Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Avaliação de Alfabetização terá resultados abertos no dia 22


    Os resultados preliminares da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) 2016 serão divulgados para as escolas na próxima segunda-feira, 22. Terão acesso aos resultados apenas as instituições de ensino com, no mínimo, dez estudantes matriculados no momento da avaliação e que tiveram taxa de participação de 80% dos estudantes matriculados no terceiro ano, de acordo com os dados do Censo Escolar 2016. Para receber os resultados, as escolas devem manter seus cadastros atualizados junto ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

    Entre 22 de maio e 5 de junho, estará aberto o período para a interposição de recursos. A divulgação dos resultados finais será em agosto. Só nesse momento, a imprensa, os gestores públicos e demais interessados terão acesso aos dados da avaliação.

    Finalidade – A ANA é um dos instrumentos do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e tem foco nos níveis de alfabetização e letramento em língua portuguesa, alfabetização em matemática e as condições de oferta do ciclo de alfabetização das redes públicas.

    Passam por esse sistema todos os estudantes do terceiro ano do ensino fundamental matriculados nas escolas públicas no ano da aplicação da avaliação. Em 2016, os testes foram aplicados para 2,5 milhões de estudantes, de 50 mil escolas e 100 mil turmas.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep. 

  • Cerca de 40% dos participantes já acessaram os resultados

    Algumas horas após ser aberta a consulta on-line aos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 2.331.022 candidatos já consultaram suas notas. Esse número representa aproximadamente 40% do total de 6.005.607 participantes da edição de 2016.

    O Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) também abriram nesta quarta-feira, 18, a Consulta Pública que dará aos cidadãos brasileiros a oportunidade de opinar sobre o Enem. Até as 15h, 46.155 pessoas já haviam dado suas contribuições para as próximas edições do exame. A consulta será encerrada no dia 10 de fevereiro.

    Três perguntas objetivas abordam alternativas de mudanças dos dias de aplicação de provas e a possibilidade de aplicação por computador. Uma pergunta discursiva dá ao cidadão a oportunidade de apresentar sugestões para o aprimoramento do exame. As contribuições devem ser apresentadas na página da Consulta Pública, no portal do Inep.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Data é alterada e resultados da pré-seleção do P-Fies serão divulgados em 26 de março



    O resultado da pré-seleção do P-Fies, uma das modalidades do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), será divulgado na próxima segunda-feira, 26, de acordo com edital publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 23. O prazo foi ampliado para que os bancos conveniados entregassem as análises de crédito à Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) do Ministério da Educação.

    Serão oferecidas 75 mil vagas, para o primeiro semestre de 2018, aos candidatos com renda mensal por pessoa da família de até cinco salários mínimos. Para contemplar esse público, o Novo Fies terá recursos dos Fundos Constitucionais e dos Fundos Regionais de Desenvolvimento.

    O P-Fies é o Programa de Financiamento Estudantil destinado à concessão de financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC. As condições para concessão do financiamento ao estudante serão definidas entre o agente financeiro operador do crédito (banco), a instituição de ensino superior e o estudante.

    Acesse a página do Fies Seleção.

    Confira  aqui o edital publicado no Diário Oficial da União.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Encceja do ensino fundamental terá resultados até 29 de março

    Os resultados do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), edição de 2017, direcionados ao ensino fundamental, serão divulgados até 29 de março. A informação é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame.

    De acordo com o Inep, autarquia vinculada ao Ministério da Educação, os estudantes terão acesso ao desempenho por meio da própria página do exame na internet, após informar o número do CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição. No ano passado, 301.583 candidatos do ensino fundamental fizeram as provas do Encceja, o equivalente a 19% dos mais de 1,5 milhão de inscritos (1.272.279 prestaram para o ensino médio, ou 81%). Em fevereiro passado, o Inep há havia divulgado o resultado para o ensino médio.

    O Encceja é composto por quatro provas objetivas por nível de ensino e uma redação. Cada prova tem 30 questões de múltipla escolha. No ensino fundamental, as áreas de conhecimento avaliadas são: ciências naturais, matemática, língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física, redação, história e geografia. No ensino médio, são testados os conhecimentos de ciências da natureza e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, linguagens e códigos e suas tecnologias e redação, além de ciências humanas e suas tecnologias.

