Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Secretaria de Educação Superior > Estudantes > Pós-graduação > Capes apresenta pós-graduação brasileira na China
Início do conteúdo da página

Capes discute inclusão social como critério de avaliação

Foto: Gustavo FrönerA Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) adotará a valorização de indicadores como o papel social da pós-graduação e instrumentos de inclusão social para avaliação dos cursos de pós-graduação. O instrumento de coleta de dados dos cursos e a ficha de avaliação também serão modificados para facilitar o trabalho dos avaliadores.

As mudanças foram anunciadas no painel O Futuro da Avaliação: a pós-graduação em 2016, que faz parte do seminário Avaliar para Avançar, realizado na manhã desta quinta-feira, 9, no Centro de Convenções do Naoum Plaza Hotel. Mais de 300 pesquisadores de todo o País estão reunidos para discutir o futuro da avaliação dos cursos de pós-graduação até sexta-feira, 10, em Brasília.

Reinaldo Guimarães, expositor do evento e vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Fundação Oswaldo Cruz, destacou que, devido aos avanços tecnológicos, no futuro a pesquisa não ocorrerá majoritariamente na pós-graduação, como atualmente. “Os avanços tecnológicos em áreas como nanotecnologia e biotecnologia farão com que a pós-graduação seja pautada pela pesquisa e não o contrário, como costuma ocorrer.” Guimarães acredita que daqui a dez anos a pós-graduação deverá se espelhar em instituições não acadêmicas, como centros de pesquisas e até empresas.

Abílio Baeta Neves, ex-presidente da Capes, destacou a importância de se discutir os critérios da Capes. “A avaliação foi o mecanismo que direcionou a pós-graduação ao seu nível de excelência”, aponta. “O debate democrático legitima ainda mais essa avaliação”, ressaltou. Também participou como expositora Miriam Warde, integrante do grupo de trabalho Avaliando a Avaliação, que discutiu o assunto nos últimos três meses.

Reinaldo Guimarães propôs também um olhar externo ao meio acadêmico para a avaliação dos cursos. “Acredito que a voz de um movimento social ou de um empresário possa ser muito proveitosa para a avaliação da pós-graduação”, sugeriu. As questões levantadas no seminário poderão ser observadas pela Capes na avaliação dos cursos, de acordo com presidente da Capes, Jorge Guimarães.

O seminário Avaliar para Avançar prossegue discutindo alternativas na tarde desta quinta-feira, 9, com quatro oficinas que irão tratar de mestrados profissionais, publicações em periódicos, inserção social e patentes e tecnologia.

Ana Guimarães Rosa

 

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página