programas vinculados à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

    Os programas MATH-AmSud e STIC-AmSud são iniciativas da cooperação internacional francesa com Argentina, Brasil, Chile, Peru e Uruguai e têm como objetivo fortalecer a colaboração e a criação de redes de pesquisa.

    O financiamento compreenderá a realização de missões de pesquisa, trabalho e estudo, entre os grupos participantes, incluindo a realização de oficinas e cursos de curta duração que permitam a participação de professores e estudantes.

    Os programas buscam apoiar projetos de pesquisa básica e aplicada com potencial de transferência e de inovação tecnológica, entre a França e ao menos dois países sul-americanos.

    Podem se candidatar unidades e laboratórios de pesquisa, públicos ou privados, vinculados a instituições de ensino superior, organismos de pesquisa ou empresas, e cada projeto deverá planejar suas atividades considerando a duração máxima de dois anos. De acordo com os editais, a seleção acontecerá em quatro fases de caráter eliminatório: análise documental, análise de mérito, avaliação pelo comitê científico e avaliação pelo comitê de direção.

    As inscrições vão até 22 de junho e a divulgação dos resultados está prevista para novembro deste ano. Poderão ser aprovados até dez projetos de cada edital, que terão início em 2012. Mais informações por O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. eletrônica ou na página da Capes.

    Diego Rocha

    Confira o cronograma:

    Período

    Atividade prevista

    De 9 de maio a 22 de junho de 2011

    Inscrição das propostas

    Novembro de 2011

    Publicação dos resultados

    Janeiro de 2012

    Início dos projetos

    15 de outubro 2012

    Envio do relatório parcial

  • Prorrogado até 12 de abril o prazo para validar inscrições

    Foi prorrogado até 12 de abril o prazo para validação, pela instituição de ensino, da inscrição dos estudantes selecionados para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, foi solucionado o problema que impedia a troca de informações com o agente financeiro e, consequentemente, a contratação do financiamento com a instituição bancária. Com isso, não há risco de um estudante ser prejudicado ou perder o semestre, desde que esteja frequentando as aulas regularmente.

    “Não há motivo de preocupação nem de cobrança dos estudantes por parte das instituições”, enfatiza o diretor de gestão de Fundos e Benefícios do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Luiz Blumm. “Após a contratação, as instituições serão ressarcidas retroativamente. O prazo foi estendido até o dia 12 para que todos os alunos tenham a validação completa.”  

    As informações sobre os novos prazos foram enviadas a todos os estudantes, por e-mail e SMS. Por isso, é importante que todos fiquem atentos às suas caixas de entrada.

    A partir do momento da validação das informações, o MEC tem três dias úteis para repassar as informações dos estudantes às instituições bancárias. A partir daí começa a contar o prazo de 10 dias para que o estudante faça a contratação do financiamento junto ao banco.

    “O estudante tem que ter consciência de que, se ele não tem a contratação adequada com o Fies, ele se matriculou e assistiu às aulas, terá que fazer o ressarcimento à instituição”, adverte Luiz Blumm.

    Programa – Pode acessar o Fies o estudante que participou do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2010, e tenha obtido média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos e nota superior a zero na redação.

    Há uma modalidade com juros zero, para estudantes com renda familiar per capita de até três salários mínimos, e outra com juros que variam de acordo com a instituição bancária. O Fies pode ser solicitado pelo estudante em qualquer etapa do curso.

    Acesse a página do Fies e obtenha mais informações 

    Assessoria de Comunicação Social

  • Prorrogado para novembro o prazo de aditamento do Fies


    O Ministério da Educação prorrogou até 20 de novembro o prazo para aditamento de renovação semestral dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), simplificados e não simplificados, do segundo semestre deste ano. A portaria nº 725 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) foi publicada nesta segunda-feira, 16, no Diário Oficial da União (DOU).

    Também foi prorrogado, para a mesma data, o prazo para transferência integral de curso ou de instituição de ensino e de solicitação de dilatação do prazo de utilização do financiamento referente ao segundo semestre deste ano.