    O exame é realizado em parceria com as 27 secretarias estaduais de educação. Apesar de ser aplicado pela autarquia, cabe às secretarias estaduais e aos institutos federais de educação, ciência e tecnologia definir os procedimentos complementares para certificar os participantes ou emitir a declaração parcial de proficiência, com base nos resultados das provas.

    Dessa forma, as secretarias estaduais de educação listadas no edital do Encceja utilizam os resultados individuais para a certificação no nível de conclusão do ensino fundamental e do ensino médio. Já os institutos federais o fazem somente para certificar a conclusão do ensino médio.

    Os resultados individuais permitem a emissão da certificação de conclusão dos dois níveis de ensino ao participante que obtiver a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação, bem como da declaração parcial de proficiência, ao candidato que obtiver a nota mínima exigida em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas.

    A inscrição e a realização das provas, no entanto, não garantem a certificação. Segundo o Inep, recebe o certificado apenas o participante que atinge o mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento do Encceja e que obtém, adicionalmente, no caso de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e educação física no ensino fundamental, e de linguagens e códigos e suas tecnologias no ensino médio, proficiência de pelo menos cinco pontos na prova de redação.

    O Encceja também é aplicado nas modalidades Nacional PPL, para pessoas privadas de liberdade, em parceria com o Ministério da Justiça, e Exterior e Exterior PPL, este também para privados de liberdade, cuja cooperação é realizada com o Ministério das Relações Exteriores, nos dois níveis de ensino, médio e fundamental. 

    Assessoria de Comunicação Social

  • Estudantes aprovados na segunda etapa podem fazer a matrícula até sexta-feira

    Os candidatos aprovados na segunda etapa do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) devem fazer a matrícula nas universidades e institutos federais de educação, ciência e tecnologia a partir desta terça-feira, 23 — o prazo vai até sexta-feira, 26. O resultado da seleção está disponível na internet. Do total de inscritos, foram selecionados 29.090 estudantes. Desde o dia 15 até sábado, 20, inscreveram-se 550.972 candidatos para as vagas oferecidas na segunda fase.

    Os candidatos terão acesso ao sistema a partir desta segunda-feira, 22. Para consultar a nota final — após a ponderação dos pesos atribuídos pelas instituições — e saber como foi feito o cálculo eles devem informar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a senha cadastrada no Sisu. O estudante saberá a classificação no curso escolhido e os documentos exigidos pela instituição para que seja confirmada a matrícula. A ocupação da vaga só é confirmada após a matrícula.

    As vagas não ocupadas serão oferecidas novamente, em etapa complementar de inscrições, de 1º a 3 de março. Os não selecionados na primeira e na segunda etapas poderão se inscrever novamente, assim como aqueles que não concorreram nas fase anteriores.

    Participam da primeira edição da seleção unificada 23 universidades e 26 institutos federais, além da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e a Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence).

    Na página eletrônica do Sisu é possível conferir o resultado por unidade federativa, instituição de ensino, campus e curso. Como resultado da busca, será exibida a lista dos classificados com identificação pelo nome e pelo número de inscrição no Enem.

    Assessoria de Comunicação Social

    Veja também: Resultado já está disponível para consulta
  • Liberados para consulta os resultados da média por escola do ano passado

    Estão liberadas para consulta pela internet as médias obtidas pelos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009, por escola. Quase 2,6 milhões de estudantes fizeram as provas. Tiveram as médias divulgadas as unidades de ensino com mais de dez alunos.

    Os resultados são calculados a partir do desempenho dos alunos concluintes. É possível verificar as médias de todas as escolas do Brasil por modalidade de ensino, com resultados apresentados para o ensino médio regular, para a educação de jovens e adultos e para as duas etapas em conjunto. São divulgadas as médias separadas das quatro áreas objetivas avaliadas no exame, a da redação, a das provas objetivas e a geral — prova objetiva mais redação.

