Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC participa de seminário internacional da Rede Ebserh sobre pesquisa clínica
Início do conteúdo da página
Ações internacionais

"A educação é o pilar da economia", diz assessor internacional do MEC

  • Terça-feira, 16 de agosto de 2005, 17h27
  • Última atualização em Segunda-feira, 04 de junho de 2007, 07h58

Lembrando as palavras do ministro da Educação, Fernando Haddad, o chefe da Assessoria Internacional do gabinete, Alessandro Warley Candeas, acha que “a educação tem de estar envolvida na lógica e no cálculo da economia”. Ele disse isso ao encerrar o primeiro dia do seminário internacional Inclusão Educacional: Transferência Condicionada de Renda e Conversão da Dívida Externa como Estratégias para o Desenvolvimento Social, nesta terça-feira, 16, em Brasília. Haddad participou, pela manhã, da abertura do evento.

Candeas também ressaltou que “educação é investimento, não gasto”, como já definiu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o assessor, a sociedade, a economia e a política saem fortalecidas, pois é um benefício para a democracia. “A educação é o pilar da economia, investir nela rende mais do que a taxa de juros ou qualquer investimento em infra-estrutura”, comparou.

O valor total da dívida externa do Brasil é de US$ 203,9 bilhões. Segundo Candeas, somente com os credores do Clube de Paris, a dívida brasileira é da ordem de US$ 2,6 bilhões. Dentro do grupo, o país que está mais avançado na negociação da troca da dívida por educação é a Espanha, nas negociações que vem fazendo com o Brasil e a Argentina.

Candeas também considera que a troca da dívida por educação sinaliza uma nova mentalidade de solidariedade entre países credores e devedores. E acha que a nova postura internacional de valorizar o investimento na educação é ainda mais importante que os recursos a serem obtidos: “Assim se transforma um conflito, que é a dívida, em uma oportunidade de cooperação. A dimensão da troca é moral, social, econômica, técnica e política”.

O seminário, que prossegue nesta quarta, 17, é uma parceria entre os ministérios da Educação e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Faz parte do Projeto de Cooperação Internacional com Equador e Bolívia, financiado com recursos do Fundo Especial Multilateral do Conselho Interamericano para o Desenvolvimento Integral, da Organização dos Estados Americanos (Femcidi/OEA).

Participam do evento, além de Candeas e representantes de vários países, o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias; o secretário executivo do MEC, Jairo Jorge da Silva; e o secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do MEC, Ricardo Henriques.

Repórter: Cristiano Bastos

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página