Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Estudantes usam experiências das aulas para ajudar no tratamento de crianças
Início do conteúdo da página
  • Instituto ajuda vítimas de enchentes em Pernambuco

    O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco promove campanha de arrecadação de donativos e participa de outras iniciativas de auxílio aos municípios atingidos pelas enchentes ocorridas em junho no estado. Além disso, vai oferecer cursos de qualificação profissional para os trabalhadores atingidos, em parceria com os serviços nacionais da indústria (Senai) e do comércio (Senac).

    O instituto apresentará projetos pedagógicos de cursos de capacitação ao Ministério do Trabalho e Emprego. Se as propostas forem aprovadas, os trabalhadores poderão participar do programa Bolsa de Qualificação, que oferecerá uma bolsa no valor do seguro-desemprego, que varia de acordo com os três últimos salários recebido pelo trabalhador.

    O programa Bolsa Qualificação surgiu para atender trabalhadores de usinas de cana-de-acúcar ociosos no período de entressafra. As usinas apresentavam projetos de cursos de qualificação dos trabalhadores, que recebiam as bolsas. Agora, o benefício será estendido às vítimas das enchentes.

    Mais informações na página eletrônica do instituto.

    Ana Júlia Silva de Souza
  • Abertas inscrições para programa de qualificação no Reino Unido

    Em conjunto com o Ministério do Turismo (MTur), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) abre, por meio do Edital nº 2/2017, o Programa de Qualificação Internacional em Turismo e Hospitalidade, destinado a alunos de turismo ou hospitalidade. A iniciativa faz parte do Plano Brasil + Turismo, que já enviou estudantes para cursos em Portugal e na Espanha.

    A oportunidade contempla vagas no Reino Unido. Dentre os interessados, que deverão se inscrever de 17 de julho a 25 de agosto, serão selecionados 120 candidatos para capacitação em técnicas de turismo, hospitalidade e habilidades linguísticas.

    Capacitação– Com formato exclusivo para o programa, o curso terá aulas teóricas e práticas e duração de aproximadamente 11 semanas. A definição do critério de distribuição dos grupos para cada instituição de ensino britânica será feita pela Association of Colleges.

    Os candidatos devem ter nacionalidade brasileira e estar regularmente matriculados em curso de bacharelado, licenciatura ou tecnólogo em turismo ou hospitalidade de instituição de ensino superior pública ou privada no Brasil. São também requisitos para a candidatura, entre outros, comprovar proficiência em língua inglesa; carga horária completa de 20% a 80% do curso e ter obtido nota igual ou superior a 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

    Estudantes selecionados recebem da Capes três mensalidades (bolsas) no valor de 420 libras, auxílio-deslocamento de 1.022 libras para aquisição de passagem aérea e auxílio para seguro-saúde de 90 libras mensais. A Capes vai repassar diretamente à Association of Colleges os valores referentes a taxas escolares, alimentação e alojamento.

    Os termos do programa podem ser vistos no Edital nº 2/2017. Demais informações devem ser solicitadas por meio do endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pelo telefone (61) 2023-8291.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes 

  • Agentes escolares do interior paraense terão capacitação

    Técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) farão visitas de acompanhamento em escolas públicas de Moju (PA), nesta semana, para conferir de perto a execução do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). O objetivo é esclarecer dúvidas dos dirigentes escolares, orientá-los sobre as normas do programa e sanar possíveis falhas na utilização dos recursos.

    As visitas começam nesta terça-feira, 27, e vão até a próxima quinta, 29. Para reforçar a capacitação, o FNDE promove curso na sexta-feira, 30, para cerca de 200 agentes envolvidos com a gestão do PDDE em Moju e em outros quatro municípios paraenses: Abaetetuba, Acará, Barbacena e Tailândia.

    Criado em 1995, o programa repassa recursos diretamente às unidades de ensino, para pequenos reparos e manutenção da infraestrutura do colégio e compra de material de consumo e bens permanentes, como geladeira e fogão. O PDDE também financia a educação integral e o funcionamento das escolas nos fins de semana, entre outras ações. O orçamento para 2011 é de R$ 1,5 bilhão.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE


    Destaque 4

    Dinheiro na Escola

    Agentes escolares do interior
    paraense terão capacitação

    Brasília, 27/9/2011 –Técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) farão visitas de acompanhamento em escolas públicas de Moju (PA), nesta semana, para conferir de perto a execução do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). O objetivo é esclarecer dúvidas dos dirigentes escolares, orientá-los sobre as normas do programa e sanar possíveis falhas na utilização dos recursos.

    As visitas começam nesta terça-feira, 27, e vão até a próxima quinta, 29. Para reforçar a capacitação, o FNDE promove curso na sexta-feira, 30, para cerca de 200 agentes envolvidos com a gestão do PDDE em Moju e em outros quatro municípios paraenses: Abaetetuba, Acará, Barbacena e Tailândia.

