Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC divulga resultados do Enem 2017 e anuncia calendário do exame em 2018
Início do conteúdo da página
Trilhas da Educação

Instituto Federal de Sergipe promove projeto para prevenção de acidentes com abelhas

  • Sexta-feira, 31 de janeiro de 2020, 19h12
  • Última atualização em Segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020, 21h57

SOS Abelhas une parceiros para preservar meio ambiente e diminuir ataques de enxames

Prevenção, geração de renda e preservação ambiental. É assim que se resume o projeto SOS Abelhas, criado em 2018 pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS) em parceria com o Corpo de Bombeiros e a Federação Apícola de Sergipe. O objetivo é combater os ataques de abelhas, sem exterminá-las e, ao mesmo tempo, tirar proveito do mel como produto — estimulando a economia local.

O Brasil é o país com maior número de abelhas na América Latina. De acordo com informações do Ministério da Saúde, entre 2000 e 2017, foram registrados 138 mil casos de acidentes com abelhas no país. Em Sergipe, 80% das ocorrências com insetos estão relacionadas às abelhas africanizadas em áreas urbanas. No estado, 20% das chamadas de ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros envolvem esses pequenos insetos. Além disso, a população corria risco com os enxames em áreas urbanas.

Hoje, quando ocorrem acidentes com abelhas em Sergipe e o Corpo de Bombeiros é acionado, ao invés de matarem as abelhas, os animais são capturados e repassados aos apicultores locais. É utilizada a chamada "caixa isca". “Com esse projeto a gente espalha as caixas iscas na cidade. O número de enxames capturados é grande. Isso aumenta o número de colmeias para o apiário de cada apicultor. Aumenta também na produção da na produtividade de mel e de todos os derivados, está sendo bem interessante para a gente”, explica o apicultor Roberto Moura.incêndios e outros incidentes.

Importância da abelha – A ideia de se poupar as abelhas vem por conta da importância dos animais. Um dos coordenadores da iniciativa, o professor Wilams Gomes, que leciona a disciplina de apicultura e meliponicultura no campus do IFS, explica: “São as principais agentes polinizadoras. Mais de 70% do que a gente consome de alimentos são produtos da polinização das abelhas”.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página