    O número de escolas de ensino médio regular com alunos que participaram do Enem aumentou de 24.253 em 2008 para 25.484 em 2009. Dentre as 27.306 escolas constantes do censo escolar de 2009 que oferecem o ensino médio regular, 93% tiveram a participação de alunos concluintes no exame. A variação mais significativa ocorreu no número de escolas que oferecem apenas a modalidade de educação de jovens e adultos — apresentaram aumento de 16% em relação a 2008.

    Organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Enem de 2009 foi aplicado em 5 e 6 de dezembro. Foram avaliadas as áreas de conhecimento de ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, além da redação. A divulgação das médias do exame é elemento de mobilização em favor da melhoria da qualidade do ensino. A iniciativa auxilia professores, diretores e demais dirigentes educacionais na reflexão sobre problemas e soluções no âmbito da escola, a partir da avaliação do desempenho dos alunos em cada área de conhecimento.

    Assessoria de Imprensa do Inep

    Confira os resultados por escola

    Confira a nota técnica do Inep


  • Mais de 4 milhões de candidatos já acessaram as notas do exame

    O número de acesso aos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) chegou à marca dos 4 milhões por volta das 17h desta quinta-feira, 19. Isso significa que 83% dos resultados já foram conferidos. Aqueles que fizeram o exame com fins de autoavaliação, os chamados treineiros, só terão acesso a suas notas em 19 de março, conforme previsto em edital. Eles são 1.039.230 dos mais de 6 milhões que fizeram as provas nas duas aplicações.

    A consulta pública sobre o Enem já foi respondida por mais de 93 mil pessoas e ficará disponível até 10 de fevereiro. Para opinar, é preciso fazer um rápido cadastro. Cada participação será computada apenas uma vez. A consulta pública tem três perguntas objetivas – que abordam alternativas de mudanças dos dias de aplicação de provas e possibilidade de aplicação por computador – e uma pergunta discursiva na qual o cidadão pode dar sugestões para aprimoramento do exame.

    As questões técnicas que atrasaram a divulgação de algumas notas foram solucionadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e todos os resultados estão disponíveis para consulta. Apesar de o novo portal do Inep, lançado na última sexta-feira, 13, ter ficado em manutenção pela manhã, o acesso à consulta pública e aos resultados do Enem não foram afetados por direcionarem para outro endereço em função do volume de acessos. Ambos podem ser acessados pela página do Inep.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep 

  • Mais de 4,3 milhões conferiram o resultado individual do exame

    Mais de 4,3 milhões de candidatos tinham feito a consulta on-line, até a manhã desta sexta-feira, 20, ao resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. Quanto à consulta pública, que dará à sociedade a oportunidade de opinar sobre o exame a partir deste ano, 107,6 mil pessoas já apresentaram sugestões, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem.

    Os 1.340.060 treineiros — aqueles que fazem as provas para conhecer o processo, antes de prestar o exame em busca de vaga na educação superior —, só terão acesso às notas em 19 de março, como previsto em edital. Caso esses participantes tenham feito a edição anterior, na página de resultados aparecerá a nota de 2015. Esse grupo representa 16% do total de inscritos em 2016.

    O sistema para participar da consulta pública ficará disponível ao público até 10 de fevereiro. Para opinar, é preciso fazer o cadastramento on-line. Cada participação será computada apenas uma vez. A consulta pública consiste em três perguntas objetivas, que abordam alternativas de mudanças dos dias de aplicação de provas e a possibilidade de aplicação por computador, e ainda uma pergunta discursiva, na qual o cidadão pode dar sugestões para aprimoramento do exame.

    As questões técnicas que atrasaram a divulgação de algumas notas foram solucionadas pelo Inep e, assim, todos os resultados estão disponíveis para consulta. Apesar de o novo portal do Inep, lançado na última sexta-feira, 13, ter ficado em manutenção pela manhã, o acesso à consulta pública e aos resultados do Enem não foi afetado, já que foi direcionado a outro endereço em função do volume de acessos.