    Criado em 1995, o programa repassa recursos diretamente às unidades de ensino, para pequenos reparos e manutenção da infraestrutura do colégio e compra de material de consumo e bens permanentes, como geladeira e fogão. O PDDE também financia a educação integral e o funcionamento das escolas nos fins de semana, entre outras ações. O orçamento para 2011 é de R$ 1,5 bilhão. (Assessoria de Comunicação Social do FNDE)

    PALAVRAS-CHAVE: educação básica, capacitação, FNDE

  • Britannica Escola dá capacitação para professores em novembro

    A equipe pedagógica do portal Britannica Escola realizará mais três treinamentos on-line voltados a professores da educação básica no mês de novembro, nos dias 28, 29 e 30. Periodicamente, são realizados encontros em diferentes horários, nos quais a equipe explica aos docentes como utilizar as ferramentas digitais da Britannica em sala de aula e também nas atividades complementares.

    As inscrições são gratuitas e os professores podem escolher o horário mais conveniente para participar do treinamento. Cada sessão apresenta conteúdos por cerca de 60 minutos. Em 2016, foram realizadas 18 sessões de capacitação on-line do Britannica Escola, com 163 participantes. No primeiro semestre deste ano, 528 educadores fizeram as aulas.

    O portal Britannica Escola é uma parceria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), autarquia vinculada ao MEC, com a Encyclopædia Britannica, uma das mais conhecidas e conceituadas editoras do mundo. Acessando a interface – toda em português e de acesso gratuito –, alunos e professores poderão utilizar, durante o processo de aprendizado, ferramentas de ensino e recursos multimídia disponíveis no portal, como artigos de enciclopédia, imagens e vídeos, atlas do mundo, biografias, notícias diárias voltadas para as crianças, recursos interativos de geografia e jogos interativos.

    Acesse o portal Britannica Escola.

    As próximas capacitações serão em 28 de novembro (9h às 10h), 29 de novembro (14h às 15h) e 30 de novembro (11h às 12h).

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes

     

  • Britannica Escola oferece curso on-line para os professores

    Todos os meses, o portal Britannica Escola oferece cursos de formação on-line e gratuitos para os professores brasileiros. Em abril, será a vez de falar sobre o uso de conteúdo digital na sala de aula. Os docentes podem escolher entre cinco horários diferentes, de 9h às 17h30, entre os dias 23 e 26.

    O Britannica Escola é uma parceria entre a Encyclopedia Britannica e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao Ministério da Educação. A parceria se dá por meio de um portal educacional, que reúne conteúdos digitais para o uso dos professores, pais e alunos. São artigos, fotos, jogos, mapas, entre outros.

    “O importante é que o portal Britannica Escola é um ambiente seguro e confiável”, explica Magela Lindner, consultora de projetos para o Brasil da Encyclopedia Britannica. “Pais, professores e alunos podem usar gratuitamente todo o material. Tudo isso já poupa um tempo enorme, pois uma busca na internet aberta carece de um filtro para separar aquilo que serve e aquilo que não serve. No portal do Britannica, não. Lá todas as buscas relacionadas a conteúdo digital vão direcionar a resultados seguros e adequados ao ensino fundamental, tudo organizado e de acordo com as normas da ABNT.”

    Enquanto todo o material do portal está disponível aos pais e alunos, as capacitações on-line são direcionadas apenas aos professores e divulgadas mensalmente pela Capes. Agora em abril, o objetivo é ressaltar a importância dos recursos digitais no desenvolvimento das competências de um aluno pesquisador. “Nós vamos fazer toda uma abordagem em torno do uso desse conteúdo digital e mostrar para o professor as muitas possibilidades que ele tem de aplicação desse conteúdo na sala de aula e também para as pesquisas escolares”, ressalta Magela. “A capacitação também foca como o tema pode atender aquilo que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) preconiza com relação a uma postura de aluno pesquisador, que usa conteúdo confiável. A BNCC fala no uso de múltiplas linguagens, e dentre elas está a digital.”

    Pais e alunos podem acessar o portal gratuitamente para usar todo o conteúdo em atividades escolares, como as lições de casa, por exemplo. Há mais de três mil artigos, imagens, vídeos, além de uma série de recursos lúdicos.

    Acesse o portal Britannica Escola  

    Professor, faça aqui sua inscrição  

    Assessoria de Comunicação Social

  • Capacitação para quem vai aplicar a prova começa neste sábado

    Os coordenadores estaduais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 começam a ser capacitados neste sábado, 28, no Rio de Janeiro, dando início à temporada de capacitações promovidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em todo o Brasil até a data das provas, em 4 e 11 de novembro. A capacitação deste sábado reunirá coordenadores estaduais de todas as unidades da federação e seus assistentes, além de representantes do Inep e do consórcio aplicador, formado pela Fundação Cesgranrio e Fundação Getulio Vargas (FGV).

    A capacitação presencial é uma das etapas de preparação dos cerca de 500 mil envolvidos com a aplicação das provas. Com oito horas de duração, a programação inclui vídeos, dinâmicas e exercícios para reforçar as regras e procedimentos de aplicação, padronizados em todo o Brasil. Todos que atuam no Enem também precisam passar por uma capacitação a distância.