    Os aditamentos devem ser feitos pelo Sistema Informatizado do SisFies. Informações detalhadas sobre a portaria do FNDE podem ser vistas aqui.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Prorrogado prazo para renovação dos contratos de financiamento

    Os estudantes que contrataram o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), até dezembro de 2017, e querem renovar os contratos do primeiro semestre de 2019 terão o prazo estendido até 15 de maio. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 2.

    A prorrogação dada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) também dá a opção de estender o prazo de utilização do financiamento. Os estudantes ainda poderão pedir a transferência integral de curso ou de instituição.

    Os contratos do Fies precisam ser renovados a cada semestre. O pedido de aditamento é feito, inicialmente, pelas instituições de ensino para depois ter as informações validadas pelos estudantes, no sistema. Neste semestre, cerca de 600 mil contratos devem ser renovados, segundo o FNDE.

    Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro – Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal – para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

    Confira a portaria do FNDE

    Acesse o SisFies

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Publicado resultado da pré-seleção do Fies para o segundo semestre de 2018

    O resultado da pré-seleção na chamada única dos estudantes que se candidataram à edição do segundo semestre de 2018 do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já está disponível no site do programa. Para esse período, foram ofertadas 155 mil vagas, sendo 50 mil a juro zero. Os estudantes selecionados deverão fazer a complementação da inscrição entre esta segunda, 30, e 3 de agosto, sexta-feira, para posteriormente fechar a contratação do financiamento.

    A modalidade juro zero é destinada aos candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil. As instituições de ensino deverão cobrar do aluno a menor mensalidade do curso.

    As outras duas modalidades, chamadas de P-Fies, destinam-se a estudantes com renda familiar de até cinco salários mínimos. Para atender a essa parcela de candidatos, o P-Fies opera com recursos dos Fundos Constitucionais e dos Agentes Operadores de Crédito. O resultado do P-Fies estará disponível no dia 6 de agosto.

    Poderão ser financiados os cursos de graduação com conceito maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) ofertados pelas instituições de ensino superior participantes do Fies. Também poderão participar do programa os cursos que, ainda não avaliados pelo Sinaes, estejam autorizados para funcionamento pelo cadastro do MEC. Durante o curso, o estudante deve ter rendimento para ser aprovado em todas as matérias.

    Clique aqui para acessar o Fies Seleção. 

    Assessoria de Comunicação Social

  • Quais alunos não podem participar do Fies?

    Não poderão se candidatar ao processo seletivo do Fies os alunos:
    • cuja matrícula acadêmica esteja em situação de trancamento geral de disciplinas no momento da inscrição;
    • que já tenham sido beneficiados pelo Fies;
    • que sejam responsáveis por inadimplência junto ao Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC);
    • beneficiários de bolsa integral do Programa Universidade para Todos (ProUni);
    • beneficiários de bolsa parcial do Programa Universidade para Todos, em curso/habilitação/turno diferente daquele vinculado à bolsa ProUni; e
    • cuja renda bruta total mensal familiar seja inferior ao valor da mensalidade do curso a ser financiado. Essa restrição não se aplica aos bolsistas parciais de 50% do ProUni e aos bolsistas complementares de 25%, pois esse grupo não passa por processo seletivo para obter o Fies – já tem assegurado o financiamento desde que observadas algumas condições.

  • Qual é a regra: o estudante se matricula no curso de sua escolha antes ou depois de aderir ao Fies?

    Considerando que o financiamento é referente ao semestre letivo atual, o aluno deve estar regularmente matriculado para que possa se candidatar ao financiamento.

  • Queda dos juros reduz valor de financiamento dos ônibus

    Os ônibus destinados ao transporte escolar poderão ser comprados a preços mais baixos. Uma norma do Banco Central reduziu o preço final dos veículos adquiridos por meio do programa Caminho da Escola, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).


    A norma do Banco Central reduz os juros do financiamento da aquisição dos ônibus no período que vai deste mês até dezembro, na contramão do prazo de quitação, de 24 meses. Até o fim do ano, portanto, estados e municípios que aderirem ao programa e conseguirem financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vão pagar taxa de juros fixa de 4,5% ao ano, com prazo de pagamento de até 96 meses, incluída carência de 12 meses.


