Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Institutos mudam educação tecnológica

  • Quinta-feira, 13 de setembro de 2007, 09h31
  • Última atualização em Quarta-feira, 19 de setembro de 2007, 14h50

Florianópolis — A reorganização da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, com a expansão das escolas técnicas e a criação dos institutos federais de educação ciência e tecnologia (Ifets), foi o tema central da abertura e do primeiro dia de debates da 31ª Reunião dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Tecnológica (Reditec). Iniciado na quarta-feira, 12, o encontro, que reúne os dirigentes das instituições federais de educação tecnológica, estende-se até sábado, 14, em Florianópolis.

Nos próximos dias, o Ministério da Educação lançará edital relativo aos institutos federais. A partir de então, as instituições federais de ensino profissionalizante poderão se inscrever para fazer parte do novo modelo. Os institutos federais serão estabelecimentos especializados na oferta de ensino profissionalizante e tecnológico nas diferentes modalidades de ensino, desde a educação de jovens e adultos até o doutorado. Os cursos estarão sintonizados com as realidades regionais. Outra característica será a prioridade para os cursos de licenciatura e  para a formação de professores nas áreas de física, química, matemática e biologia. Os institutos federais integram o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).

Na conferência de abertura da 31ª Reditec, Eliezer Pacheco destacou a importância dos novos institutos: “Os Ifets estão comprometidos com o projeto de sociedade em curso no País”  (Foto: Vera Rocha)“Os Ifets estão comprometidos com o projeto de sociedade em curso no País”, disse o secretário de educação profissional e tecnológica, Eliezer Pacheco, na conferência de abertura. “Não se trata de algo estranho e à margem do desenvolvimento da institucionalidade da rede federal, mas um salto qualitativo em uma caminhada singular, prestes a completar cem anos.”

A solenidade de abertura da Reditec contou com uma homenagem a personalidades que realizaram e realizam trabalhos relevantes na educação profissional e tecnológica do País. Também foi lançado o livro Do Discurso à Ação: uma Experiência de Gestão Participativa na Educação Pública. A obra apresenta relatos de Jesué da Silva, Nilva Schroeder e Silvana Ferreira, ex-diretores da Unidade de Ensino de São José, Santa Catarina.

A diretora do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) de Santa Catarina, Consuelo Sielski Santos, organizadora do encontro, ressaltou a importância do intercâmbio de experiências entre os diretores da rede. Para ela, a educação profissional e tecnológica é a via possível para a plena inclusão social. Santa Catarina, que tinha oito escolas técnicas, chegará a 2010 com 19 unidades de ensino.

Felipe De Angelis

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página