Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Documentário mostra importância da obra de Paulo Freire
Início do conteúdo da página
Educação continuada

Brasil Alfabetizado tem 1,3 milhão de alunos cadastrados

  • Quarta-feira, 16 de dezembro de 2009, 15h35
  • Última atualização em Quarta-feira, 16 de dezembro de 2009, 16h23
O Programa Brasil Alfabetizado conta com 1,3 milhão de alunos cadastrados em 2009, dos quais mais de 590 mil estão em turmas ativas. Dados da coordenação geral de alfabetização da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) indicam que estados e municípios devem cadastrar mais 737 mil jovens e adultos no programa até fevereiro de 2010. O cadastro é o primeiro passo para o cumprimento integral da meta do programa que é alfabetizar 2,1 milhões de jovens e adultos no próximo ano.

Os 1.927 municípios prioritários nas ações do MEC, especialmente das regiões Norte e Nordeste do país, que têm dificuldade para cumprir as etapas do programa terão, em 2010, a ajuda técnica de 63 consultores.

Os consultores vão trabalhar com as secretarias municipais cada ponto da agenda e transferir tecnologias do conhecimento. O objetivo da assessoria é construir a autonomia dos sistemas de ensino, diz Mauro Silva, e abrir caminhos para agilizar o programa nos próximos anos.

Mobilizar e cadastrar alunos, criar turmas, formar os alfabetizadores são tarefas que exigem empenho dos gestores estaduais e municipais, explica o coordenador de alfabetização da Secad, Mauro Silva. A expectativa, diz, é que meta informada por governadores e prefeitos seja alcançada.

A falta de qualificação de quadros técnicos das secretarias de educação e o pouco conhecimento da gestão do Brasil Alfabetização são os principais entraves no fluxo do programa. Mauro Silva destaca que o gestor deve ter o domínio de, pelo menos, 11 itens básicos para o bom andamento das atividades: capacidade de mobilizar analfabetos e alfabetizadores, cadastrar alunos e professores, montar as turmas, fazer a formação inicial dos professores, ativar as turmas, aplicar o teste de avaliação inicial dos alunos, dar formação continuada aos alfabetizadores.

Também é importante responder os questionários de avaliação no sistema Brasil Alfabetizado, assegurar que todos os alunos façam o teste final de avaliação, informar ao programa o desempenho de aluno por aluno, matricular os alfabetizados na educação de jovens e adultos.

Ionice Lorenzoni

Republicada com correção de conteúdo.
X
Fim do conteúdo da página