    A partir do próximo ano, vai prevalecer a taxa de juros de longo prazo (TJLP), de 6% anuais, com acréscimo de 4% ao ano, com prazo de até 72 meses e carência de seis. “Essa é uma ótima oportunidade para os municípios e estados comprarem os ônibus padronizados para o transporte escolar, com prazo maior e com custo real menor ao fim do pagamento”, afirma José Maria Rodrigues de Souza, coordenador do programa.


    Simulação de preços

     À vista
    (em R$)
    JurosPrazo
    (meses)
    Carência
    (meses)
    Preço final (em R$)
    Antes203.000,00TJLP (6% ao ano)
    + 4% ao ano
    726268.973,08
    Agora203.000,004,5% ao ano9612244.363,39






    Pelas novas regras, um ônibus do modelo VE 3R, com bloqueio de diferencial, com preço à vista de R$ 203 mil, vai sair, ao fim do financiamento, por R$ 244 mil. Antes, o mesmo veículo custaria R$ 269 mil.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quem pode se inscrever no Fies?

    Podem se candidatar ao Fies os alunos regularmente matriculados em cursos superiores de graduação não gratuitos, oferecidos por instituições que tenham aderido ao processo seletivo e que tenham obtido avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação.

  • Regras ganham mais flexibilidade para ampliar acesso de mais estudantes à educação superior

    Na entrevista coletiva, o ministro Aloizio Mercadante destacou a importância das mudanças: “Muito mais gente vai ter acesso ao Fies; esse é o objetivo básico dessas mudanças” (foto: Isabelle Araújo/MEC)O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou novas regras para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As mudanças são válidas já para o processo seletivo do segundo semestre deste ano. Mais autonomia das instituições de ensino e distribuição mais equilibrada das vagas para cursos prioritários são algumas das novidades.

    “A mantenedora tem muito mais flexibilidade; os estudantes inscritos, muito mais oportunidade”, disse o ministro, em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 27. “A nossa avaliação, e a deles também, é a de que muito mais gente vai ter acesso ao Fies; esse é o objetivo básico dessas mudanças.”

    Uma modificação que deve beneficiar muitos estudantes é a redução do patamar mínimo de prestação do Fies, que era de R$ 100 e passa a ser de R$ 50. O prazo de conclusão da inscrição por parte do estudante também foi ampliado para cinco dias úteis. Assim como no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o estudante que faz uma opção inicial de curso terá agora a possibilidade de alterar a escolha quantas vezes desejar durante o período de inscrições, ao saber qual é a nota de corte para cada curso. O sistema de seleção do Fies vai calcular e divulgar a nota.  

    As instituições de ensino passam a ser as responsáveis por informar se o aluno está matriculado ou não. Além disso, terão mais liberdade para realocar as vagas remanescentes entre os cursos que contam com vagas aprovadas pelo MEC. Um novo prazo de inscrição, voltado especificamente para as vagas ociosas, deve ser aberto. Aqueles reprovados no Fies deste primeiro semestre também terão a oportunidade no segundo.

    O critério de ocupação de vagas também mudou. Agora, 60% delas devem ser preenchidas nos chamados cursos prioritários, que são os da área de saúde, as engenharias e licenciaturas. Os demais cursos podem dispor de até 40%.

    Também passa a ser permitido às instituições de ensino o aumento de oferta vagas do Fies na mesma proporção do Programa Universidade para Todos (ProUni), no limite de 10% das vagas.

    Qualidade ─ O que não muda, de acordo com o ministro, é o parâmetro de qualidade exigido dos candidatos: eles continuarão a ter de alcançar o mínimo de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Nós não podemos dar uma bolsa subsidiada para o estudante que tira uma nota abaixo daquela que ele deveria tirar, por exemplo, para se certificar no ensino médio”, disse. “O MEC não vai negociar esse critério.”

    Uma demanda das instituições de ensino é o aumento da renda mínima para participação no Fies. Segundo o ministro, o MEC ainda está avaliando o impacto fiscal na alteração desse critério, que hoje é de 2,5 salários mínimos por pessoa da família.