    Nas próximas semanas, o Inep inicia a capacitação presencial dos coordenadores municipais, percorrendo todas as capitais e outras grandes cidades brasileiras. Uma das novidades deste ano, em que o Enem completa 20 anos, é a ampliação da capacitação presencial. Coordenadores de locais de prova de municípios localizados a até 100 km do polo de capacitação também poderão participar. As capacitações são realizadas pelo consórcio com acompanhamento de representantes do Instituto e todos os anos tem um tema condutor. A história do Enem nos últimos 20 anos guiará a capacitação deste ano.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Coordenadores do Amazonas, Santa Catarina e São Paulo serão capacitados

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) segue com seu cronograma de treinamento de coordenadores municipais e coordenadores de local de aplicação, que atuarão no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Nesta sexta, 7, sábado e domingo, 8 e 9 de setembro, serão instruídos 496 coordenadores do Amazonas, 196 de Santa Catarina e 856 de São Paulo. Na capital paulista, nos dias 22 e 23 de setembro, 328 coordenadores de local de aplicação também serão treinados.

    Nesta edição do Enem, a capacitação presencial tornou-se regionalizada. Assim, os coordenadores dos locais de aplicação de cidades situadas a até 105 km do polo de capacitação também receberão as instruções sobre como aplicar o Exame, de forma padronizada, pelos instrutores do consórcio aplicador, formado pela Fundação Cesgranrio e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    A capacitação presencial é uma das etapas de preparação dos mais de 500 mil envolvidos com a aplicação das provas do Enem. Com oito horas de duração, a programação inclui vídeos, dinâmicas, simulações e exercícios para reforçar as regras e os procedimentos de aplicação, padronizados em todo o Brasil. Todos que atuam no Enem também precisam passar por uma capacitação na modalidade a distância, que exige rendimento mínimo de 50%. A plataforma EaD para coordenadores de locais de aplicação será aberta em 20 de agosto.

    Tema – Os 54 coordenadores estaduais também já passaram pela capacitação presencial e já estão fazendo a capacitação a distância, que tem conteúdo distinto para cada tipo de colaborador. A história do Enem nos últimos 20 anos é o tema que guiará a capacitação deste ano. No dia do Exame, os coordenadores dos locais de aplicação ainda capacitam os chefes de sala, aplicadores e fiscais. Esses também passarão pelo curso EaD. As capacitações presenciais começaram em 11 de agosto e percorrerão o Brasil até 23 de setembro.

    Em 1º de setembro, ocorreu um treinamento para a região Centro-Oeste, em Brasília (DF), para 56 pessoas. Já o Nordeste terá o encontro em Salvador, em 15 de setembro, e contará com 88 participantes. Para as regiões Sul e Sudeste, o encontro será em 22 de setembro, em Belo Horizonte, para um público de 74 pessoas. Todas as capacitações serão acompanhadas por servidores da Diretoria de Gestão e Planejamento do Inep, representantes do Ministério da Defesa, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal.

    Perfil do participante Brasil – O Enem 2018 será realizado em 4 e 11 de novembro, em 1.725 municípios brasileiros. O Inep se prepara para aplicar o Exame para 5.513.684 participantes. Desses, 59% são mulheres. A faixa etária mais representativa é a dos participantes que têm de 21 a 30 anos (27,8%), 17 anos (17%) e 18 anos (15,9%). A maioria dos inscritos, 58,7%, já concluiu o ensino médio, e 29,7% está cursando a última série em 2018. Os chamados treineiros – participantes que fazem o Enem para autoavaliação – representam 10,6% dos inscritos. Ao todo, 63,8% dos participantes estão fazendo o Enem com todos os custos pagos pelo governo federal.

    Perfil do Participante Amazonas – Dos 123.800 de inscritos no Amazonas, 70.383 são mulheres, o que representa 56,9%, e 53.417 são do sexo masculino, somando 43,1%. A faixa etária mais representativa, 21 a 30 anos, tem 39.834 participantes, o que representa 32.2%. Os que têm de 31 a 59 anos (20.430) totalizam 16,5%. A maioria dos inscritos, 78.292, já concluiu o ensino médio. Outros 38.476 estão cursando a última série em 2018, e 6.032 dos inscritos são treineiros. Exatos 1.000 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

    Perfil do Participante Santa Catarina – Dos 125.360 de inscritos em Santa Catarina, 74.207 são mulheres, o que representa 59,2%, e 51.153 são do sexo masculino, somando 40,8%. A faixa etária mais representativa, 23%, é a dos participantes que têm de 17 anos (28.873). Participantes com 18 anos (28.234) representam 22,5%, e com 21 a 30 anos (27.259), 21,7%. A maioria dos inscritos, 56.340, já concluiu o ensino médio. Outros 50.357 estão cursando a última série em 2018. Já os treineiros somam 17.319 inscritos, enquanto 1.344 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

    Perfil do Participante São Paulo – Dos 937.336 de inscritos em São Paulo, 551.780 são mulheres, o que representa 58,9%, e 385.556 são do sexo masculino, somando 41,1%. A faixa etária mais representativa, 25,7%, é a dos participantes que têm 17 anos (241.056). Os que têm de 21 a 30 anos (205.091) totalizam 21,9%, e 155.296 têm 18 anos. A maioria dos inscritos, 500.100, já concluiu o ensino médio. Outros 355.570 estão cursando a última série em 2018. O treineiros, por sua vez, correspondem a 95.335 dos inscritos. E 6.331 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Coordenadores e assistentes de provas passam por capacitação

    Para as provas do Enem, em outubro, estarão certificados cerca de 39,8 mil coordenadores e assistentes, que prestarão apoio logístico aos participantes do exame (foto: t3.gstatic.com/images)Começa nesta segunda-feira, 29, a capacitação a distância da segunda turma de coordenadores e assistentes que trabalharão na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 26 e 27 de outubro próximo. Participam do treinamento de alinhamento técnico 11,2 mil profissionais das regiões Centro-Oeste e Sudeste.  O encontro se estenderá até 11de agosto.

