Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC seleciona mantenedoras de instituições para implantação de curso de medicina
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Educação profissional será prioridade

  • Sexta-feira, 28 de dezembro de 2007, 13h18
  • Última atualização em Terça-feira, 08 de janeiro de 2008, 16h07

A meta é chegar a 2010 com 354 escolas técnicas e 500 mil vagas (Foto: João Bittar)A educação profissional e tecnológica brasileira vivencia a maior expansão de sua história. De 1909 a 2002, foram construídas 140 escolas técnicas no país. Nos últimos cinco anos, porém, o Ministério da Educação já entregou à população 39 novas unidades das 64 previstas na primeira fase do plano de expansão da rede federal de educação profissional. As 25 restantes estão em obras e serão entregues nos próximos meses.

Em janeiro de 2008, começam os processos de implantação — aprovação de projetos, licitação e obras — de mais 150 instituições, previstas na segunda fase do plano de expansão. Serão investidos R$ 750 milhões. As novas escolas cobrem todas as regiões do país e vão oferecer, no início, cinco cursos técnicos de nível médio. A média de vagas em cada escola é de 1,2 mil alunos. A meta é chegar a 2010 com 354 escolas técnicas e 500 mil vagas.

“A dificuldade das empresas em contratar mão-de-obra treinada e qualificada é um desafio que está sendo enfrentado pelo governo federal com investimentos pesados no ensino técnico”, diz Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional e tecnológica do MEC.

As escolas oferecem cursos de qualificação, de ensino técnico, superior e de pós-graduação. As áreas variam de acordo com a realidade regional. A rede conta com 12.664 professores. Destes, 4.379 têm mestrado (34,5%); 1.130, doutorado (8,9%); 4.748, especialização (37,4%); 2.209, graduação (17,4%); 177, aperfeiçoamento e 21, pós-doutorado.

Ifets ― Também em 2008, o MEC vai criar os institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Já está aberta a chamada pública para que centros federais de educação tecnológica (Cefets), escolas técnicas e agrotécnicas federais inscrevam, voluntariamente, propostas para integrar o novo modelo da rede. Todos os estados terão pelo menos um instituto. Até março, a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC) divulgará o mapa da rede.

Os institutos oferecerão educação superior, básica e profissional, pluricurriculares e multicampi, serão especializados em educação profissional e tecnológica e promoverão forte inserção na área de pesquisa e extensão. Metade das vagas oferecidas será destinada a cursos técnicos de nível médio, em especial de currículo integrado.

Na educação superior, haverá destaque para cursos de licenciatura em ciências da natureza, como física, química, matemática e biologia. Também serão incentivadas as licenciaturas de conteúdos específicos da educação profissional e tecnológica, como a formação de professores de mecânica, eletricidade e informática.

Além da expansão da rede, o governo federal lançou o programa Brasil Profissionalizado, para aumentar a oferta de escolas e matrículas de educação profissional nos estados e municípios. Para 2008, serão R$ 210 milhões em investimentos. Os recursos serão aplicados na construção ou reforma de escolas públicas de ensino médio e profissionalizante e na formação de professores na área de ciências.

O financiamento também pode ser usado na aquisição de mobiliário, equipamentos e laboratórios e também na compra e implementação de acervo bibliográfico.

Veja a lista das 25 escolas que serão entregues nos próximos meses, e das 150 cujo processo de implantação começa em janeiro de 2008.

Felipe De Angelis


*Republicada com alterações

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página