Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Com cinco convênios novos, notas do Enem são aceitas em 47 instituições portuguesas

    Os termos foram firmados nesta terça-feira, 19 de novembro, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)

    O maior exame de acesso ao ensino superior do Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ganhou mais cinco universidades portuguesas parceiras. O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, assinou os convênios nesta terça-feira, 19 de novembro. Com os acordos, chega a 47 o número de instituições de Portugal que aceitam as notas do exame, no chamado Enem Portugal.

    Para Lopes, a ampliação no número de convênios, iniciados em 2014, cria mais oportunidades para os brasileiros. “Toda a oportunidade que a gente possa dar ao estudante brasileiro, dele se abrir para o mundo, buscar conhecimentos novos, é enriquecedora, e este é um trabalho muito importante para o Inep”, afirmou.

    As instituições que, a partir destas assinaturas, também passam a integrar o Enem Portugal são:

    •  Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (Ismat), em Portimão;
    • Instituto Superior Dom Dinis (Isdom), em Marinha Grande;
    • Instituto Superior de Gestão (ISG), em Lisboa;
    • Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém (Isla Santarém), em Santarém; e
    • Instituto Superior de Gestão e Administração de Gaia (Isla Gaia), em Vila Nova de Gaia.

    O presidente do Inep assinou os acordos na sede da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT), na capital portuguesa, Lisboa. A cerimônia foi conduzida pelo reitor da instituição anfitriã, professor doutor Mário Caneva Moutinho e os termos foram assinados também pelo presidente do Conselho de Gerência da entidade mantenedora – ISLA Santarém, Manuel de Almeida Damásio.

    O reitor da ULHT, Mário Caneva Moutinho, comemorou a assinatura do acordo. “Estamos ansiosos por receber um maior número de estudantes brasileiros. Eles serão bem recebidos e bem integrados”, saudou Moutinho. O reitor acrescentou ainda que “este intercâmbio vai permitir, no futuro, que estes estudantes tenham implicação na vida social, econômica e cultural de ambos países”.

    A assinatura dos acordos faz parte da agenda de trabalhos que o presidente do Inep, Alexandre Lopes, cumpre ao longo desta semana em Portugal. Nos próximos dias, ele participa ainda da Conferência Internacional das Línguas Portuguesa e Espanhola 2019, além de reuniões com representantes da área educacional portuguesa.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Enem chega a 42 instituições em Portugal

    Inep fechou acordo com o Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe)


    As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão aceitas para concorrer a uma vaga no Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe), de Portugal. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) firmou acordo para uso das notas do exame na seleção de brasileiros em seus cursos de graduação. A instituição situada na cidade de Fafe, ao norte do país ibérico, é a 42ª da educação superior portuguesa a fazê-lo.

    O presidente do Inep, Alexandre Lopes, destacou o avanço no acordo. “Esse tipo de convênio é uma forma de facilitar o acesso dos estudantes brasileiros às instituições internacionais”, afirmou. Lopes ressaltou, ainda, que o objetivo é estender o convênio para outros países. “Iniciamos as tratativas com a Embaixada da Espanha para que as instituições de ensino superior espanholas também aceitem o Enem como prova de acesso”.

    Pelo Enem Portugal, como é conhecido o convênio, mais de 1,2 mil brasileiros já ingressaram em instituições portuguesas em cinco anos. Para Enrique Vásquez Justo, presidente do IESFafe, a instituição está preparada para receber os estudantes brasileiros. “Oferecemos curso de licenciatura e mestrado nas áreas de educação, tecnologia, gestão de empresa e turismo”, frisou.

    Renovação – As universidades de Coimbra e do Algarve renovaram o convênio com o Inep neste ano. A primeira parceria ocorreu há cinco anos.

    Cada instituição define as regras e os pesos para uso das notas. Os convênios não envolvem transferência de recursos e não preveem financiamento estudantil pelo governo brasileiro.

    A revalidação de diplomas e o exercício profissional no Brasil dos estudantes que cursarem o ensino superior em Portugal estão sujeitos à legislação brasileira. As instituições de ensino superior portuguesas signatárias de convênio são responsáveis pela comunicação oficial com os candidatos admitidos em seus cursos sobre essas regras.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

Fim do conteúdo da página