     

    A meta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) é certificar 39.851 coordenadores e assistentes que trabalharão no exame deste ano. Em 2012, foram certificados 31.488 pessoas. No início deste mês, participaram da capacitação 6.351 coordenadores e assistentes da região Nordeste. A terceira e a quarta turma, com 11.150 pessoas cada uma, receberão formação entre 12 e 25de agosto.

     

    O presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, destaca a importância dos encontros de alinhamento para assegurar que exame seja realizado de forma segura em todo o país. “Estamos aprimorando o processo para garantir um Enem com ainda mais qualidade técnica”, ressaltou.

     

    Enem 2013

    Capacitação de coordenadores e assistentes

    Turmas

    Período

    Inscritos

    Turma 1
    Nordeste

    8 a 21 de julho

    6.351

    Turma 2

    Centro-Oeste e Sudeste

    29 de julho a 11 de agosto

    11.200

    Turma 3

    Norte e Sul

    12 a 25 de agosto

    11.150

    Turma 4

    (complementar)

    12 a 25 de agosto

    11.150














    Acesso — O Enem, que avalia o desempenho escolar e acadêmico do estudante ao fim do ensino médio, é aplicado em todos os estados e no Distrito Federal. O resultado obtido no exame permite ao candidato a participação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, que oferece vagas em instituições públicas de educação superior.

     

    O bom desempenho no Enem é também requisito para participação do estudante nos programas Universidade para Todos (ProUni) e Ciência sem Fronteiras e para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Estudantes maiores de 18 anos que ainda não obtiveram a certificação do ensino médio podem fazê-lo por meio do Enem.

     

    Este ano, o exame atingiu a marca de 7.173.574 inscritos confirmados, um aumento de 24% em relação aos 5.791.290 confirmados em 2012. As provas, nos dias 26 (sábado) e 27 (domingo) de outubro, terão início às 13 horas (de Brasília). Os portões de acesso aos locais de provas serão abertos às 12 horas e fechados às 13 horas, também de acordo com o horário de Brasília. Será impedida a entrada do participante que se apresentar após o fechamento dos portões.


    Assessoria de Comunicação Social do Inep

  • Coordenadores estaduais do Saeb participam de capacitação

    Teve início nesta segunda-feira, 25, a capacitação voltada aos coordenadores estaduais do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017. O curso, oferecido pelo consórcio contratado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vai até esta terça-feira, 26, no Rio de Janeiro.

    O Saeb foi ampliado este ano, com a inclusão dos alunos do terceiro ano do ensino médio da rede pública, de forma censitária, e das escolas particulares por adesão. Assim, os instrumentos de diagnóstico serão aplicados para um universo de 7,5 milhões de estudantes, de 115 mil escolas, entre 23 de outubro e 3 de novembro.

    A presidente do Inep, Maria Inês Fini, participou da abertura da capacitação por meio de videoconferência. “O Saeb ganha uma condição especial em 2017. Abrimos a possibilidade de a avaliação ser feita de forma mais abrangente. E, em uma ação apoiada pelas equipes técnicas do Inep, conseguimos passar do Exame Nacional do Ensino Médio [Enem], para o Saeb, a perspectiva do boletim da escola. O Saeb tem instrumentos mais adequados para a avaliação da qualidade da educação ofertada nos sistemas de educação e nas escolas brasileiras”, destacou.

    Durante a abertura da capacitação, o Inep lançou a Cartilha da Escola, com instruções para aplicação dos instrumentos do Saeb. O documento visa informar os diretores sobre as características do exame. Por meio de um passo a passo, a intenção é orientar sobre todas as etapas previstas: agendamento, chegada do aplicador na escola, aplicação dos instrumentos da avaliação e a pós-aplicação.

    Além da capacitação presencial, os coordenadores estaduais do Saeb precisam fazer uma a distância. O módulo ficará disponível de 25 de setembro a 8 de outubro. Subcoordenadores, coordenadores de polo e apoio logístico devem fazer o mesmo treinamento. Já para os aplicadores do Saeb, o módulo de capacitação a distância estará aberto de 2 a 22 de outubro.

    Avaliação – Composto por três avaliações externas aplicadas em larga escala, o principal objetivo do Saeb é diagnosticar a educação básica do Brasil. O resultado dessas avaliações é usado para calcular o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado a cada dois anos. Ao unir o desempenho dos alunos no Saeb aos dados de fluxo do Censo Escolar, o Ideb fornece indícios sobre a qualidade de ensino oferecido nas escolas de todo o país.