    As consulta ao resultados consta da página do participante do exame na internet. Na mesma página está liberada a participação na consulta pública.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Ministro apresenta resultados gerais do Enem 2016 e celebra êxito na realização do exame

    Os resultados foram apresentados pelo ministro Mendonça Filho; pela secretária executiva do MEC, Maria Helena Castro (D), e pela presidente do Inep, Maria Inês Fini, em entrevista coletiva (foto: Mariana Leal/MEC)

    Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 podem consultar on-line os resultados individuais. Também está aberta na internet a consulta pública que dará aos cidadãos brasileiros a oportunidade de opinar sobre o exame.

    Os resultados gerais do Enem de 2016 foram apresentados pelo ministro da Educação, Mendonça Filho; pela secretária executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães Castro, e pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao MEC responsável pelo exame, Maria Inês Fini, em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, 18, no MEC.

    “Este foi um Enem bastante difícil de ser finalizado e entregue”, afirmou Mendonça Filho. “Talvez a gente tenha vivido o momento mais difícil ao longo da história de realização do Enem”. O ministro, no entanto, avalia que o exame foi concluído com êxito. “Apesar dos percalços, das dificuldades e das adversidades, eu celebro o sucesso do Enem 2016. O interesse público e o interesse do MEC no governo Temer era fazer com que o exame pudesse ser garantido para aqueles estudantes e as pessoas que desejavam se submeter ao Enem e conseguimos isso”.

    A presidente do Inep mostrou preocupação quanto aos resultados do exame. Dados apresentados por ela apontam para um dos piores desempenhos dos alunos na história do Enem. “O desempenho em todas as áreas está absolutamente estagnado. Os números se mantêm equivalentes desde o ano de 2008 até 2016”, lamentou Maria Inês Fini.

    Para os menores de 18 anos que participam do Enem para fins exclusivos de autoavaliação, os resultados serão publicados em 60 dias, conforme previsto em edital. As provas objetivas foram corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI).

    Mudanças — O ministro anunciou mudanças para as próximas edições do Enem. A partir deste ano, o exame passará a ser exclusivo para acesso às universidades. Os alunos maiores de 18 anos que desejam apenas o certificado de conclusão do ensino médio passarão a ser avaliados pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), que atualmente se volta somente a estudantes do ensino fundamental em idade irregular.

    “Aplicar o Enem como instrumento de certificação é desnecessário e acaba exigindo de um jovem ou de um adulto muito mais do que seria necessário”, destacou Mendonça Filho. ”Não faz sentido aplicar uma avaliação tão abrangente para dois objetivos distintos. Do ponto de vista de conhecimento, isso impõe um ônus a mais a para quem não pensa no ensino superior”. Dos 8,6 milhões de inscritos no último Enem, cerca de 1,2 milhão queria apenas o certificado de conclusão do ensino médio e somente 70 mil deles atingiram a nota mínima.

    Consulta — A partir desta quarta-feira, 18, até 10 de fevereiro, os brasileiros podem participar da Consulta Pública sobre o Enem. Três perguntas objetivas abordam alternativas de mudanças dos dias de aplicação de provas e possibilidade de aplicação por computador. Uma pergunta discursiva permitirá ao cidadão dar sugestões para o aprimoramento do exame. As sugestões devem ser apresentadas na página da consulta, disponível no portal do Inep, com a informação do CPF.

    O ministro Mendonça Filho avalia o processo como algo positivo. “É algo muito bem vindo, porque a opinião das pessoas é que fará com que a gente possa aprimorar um processo de avaliação geral e um exame que é hoje um patrimônio do Brasil”.

    Resultados — Considerada a média total, os participantes obtiveram as maiores médias em ciências humanas e suas tecnologias (533,5), em linguagens e códigos e suas tecnologias (520,5), matemática e suas tecnologias (489,5) e ciências da natureza e suas tecnologias (477,1).

    A média dos concluintes — participantes que terminaram o ensino médio em 2016 —, foi ligeiramente superior, mas manteve a ordem de dificuldade. A maior média também foi obtida em ciências humanas e suas tecnologias (536), linguagens e códigos e suas tecnologias (523,1), matemática e suas tecnologias (493,9) e ciências da natureza e suas tecnologias (482,3).