    A modificação depende de estudo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do entendimento do Grupo de Trabalho Interministerial para Acompanhamento de Gastos Públicos do Governo Federal (Gtag), composto por representantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, da Casa Civil da Presidência da República, do Ministério da Fazenda e da Controladoria-Geral da União.

    Assessoria de Comunicação Social

    Confira a apresentação do ministro sobre as novas regras do Fies

    Assista:

     

  • Renovação de contratos tem prazo prorrogado e pode ser feita até o dia 20 de julho

    O prazo para aditamento (renovação) dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi prorrogado até 20 de julho próximo, como estabelece portaria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) publicada nesta terça-feira, 30. É compromisso do governo federal garantir que todos os estudantes atendidos pelo fundo façam a renovação.

    O Fies, programa do Ministério da Educação, financia os estudos de alunos de instituições não gratuitas. Podem recorrer ao financiamento aqueles matriculados em cursos de educação superior que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC.

    Na sexta-feira, 26, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou que o Fies abrirá 61,5 mil vagas para a segunda edição do ano. Nessa fase, terão prioridade os cursos considerados de maior qualidade — com base nos conceitos de curso e preliminar de curso —, com notas 5 e 4, e as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, à exceção do Distrito Federal. “Os cursos de maior qualidade receberão particular ênfase, pois assim se garante que os estudantes estarão pagando, e o país estará financiando, cursos que serão melhores para a sua formação”, disse o ministro.

    Essa prioridade não exclui vagas em cursos de outras áreas de formação nas regiões Sul, Sudeste e no Distrito Federal, além de cursos com nota 3. “O objetivo é melhorar a igualdade das regiões, melhorar a qualidade dos cursos ofertados e focar os cursos nas prioridades da sociedade brasileira”, reiterou Janine Ribeiro.

    Em caso de dúvida, o estudante pode entrar em contato com a central de atendimento telefônico, gratuitamente, pelo número 0800-616161.

    A Portaria do FNDE nº 251, de 29 de junho de 2015, que dispõe sobre o prazo para realização de aditamentos de contratos de financiamento do Fies, foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 30.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

    Leia também:
    Segunda edição do ano terá oferta de 61,5 mil contratos; formação de professor é prioridade
    Educação e Planejamento prestam esclarecimentos sobre novo Fies

  • Resultados da pré-seleção do P-Fies já estão disponíveis para consulta dos candidatos


    Já está disponível o resultado da pré-seleção do P-Fies, uma das modalidades do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os estudantes que se candidataram a uma das 75 mil vagas ofertadas para o primeiro semestre de 2018, destinadas a pessoas com renda mensal por pessoa da família de até cinco salários mínimos, podem consultar o status do pedido na página do Fies Seleção.

    O P-Fies é o Programa de Financiamento Estudantil responsável pela concessão de financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC. As condições para concessão do financiamento ao estudante serão definidas entre o agente financeiro operador do crédito (banco), a instituição de ensino superior e o estudante.

    Acesse a página do Fies Seleção.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Resultados do P-Fies serão divulgados em 23 de março


    O resultado da pré-seleção do P-Fies, uma das modalidades do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), será divulgado no próximo dia 23, de acordo com edital publicado no Diário Oficialda União desta sexta-feira, 16. Serão oferecidas 75 mil vagas, nos primeiros seis meses de 2018, aos candidatos com renda mensal por pessoa da família de até cinco salários mínimos. Para contemplar esse público, o Novo Fies terá recursos dos Fundos Constitucionais e dos Fundos Regionais de Desenvolvimento.

    O P-Fies é o Programa de Financiamento Estudantil destinado à concessão de financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. As condições para concessão do financiamento ao estudante serão definidas entre o agente financeiro operador do crédito (banco), a instituição de ensino superior e o estudante.

    Acesse a página do Fies Seleção.

    Confira aqui o editalpublicado no Diário Oficialda União.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Segunda edição do ano terá oferta de 61,5 mil contratos; formação de professor é prioridade

    Cursos de formação de professores e nas áreas de engenharia e de saúde terão prioridade na segunda edição de 2015 do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 26, pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. A oferta será de 61,5 mil novos contratos.