    A partir de 2017, todas as escolas que participarem da aplicação censitária do Saeb e que cumprirem critérios determinados terão seu Ideb calculado. A ampliação do público avaliado pelo Saeb, associada ao encerramento da divulgação do Enem por Escola, permitirão uma avaliação mais ajustada das instituições de ensino brasileiras. Com base nesse índice educacional e nas evidências trazidas por ele, as escolas e os sistemas poderão formular ou reformular suas políticas educacionais em uma busca constante pela melhoria da qualidade, equidade e eficiência do ensino.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

     

  • Coordenadores municipais serão capacitados neste sábado, dia 19

    Os coordenadores municipais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 começam a ser preparados neste sábado, 19. Os primeiros a passar pela capacitação presencial são os 251 coordenadores que atuarão na aplicação das provas no Amapá, Goiás, Paraíba, Paraná e Mato Grosso do Sul. Os cursos serão realizados pelo consórcio aplicador – formado pela Fundação Cesgranrio, Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) – com acompanhamento de representantes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

    As capacitações do Enem abordam todo o procedimento de logística e aplicação do exame. Em 2017 há novidades, como a aplicação em dois domingos consecutivos, o encerramento da aplicação para sabatistas e a estreia das provas personalizadas com nome e número de inscrição do participante. Há também um novo recurso de acessibilidade, a vídeo prova traduzida em língua brasileira de sinais (Libras).

    Durante o curso, os coordenadores municipais assistem a um vídeo de preparação e realizam exercícios, totalizando oito horas. Eles também precisam concluir, até a véspera do exame, um treinamento a distância de 20 horas de duração.

    No próximo sábado, 26, haverá capacitações em Vitória, Belo Horizonte, Natal, Limeira (SP) e Santos (SP). Até 23 de setembro, todos os 1.783 coordenadores municipais do Enem serão treinados. Este ano, o exame será aplicado em 1.724 municípios, para 6.731.186 inscritos. As provas serão em 5 e 12 de novembro.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Coordenadores têm capacitação a partir desta segunda-feira, 18

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) abre nesta segunda-feira, 18, o segundo módulo da capacitação a distância do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. O curso é direcionado a coordenadores de local de prova e assistentes.  

    Com 30 horas de duração, o módulo deve ser concluído até a véspera da aplicação do exame, em 4 de novembro. A capacitação apresenta todo o procedimento do exame, com várias novidades para a edição deste ano.

    Já até sexta-feira, 22, estará aberto o módulo para coordenadores estaduais e municipais do Enem. E em 4 de outubro, o Inep abre o terceiro e quarto módulos do curso, destinado aos chefes de sala, aplicadores e aplicadores especializados.

    Além do curso a distância, coordenadores estaduais e municipais passam por capacitação presencial, realizada nos meses de agosto e setembro. No dia da aplicação, os coordenadores de local de prova repassam os principais procedimentos com os chefes de sala, aplicadores e aplicadores especializados.

    Novidades – Com 6.731.203 inscritos, o Enem 2017 terá as provas realizadas em 5 e 12 de novembro, em dois domingos consecutivos – o que é uma das principais novidades desta edição do exame. Com a alteração – até o ano passado, as provas eram feitas no sábado e no domingo –, encerra-se a aplicação especial para sabatistas.

    Outra novidade deste ano é a estreia das provas personalizadas com nome e número de inscrição do participante. Haverá ainda um novo recurso de acessibilidade, a videoprova traduzida em Língua Brasileira de Sinais (libras). A prova de redação, por sua vez, passa a ser aplicada no primeiro dia do exame.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Cultura afro-brasileira é tema de capacitação de professores

    Para ampliar o debate sobre história e cultura afro-brasileiras nas escolas, o Ministério da Educação apoia o projeto Conhecendo Nossa História: Da África ao Brasil, da Fundação Palmares, instituição vinculada ao Ministério da Cultura. Dentro das atividades do projeto, multiplicadores participam em Brasília, nesta terça-feira, 18, e quarta-feira, 19, de uma capacitação para aplicar os conteúdos dos mais de 40 mil kits que estão sendo distribuídos em 16 cidades de todas as regiões do país.

    O objetivo é dar subsídio aos profissionais da educação para que possam levar a história e a cultura afro-brasileiras para as salas de aula. A maior parte dos multiplicadores é composta de professores com experiência curricular com o tema.

    Para Rita Potiguara, diretora de políticas de educação do campo, indígena e para as relações étnico-raciais do MEC, os multiplicadores têm um importante papel na realização do projeto. “Nossa intenção é que se discutam as relações étnico-raciais, conhecendo as políticas desenvolvidas pelo MEC como também pelos diversos entes federados, como os órgãos locais de cultura e representações da Fundação Palmares, além de secretarias de educação e universidades”, explica a diretora.

    O projeto visa conscientizar estudantes sobre a importância do respeito às diferenças e do combate ao preconceito, ao racismo, à discriminação e à intolerância religiosa. O kit conta com o livro O que você sabe sobre a África, que trata da trajetória do povo afro-brasileiro. O material tem ainda uma revista com passatempos com a mesma temática. O material foi adquirido pela Fundação Palmares. Ao MEC coube o apoio pedagógico do projeto e do material.

    O presidente da Fundação Palmares, Erivaldo Oliveira, afirmou que não há possibilidade de se promover nenhuma mobilidade social sem educar as pessoas. Ele ressaltou a importância das parcerias entre os órgãos de cultura e de educação. “Este projeto é nosso carro-chefe. Estamos viajando pelo país, mostrando que é possível reduzir o preconceito e a intolerância, que ainda se manifestam com força nas escolas e em nossa sociedade”, destacou.