    A maior nota do Enem de 2016 foi registrada em matemática e suas tecnologias (991,5); a mais baixa, em linguagens e códigos e suas tecnologias (287,5).

    Área — Em ciências humanas e suas tecnologias, a maioria dos participantes (2.867.265) alcançou notas entre 500 e 600 pontos. Apenas 600 tiveram notas entre 800 e 900. Tiraram nota zero 1.804 estudantes. A média nacional foi de 536.

    Em ciências da natureza e suas tecnologias, a maioria dos participantes (3.234.551) alcançou notas entre 400 e 500 pontos. Apenas 632 obtiveram notas entre 800 e 900 e 3.109 tiraram zero. A média nacional foi de 482,3.

    Em linguagens e códigos e suas tecnologias, a maioria (2.898.637) teve notas entre 500 e 600 pontos. Apenas um participante ficou entre 800 e 900 e 3.862 tiveram zero. A média nacional foi de 523,1.

    Em matemática e suas tecnologias, a maioria (2.430.115) alcançou notas entre 400 e 500 pontos. Apenas 3.747 ficaram entre 800 e 900 e 5.734 tiveram zero. A média nacional foi de 493,9.

    Redação — Na prova de redação, a maioria dos participantes (1.987.251) conseguiu notas entre 501 e 600. Apenas 77 conseguiram nota mil. A nota zero ou a anulação da prova foi para 291.806 estudantes.

    Das anuladas, a maioria (206.127) resultou de não comparecimento ao segundo dia ou apresentação da redação em branco. Das redações que tiraram zero, os principais motivos foram fuga ao tema (46.874), parte desconectada (13.276), cópia de texto motivador (8.325), texto insuficiente (7.348) e não atendimento ao tipo textual (3.615). Por ferirem os direitos humanos, foram anuladas 4.798.

    Certificação — Apenas 79.814 (7,7%) dos 1.033.761 que pediram certificação do ensino médio por meio do Enem atingiram a nota mínima em todas as áreas, de 450 nas provas objetivas e 500 na redação. No caso do Enem para pessoas privadas de liberdade, 3.620 (6,7%) dos 42.331 que solicitaram a certificação vão obter o diploma.

    Ausências — Dos 8.630.306 inscritos, 2.518.976 (29,19%) ausentaram-se no primeiro dia de provas e 2.667.899 (30,91%), no segundo dia. Considerados os dois dias, foram 2.494.294 (28,90%) faltantes. Além disso, 3.942 (0,05%) foram eliminados no primeiro dia e 4.780 (0,06%), no segundo. Em função das ocupações em escolas e universidades, 265.412 (3,08%) inscritos tiveram a aplicação postergada.

    A maioria das eliminações no Enem 2016 ocorreu em função de:

    • 44,35% por não marcar o tipo de prova e não escrever a frase ou marcar mais de um tipo de prova e não escrever a frase.
    • 19,77% por portar lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos e anotações.
    • 9,10% por ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento de um aplicador, ou ausentar-se em definitivo antes de decorridas duas horas.
    • 7,41% por portar, após ingressar na sala de provas, qualquer tipo de equipamento eletrônico ou de comunicação.

    No exame para os privados de liberdade, dos 54.317 inscritos, 15.7436 (28,98%) faltaram ao primeiro dia de provas e 18.021 (33,18%) faltaram ao segundo dia. Além disso, 38 pessoas (0,07%) foram eliminadas no primeiro dia e 37 (0,07%), no segundo.

    TRI — Na teoria de resposta ao item, o número de acertos corresponde à média final. A TRI qualifica o item de acordo com o:

    • Poder de discriminação: capacidade de um item distinguir os participantes que têm a proficiência requisitada daqueles quem não a têm.
    • Grau de dificuldade.
    • Possibilidade de acerto ao acaso, ou seja, de “chute”.

    O número de questões por nível de dificuldade em cada prova e as demais características dessas questões refletem-se no resultado. Acertar um número maior de itens em uma área não significa, necessariamente, ter uma proficiência maior do que em outra cujo número de acertos foi inferior.