    De acordo com o ministro, também terão prioridade os cursos de maior qualidade — com base nos conceitos de curso e preliminar de curso —, com notas cinco e quatro, e as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, à exceção do Distrito Federal. “Os cursos de maior qualidade receberão particular ênfase, pois assim se garante que os estudantes estarão pagando, e o país estará financiando, cursos que serão melhores para a sua formação”, disse.

    Janine Ribeiro afirmou, entretanto, que essa prioridade não exclui vagas em cursos de outras áreas de formação nas regiões Sul, Sudeste e no Distrito Federal, além de cursos com nota três. “O objetivo é melhorar a igualdade das regiões, melhorar a qualidade dos cursos ofertados e focar os cursos nas prioridades da sociedade brasileira”, disse.

    Pela primeira vez, o Ministério da Educação conseguiu desconto de 5% nas mensalidades que serão financiadas pelo Fies. Os juros são de 6,5%, subsidiados pelo governo federal. O edital e as portarias que regulamentam a segunda edição do Fies devem ser publicadas no Diário Oficial da União de 3 de julho próximo.

    Assessoria de Comunicação Socia

    Leia também:
    Educação e Planejamento prestam esclarecimentos sobre novo Fies

  • Sistema on-line está aberto para estudante fazer a renovação; prazo vai até 30 de abril

    Estudantes interessados em renovar o contrato com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) podem fazê-lo a partir desta segunda-feira, 16. O processo on-line de aditamento está aberto no Sistema Informatizado do Fundo de Financiamento Estudantil (SisFies). O prazo vai até 30 de abril próximo. A previsão é de que o número de aditamentos chegue a 1,39 milhão no final do período.

    O SisFies facilita o acesso, pela internet, para renovações, inscrições e informações sobre financiamento estudantil em instituições particulares de educação superior. As instituições de ensino usam o sistema para a inserção de dados sobre cada contrato. A confirmação desses dados é feita posteriormente pelos próprios estudantes.

    O Fies encerrou 2016 com saldo positivo, ao contabilizar investimento de R$ 8,6 bilhões do governo federal. Os pagamentos aos agentes financeiros do Fies — Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil — e às instituições de ensino foram efetuados em 27 de dezembro último, graças ao empenho do MEC junto ao Congresso Nacional para a aprovação de crédito suplementar de R$ 702 milhões.

    Estudantes que fazem a educação superior em instituições particulares e usam o Fies têm novo prazo para providenciar a renovação do contrato (foto: Mariana Leal/MEC)

    “O ministro Mendonça Filho realizou um trabalho impecável ao conseguir a aprovação dos recursos que faltavam”, disse o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão vinculado ao Ministério da Educação responsável pela operação do Fies, Silvio Pinheiro. “Para 2017 foram garantidos ao Fies R$ 21 bilhões, de forma a dar continuidade aos financiamentos, manutenção dos contratos com os agentes financeiros e abertura de vagas.”

     

    A conclusão, pelos estudantes, dos processos de aditamento de contratos deve ser feita no sistema SisFies.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Sistema on-line está disponível para contratos em andamento; para os novos, em breve

    O Sistema Informatizado do Fies (SisFies) está disponível  para aditamentos desde a tarde de quarta-feira, 28. Os estudantes que pretendem fazer a renovação do contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem buscar acesso on-line à página do sistema e indicar o número do CPF e a senha.

    Para novos contratos, o SisFies estará disponível em breve.

    O Fies tem 1,9 milhão de contratos registrados no período de 2010 a 2014 e abrange mais de 1.630 instituições de educação superior. O fundo financia a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições não gratuitas. Podem pedir o benefício os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação.

    Em 2010, o Fies passou a funcionar em novo formato, sob a gerência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Desde então, os juros caíram para 3,4% ao ano. Além disso, foi aberta ao estudante a possibilidade de pedir o financiamento em qualquer período do ano.

    Os pedidos de renovação de contrato devem ser feitos no SisFies.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página