    O kit será distribuído inicialmente nas cidades de Salvador e Santo Amaro (BA), Maceió e União dos Palmares (AL), Campina Grande e João Pessoa (PB), Macapá (AP), São Gonçalo – a confirmar – e Paraty (RJ), Belo Horizonte e Ouro Preto (MG), Vila e Cariacica (ES), Porto Alegre e Pelotas (RS), Florianópolis e Campo Grande.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Curso nos EUA recebe inscrição de professor até 13 de outubro

    Professores de língua inglesa que atuam nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia podem participar de chamada pública para programa de capacitação nos Estados Unidos. As inscrições estão abertas até 13 de outubro próximo. A chamada é realizada em parceria entre Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).  

    O programa Setec–Capes–Nova atenderá a até 152 professores, que serão selecionados em duas etapas. A realização dos cursos está prevista para os períodos de janeiro a março e de julho a agosto de 2016. A capacitação terá duração de até oito semanas, em instituições consorciadas com o Northern Virgínia Community College (Nova), dos Estados Unidos. Os professores brasileiros vão fortalecer o domínio de habilidades linguísticas, conhecer práticas pedagógicas e compartilhar experiências sobre o ensino de inglês.

    A capacitação também vai estimular o uso de recursos on-line e de outras ferramentas tecnológicas na formação continuada de professores e o desenvolvimento de metodologias e materiais didáticos para uso em sala de aula, além de estimular parcerias para futuros intercâmbios.

    Como contrapartida pela participação no programa, os candidatos selecionados desenvolverão plano de trabalho, por período mínimo de um ano, nas ações do programa Idiomas sem Fronteiras (IsF) do Ministério da Educação. Essa atividade será realizada na instituição de origem do professor ou em outras escolas públicas.

    Requisitos — O candidato deve ser professor de inglês em efetivo exercício em unidade da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica; ter nacionalidade brasileira; obter nota mínima no exame Toefl [test of english as a foreign language], de proficiência em língua inglesa; e não receber ou ter recebido bolsa ou benefício financeiro para capacitação internacional em língua inglesa.

    Mais informações na Chamada Pública da Setec nº 1, de 22 de setembro de 2015, que teve o extrato de edital publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 23. As inscrições devem ser feitas na página dos editais Sicapes na internet.

     

  • Curso prepara gestores para programas educacionais

    Técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) estarão esta semana em Barra do Garças (MT) instruindo gestores, técnicos e conselheiros educacionais de vinte municípios de Mato Grosso e Goiás sobre os programas Dinheiro Direto na Escola e de transporte escolar. A capacitação objetiva informar sobre as normas dos programas e a correta destinação dos recursos repassados pelo FNDE, para evitar erros na execução e melhorar as ações em prol da educação.

    A partir desta segunda-feira, 22, até quarta-feira, 24, os técnicos percorrerão escolas públicas para verificar a execução do programa e instruir diretores e técnicos responsáveis por sua gestão. Na quinta-feira, 25, a capacitação do programa Dinheiro Direto na Escola deve reunir 130 pessoas, entre dirigentes, gestores, técnicos municipais e da secretaria estadual de educação. Na sexta-feira, 26, o tema da formação será o transporte escolar.

    A capacitação tem o apoio da prefeitura de Barra do Garças, que fornece infraestrutura para que os técnicos do FNDE visitem as escolas e instruam os gestores educacionais. O local é o auditório da Faculdade Cathedral – avenida Antônio Francisco Cortes, s/n, Cidade Universitária, Barra do Garças.

    Municípios– Em Mato Grosso, os municípios envolvidos são: Água Boa, Araguaiana, Barra do Garças, Canarana, Cocalinho, Confresa, General Carneiro, Nova Nazaré, Nova Xavantina, Novo São Joaquim, Pontal do Araguaia, Ponte Branca, Querência, Ribeirão Cascalheira, Ribeirãozinho, São Félix do Araguaia e Torixoréu. Em Goiás, participam Aragarças, Bom Jardim de Goiás e Piranhas.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Cursos de formação no exterior podem ganhar novas edições

    Para atender à demanda gerada pela expansão da educação profissional e tecnológica, o Ministério da Educação desenvolve cursos de formação no exterior para professores e gestores dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica. Dois grupos na Finlândia e um no Canadá já fizeram a capacitação, que tem previsão de outras três edições.

    Os cursos têm duração de três meses, em média, em instituições similares aos institutos federais brasileiros. Ou seja, de ciências aplicadas. A oferta é feita por meio de chamadas, e os participantes têm de comprovar vínculo formal permanente com a instituição (servidor concursado) e apresentar projeto de desenvolvimento local, um plano de ação.

    “O professor vai para a instituição no exterior e, na volta, à luz do que viu no modelo internacional, com ajustes e implementações, aplica seu projeto no Brasil, no instituto em que trabalha”, diz Luciano de Oliveira Toledo, coordenador do núcleo Estruturante de Política de Inovação da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC.

    Além das chamadas para Finlândia e Canadá, a Setec negocia a ida de mais grupos à Finlândia (60 pessoas), Canadá (80 pessoas) e Alemanha (40 pessoas). Também está em estudo a oferta de cursos na Holanda, Reino Unido e Austrália.