    Como a TRI pressupõe que um candidato com certo nível de proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade menor e errar aqueles com nível de dificuldade maior, o padrão de respostas do participante é levado em consideração no cálculo do desempenho. Como a TRI não tem um limite, inferior ou superior, padrão entre as áreas de conhecimento, as notas dos participantes não variam entre zero e mil. Elas podem ultrapassar os mil pontos.

    Na página do participante do Enem, os candidato têm acesso aos resultados do exame 2016. É necessário informar o CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

    Confira:

  • Participantes podem consultar os resultados individuais; nota em matemática é destaque

    Para ter acesso on-line às notas, os estudantes que fizeram o Enem de 2015 devem informar o CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição (foto: Mariana Leal/MEC – 24/10/15)Os resultados individuais de desempenho do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 estão disponíveis para consulta on-line. Para ter acesso às notas, basta ao participante informar o CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição.

    A senha do Enem é a mesma que será usada para acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que terá as inscrições abertas na segunda-feira, 11, e encerradas na quinta-feira, 14.

    Conforme estabelecido no edital do Enem de 2015, os resultados para fins exclusivos de autoavaliação de conhecimentos do participante menor de 18 anos — no primeiro dia de realização do exame —, que concluirá o ensino médio após 2015, serão divulgados em março próximo.

    As provas objetivas do Enem são corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI), diferente da teoria clássica, pela qual o número de acertos corresponde à média final. A TRI qualifica o item de acordo com os parâmetros:

    • Poder de discriminação, que é a capacidade de um item distinguir os participantes que têm a proficiência requisitada daqueles quem não a têm.
    • Grau de dificuldade.
    • Possibilidade de acerto ao acaso. Ou seja, de chute.

    Como a TRI pressupõe que um candidato com um certo nível de proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade menor e errar aqueles com nível de dificuldade maior, o padrão de respostas do participante é levado em consideração no cálculo do desempenho. Como a TRI não tem um limite, inferior ou superior, padrão entre as áreas de conhecimento, as notas dos participantes não variam entre zero e mil. Elas podem ultrapassar os mil pontos.

    Notas — Nesta edição do Enem, o desempenho em matemática foi o destaque. A nota máxima chegou a 1.008,3, a maior já registrada na história do exame — na edição anterior, o máximo ficou em 973,6. A tendência de aumento no desempenho em matemática comprova a melhor qualificação dos participantes nesta área. O desempenho mínimo foi de 280,2.

    A prova de ciências da natureza registrou a nota máxima de 875,2 e a mínima de 334,3. Em ciências humanas, o desempenho máximo chegou a 850,6; o mínimo, a 314,3. A prova de linguagens e códigos teve como nota mais alta 825,8; a mais baixa, 302,6.

    Os resultados do Enem de 2015 podem ser conferidos na página do Exame na internet.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

    Divulgado o resultado do Enem 2015

  • Pré-classificados podem conferir os resultados da segunda chamada

    é-classificados podem conferir resultados da segunda chamadaEstá disponível para consulta o resultado da segunda chamada da segunda fase de inscrições do Programa Universidade para Todos (ProUni). Até quinta-feira, 20, os 14.523 estudantes pré-selecionados nessa segunda etapa devem comparecer à instituição de ensino na qual se inscreveram para comprovar as informações prestadas.

    A relação dos pré-selecionados pode ser conferida na página eletrônica do programa. O candidato deve informar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou o do CPF.

    Assessoria de Imprensa da Sesu
  • Resultados individuais já estão disponíveis para consulta dos participantes

    As notas podem ser visualizadas na Página do Participante e no aplicativo do Enem 2018 (Foto: Luís Fortes/MEC)

    Os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 foram liberados nesta sexta-feira, 18, na Página do Participante e no Aplicativo do Enem 2018. Para visualizar os resultados, é exigido acesso com CPF e senha. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) orienta os participantes que não se lembram da senha cadastrada a fazer o processo de recuperação para ter acesso às notas.

    A recuperação de senha é feita na mesma Página do Participante onde serão liberados os resultados. Ao clicar no botão “Esqueci minha senha”, o participante deverá confirmar o endereço eletrônico cadastrado no sistema para receber uma senha temporária. Quem esqueceu a senha e também não tem acesso ao e-mail cadastrado tem a opção de informar novos contatos para recebê-la.

    Os resultados do Enem 2018 poderão ser utilizados como mecanismo único, alternativo ou complementar de acesso à educação superior, desde que exista adesão por parte das instituições de educação superior. A utilização dos resultados individuais para fins de seleção, classificação ou premiação não é de responsabilidade do Inep.

    Para inscrição nos programas de acesso e financiamento da educação do Ministério da Educação – Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) – o participante deverá informar a mesma senha cadastrada para o Enem.

    Treineiros – Participantes que fizeram o Enem 2018 para autoavaliação de conhecimentos, os chamados treineiros, só terão acesso aos seus resultados individuais em 18 de março, conforme determinado no Edital do Enem 2018. Na mesma data será liberado o acesso à vista da prova de redação para fins pedagógicos. Mais conhecida como espelho da redação, a vista permite ao participante conhecer seu desempenho nas cinco competências avaliadas na redação.  

    Exame – O Enem tem o intuito de avaliar o desempenho escolar e acadêmico dos estudantes ao final do ensino médio. As provas desta edição foram realizadas nos dias 4 e 11 de novembro. E desde o dia 14 de novembro estão disponíveis as provas e gabaritos oficiais.

    Orientações para recuperação de senha

    — Acesse a Página do Participante.— Informe seu CPF, responda ao desafio de figuras e clique em “Esqueci minha senha”.— Na tela seguinte, confira se o e-mail apresentado está certo, responda ao desafio de figuras e clique em “Enviar nova senha por e-mail”. — Acesse a caixa do e-mail cadastrado para ver a senha temporária.

    Caso não tenha acesso ao e-mail cadastrado: — Acesse a Página do Participante.— Informe seu CPF, responda ao desafio de figuras e clique em “Esqueci minha senha”.— Na tela seguinte, se você não se lembra ou não tem acesso ao e-mail apresentado, responda ao desafio de figuras e clique em “Não tenho acesso a este e-mail”.— Na tela seguinte, confirme as informações solicitadas pelo sistema. — Na sequência, informe e confirme novos dados para contato (celular e e-mail), responda ao desafio de figuras e clique em “Salvar novos dados de contato e enviar nova senha”.— A mensagem “Dados confirmados com sucesso” será exibida. Uma notificação será enviada para o e-mail cadastrado na inscrição, informando a alteração. — Acesse a caixa do novo e-mail cadastrado para ver a senha temporária.

    Acesse a Página do Participante

    Assessoria de Comunicação Social

  • Sisu divulga resultados e matrículas começam na sexta-feira, 22

    Os resultados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na etapa referente ao segundo semestre de 2018, estão disponíveis e podem ser consultados a partir desta segunda-feira, 18, no boletim do candidato, na página do programa. As instituições participantes também estão divulgando os resultados. Os aprovados têm prazo entre 22 e 28 de junho para fazer a matrícula na instituição escolhida.

    Quem não tiver sido aprovado na chamada regular tem entre os dias 22 e 27 de junho para manifestar interesse em participar da lista de espera. O pedido deve ser feito na página do programa.

    Nesta edição, estão sendo ofertadas, ao todo, 57.271 vagas em 68 instituições. A distribuição se dá entre oito instituições públicas estaduais – um centro universitário e sete universidades –, uma faculdade pública municipal e 59 instituições públicas federais, com dois centros de educação tecnológica, 27 institutos federais de educação, ciência e tecnologia e 30 universidades.

    O Sisu é o ambiente virtual criado pelo Ministério da Educação para selecionar estudantes para vagas em instituições de educação superior com base nas notas registradas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Podem concorrer todos os que fizeram as provas de 2017 do Enem e obtiveram nota acima de zero na redação.

    Confira os resultados do Sisu na página do programa.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página