    A rede de instituições federais de educação profissional e tecnológica conta hoje com 38 institutos, dois centros de educação tecnológica e o Colégio Pedro II. De 140, em 2002, passou-se para 562 unidades, distribuídas por todo o país. Em dez anos, foram contratados mais de 20 mil profissionais. “A expansão traz oportunidades, mas também desafios”, avalia Toledo. “A necessidade de capacitação é cada vez maior.”

    Assessoria de Comunicação Social

  • DF e Goiás realizam capacitações do exame nos dias 20 e 21

    Neste fim de semana, 20 e 21, Distrito Federal e Goiás recebem as capacitações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, encerrando a série de treinamentos que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, promove em todo o Brasil para garantir a aplicação padronizada do exame. Serão capacitados 403 coordenadores municipais, coordenadores de local de aplicação e assistentes do DF e mais 501 de Goiás. O Enem 2018 será realizado em 4 e 11 de novembro em 1.725 municípios brasileiros, envolvendo 5,5 milhões de participantes.

    Nesta edição do Enem, a capacitação presencial tornou-se regionalizada e os colaboradores receberam as instruções sobre como administrar o exame de forma padronizada diretamente dos instrutores do consórcio aplicador, formado pela Fundação Cesgranrio e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Até 2017, apenas os coordenadores estaduais e municipais tinham a capacitação presencial com o consórcio.

    A capacitação presencial é uma das etapas de preparação dos mais de 500 mil envolvidos na aplicação das provas do Enem. Com oito horas de duração, a programação inclui vídeos, dinâmicas, simulações e exercícios para reforçar as regras e os procedimentos de aplicação, padronizados em todo o Brasil.

    Todos os profissionais que atuam no Enem também precisam passar por uma capacitação na modalidade a distância, que, aberta desde agosto, exige rendimento mínimo de 50%. A história do Enem nos últimos 20 anos é o tema condutor que guia a capacitação deste ano. No dia do exame, os coordenadores de local de aplicação ainda capacitam os chefes de sala, aplicadores e fiscais. Todos eles também passam pelo curso EaD. 

    Perfil nacional – Dos 5.513.684 inscritos em todo o Brasil, 59% são mulheres. A faixa etária mais representativa é a de 21 a 30 anos de idade (27,8%). Seguem-se as dos participantes de 17 anos (17%) e 18 anos (15,9%). A maioria dos inscritos, 58,7%, já concluiu o ensino médio, enquanto 29,7% estão cursando a última série em 2018. Os chamados treineiros, participantes que fazem o Enem para autoavaliação, representam 10,6% dos inscritos. Ao todo, 63,8% dos participantes estão prestando o Enem com todos os custos pagos pelo governo federal.

    Perfil do Distrito Federal – Dos 106.308 inscritos do DF, 62.611 são do sexo feminino e 43.697, do sexo masculino. A faixa etária mais representativa, com 31.406 participantes, é a de 21 a 30 anos. Os inscritos com 18 anos somam 16.503 e aqueles com idade entre 31 e 59 anos, 15.973. Do total de inscritos, 66.526 já concluíram o ensino médio. Outros 30.200 estão cursando a última série neste ano. Os treineiros são 7.931 dos inscritos. Outros 1.651 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

    Perfil de Goiás – O estado, registra um total de 190.591 inscritos, sendo 112.262 do sexo feminino e 78.329, do sexo masculino. Assim como nos perfis do Brasil e do Distrito Federal, em Goiás a faixa etária mais representativa é de 21 a 30 anos – aqui, com 46.246 participantes. Os inscritos com 17 anos somam 36.824; os de 18 anos, 33.087. A maioria dos participantes, 94.487, já concluiu o ensino médio, enquanto 65.010 estão cursando neste ano a última série. Os treineiros são 28.988 dos inscritos. Outros 2.106 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Dirigentes mineiros aprendem a aplicar recursos federais

    Diretores e demais profissionais de escolas municipais de 15 cidades mineiras receberão, na próxima semana, orientações sobre o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). A partir de segunda-feira, 7, até quinta, 10, técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) também farão visitas de monitoramento a escolas. Cerca de 100 dirigentes vão passar pela capacitação.

    Os primeiros três dias serão reservados a visitas às escolas atendidas pelo PDDE. Os técnicos do FNDE darão orientações para evitar erros na aplicação dos recursos. No dia 10, na Superintendência Regional de Ensino de Janaúba, a capacitação abrangerá prestações de contas e a legislação específica do programa. Serão atendidos dirigentes dos municípios de Catuti, Espinosa, Gameleiras, Jaíba, Janaúba, Mamonas, Mato Verde, Monte Azul, Montezuma, Nova Porteirinha, Riacho dos Machados, Rio Pardo de Minas, Santo Antonio do Retiro, Serranópolis de Minas e Verdelândia.

    Criado em 1995, o PDDE repassa recursos diretamente a unidades de ensino para pequenos reparos e manutenção da infraestrutura ou para compra de material de consumo e de bens permanentes. O programa também promove a acessibilidade nas escolas públicas, financia a educação integral e a abertura das escolas nos fins de semana para atividades com a comunidade.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Dirigentes serão capacitados na Bahia e em Santa Catarina

    Técnicos educacionais de oito municípios da Bahia e 12 de Santa Catarina passarão por capacitação para monitorar e orientar a execução do programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Eles serão instruídos também sobre os programas de transporte escolar. Os cursos de formação terão início na terça-feira, 3 de novembro, e se estenderão até sexta-feira, 6.

    Em Salinas da Margarida, Bahia, o curso terá 80 participantes, entre gestores de escolas municipais, técnicos da secretaria estadual de educação e dos oito municípios, dirigentes e conselheiros do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em Joinville, Santa Catarina, 350 profissionais aprenderão a aplicar os recursos dos programas.

    Responsáveis pelas atividades de capacitação, técnicos do FNDE também visitarão escolas beneficiárias do PDDE nos municípios envolvidos para conferir de perto a aplicação do dinheiro. O objetivo é orientar os agentes educacionais sobre as normas legais e prevenir erros e gastos indevidos.

    Os recursos do PDDE destinam-se à melhoria da infraestrutura física e pedagógica das escolas, ao reforço da autogestão e à elevação dos índices de desempenho da educação básica. Os gestores podem usar o dinheiro na compra de material de consumo e de bens permanentes, em pequenos reparos e na manutenção da unidade educacional. O programa também contribui para a acessibilidade nas escolas públicas, além de financiar a implantação da educação integral.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Educadores e gestores fazem cursos no Maranhão e São Paulo

    O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) promove, na próxima semana, capacitação sobre programas educacionais para gestores públicos, diretores e conselheiros de 25 municípios maranhenses e de 38 do interior paulista. As capacitações serão realizadas com o apoio das prefeituras locais, que fornecem a infraestrutura necessária à execução do trabalho.

    O intuito da formação é melhorar a execução dos programas Dinheiro Direto na Escola (PDDE), merenda e transporte escolar. No Maranhão, o curso será no dia 23, em Imperatriz, e vai abordar o PDDE e os programas de transporte escolar do governo federal.

    Antes do encontro, técnicos do FNDE vão percorrer unidades de ensino de Imperatriz e de municípios vizinhos para monitorar a execução do PDDE, que repassa recursos diretamente às escolas, para melhorar a infraestrutura física e pedagógica, reforçar a autogestão e elevar os índices de desempenho da educação básica. Programadas para o período de 19a 22 de outubro, as visitas de acompanhamento buscam diminuir erros na aplicação dos recursos e aprimorar as ações em prol da educação.

    Em São Paulo, a formação deve reunir cerca de 260 participantes em São José dos Campos, e se estenderá por dois dias. No dia 22, gestores e conselheiros serão capacitados sobre o PDDE. No dia seguinte, o foco são os programas de transporte e de alimentação escolar. No início da semana, de 19a 21, técnicos do PDDE farão visitas de acompanhamento em escolas de São José dos Campos e de municípios vizinhos.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE

    Vejaa programação.
  • Educadores podem fazer curso de capacitação on-line do programa

    A capacitação de Desenvolvimento Profissional do Mais Alfabetização, dirigida a educadores de escolas que aderiram ao programa, já pode ser feita pela internet, mediante inscrição na plataforma on-line. A capacitação, de 40 horas, é feita em três módulos, com uma avaliação ao final de cada um. É dirigida a professores alfabetizadores, assistentes, coordenadores pedagógicos e diretores das escolas, e foi elaborada pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação (Caed) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

    O objetivo da capacitação é preparar os profissionais que trabalham com alfabetização para avaliar o resultado das ações desse processo, a construir planos de ação e fazer um trabalho de reflexão sobre o tema. Mais de 49 mil escolas públicas do ensino fundamental, com 3,6 milhões de alunos de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal, aderiram ao Programa Mais Alfabetização.

    “Esse curso tem como objetivo apoiar os profissionais do Mais Alfabetização. Queremos garantir que os estudantes estejam plenamente alfabetizados até o final do segundo ano do ensino fundamental”, destacou o diretor de Currículos e Educação Integral do Ministério da Educação, Raph Gomes Alves.

    O programa Mais Educação foi criado com o objetivo de apoiar escolas no processo de alfabetização dos estudantes de todas as turmas do primeiro e do segundo anos do ensino fundamental e para combater a estagnação dos baixos índices registrados pela Avaliação Nacional de Alfabetização. Seu foco é tornar mais eficiente o processo de alfabetização, tanto na língua portuguesa como na matemática, para os alunos matriculados no primeiro e no segundo ano do ensino fundamental, além de reduzir e prevenir o abandono precoce da sala de aula.

    O programa está sendo implementado nas turmas de primeiro e segundo anos do ensino fundamental nas unidades escolares públicas, por meio de articulação institucional entre o MEC e as secretarias de educação estaduais, com a cooperação das redes de ensino e com apoio técnico e financeiro federal.

    Formação – Em 23 e 24 de julho, o MEC promoverá uma formação presencial, no Rio de Janeiro, para os 53 coordenadores estaduais do programa, indicados pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Eles aprenderão a analisar os resultados das avaliações do programa, planejar ações pedagógicas e, sobretudo, replicar ações de formação em seus estados.

    Além disso, a formação tratará sobre a avaliação diagnóstica intermediária, que representa a segunda etapa de avaliação do desenvolvimento e aprendizado das crianças em termos de alfabetização, com o objetivo de melhorar o desempenho do programa.

    Acesse a página do Mais Alfabetização

    Assessoria de Comunicação Social

     

Fim do conteúdo da página