Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • "É a maior revolução na área de ensino no país dos últimos 20 anos", diz ministro

    Na Câmara, ministro listou programas da educação básica à superior lançados pela pasta


    Dyelle Menezes e Guilherme Pera, do Portal MEC

    “É a maior revolução na área de ensino no país nos últimos 20 anos”. Assim o ministro da Educação, Abraham Weintraub, definiu o conjunto de programas lançados pela atual gestão da pasta. A declaração foi dada em sessão da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 11 de dezembro.

    O titular do Ministério da Educação (MEC) comparece pela oitava vez ao Congresso Nacional desde que assumiu o cargo, em abril. Desta vez, para falar sobre uso de drogas nos campi universitários. Questionado sobre ausência de pautas, listou programas tocados pelo MEC.

    Entre os exemplos citados estão:

    • Future-se: lançado em 17 de julho, tem o objetivo de dar maior autonomia financeira a universidades e institutos por meio do fomento à captação de recursos próprios e ao empreendedorismo;
    • Novos Caminhos: uma série de medidas para aumentar em 80% o número de matrículas na educação profissional e tecnológica;
    • Educação Conectada: MEC repassou R$ 224 milhões para conectar 100% das escolas aptas a receber internet e R$ 60 milhões para levar acesso à web a 8 mil rurais;
    • Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares: visa à implantação de 216 escolas cívico-militares até 2023. Para 2020, há R$ 54 milhões para 54 escolas, ou R$ 1 milhão por instituição de ensino;
    • Conta pra Mim: programa de estímulo à literacia familiar, ou seja, de leitura pela família para as crianças;• Política Nacional de Alfabetização: decreto com novas diretrizes para a alfabetização do país, baseadas em evidências científicas.

    O ministro ainda destacou a liberação de recursos extras para as universidades federais em 2019. No final de novembro, o MEC liberou R$ 125 milhões a mais para investimento na conclusão de obras que melhorem o gasto público e em energia limpa, isto é, na aquisição de placas fotovoltaicas para diminuir despesas com energia elétrica. A medida foi tomada depois da liberação de 100% do orçamento para as universidades federais.

    Esta é a oitava visita de Weintraub como ministro da Educação ao Congresso Nacional. O diálogo com parlamentares ao longo desses encontros envolveu temas como o Future-se, contingenciamento de recursos, a reformulação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) e a necessidade de maior investimento na educação básica.


    11/12/2019 - Reunião de comparecimento à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.  Fotos: Luis Fortes/MEC

  • Abertas mais de 1,9 mil vagas em educação profissional a distância

    Cursos serão oferecidos pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro e pela Fundação Social do Trabalho de Campo Grande


    Larissa Lima, do Portal MEC

    O programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC), viabilizou a abertura de 1.960 vagas de ensino profissional a distância. Ao todo, serão 34 cursos totalmente gratuitos e que podem ser realizados por interessados de qualquer cidade brasileira. A iniciativa, parceria do ministério com instituições, torna o acesso à aprendizagem mais democrático e é uma alternativa para o período de isolamento social.

    Até a sexta-feira, 1º de maio, o Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) recebe inscrições para três cursos na área de informática. Os cursos oferecidos, com 70 vagas cada, são de programador web, programador de sistema e operador de computador. Os candidatos precisam ter concluído o ensino fundamental para as duas primeiras opções e, na última, o 5º ano. A carga horária vai de 160 a 200 horas e a duração varia de três a quatro meses.

    Já a Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat), localizada no Mato Grosso do Sul, está oferecendo 1.750 vagas em 31 cursos em diversas áreas, como saúde, turismo, administração e informática. A carga horária, a idade e a formação mínima exigida dependem do curso escolhido. As inscrições podem ser realizadas até o 3 de maio.Confira os cursos a seguir:

    • Agente comunitário de saúde;
    • Agente de combate às endemias;
    • Agente de informações turísticas;
    • Agente de recepção e reservas de meio em hospedagem;
    • Almoxarife;
    • Almoxarife de obras;
    • Assistente administrativo;
    • Assistente de contabilidade;
    • Assistente de recursos humanos;
    • Assistente de secretaria escolar;
    • Assistente financeiro;
    • Auxiliar de manutenção predial;
    • Auxiliar de nutrição e dietética;
    • Auxiliar pedagógico;
    • Balconista de farmácia;
    • Cuidador de idoso;
    • Eletricista de automóveis;
    • Eletricista instalador predial de baixa tensão;
    • Inglês básico;
    • Instalador e reparador de linhas de telecomunicação;
    • Instalador e reparador de equipamentos de transmissão em telefonia;
    • Língua Brasileira de Sinais (Libras) – Básico;
    • Língua Brasileira de Sinais (Libras) – Intermediário;
    • Operador de editoração eletrônica;
    • Operador de telemarketing;
    • Organizador de eventos;
    • Programador de sistemas;
    • Programador web;
    • Recepcionista;
    • Recepcionista de eventos;
    • Recepcionista em serviços de saúde.

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro do ano passado, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023.

    Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil vagas que foram pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD.

  • Assista ao vivo o lançamento do programa Novos Caminhos

    Acompanhe ao vivo o lançamento do Novos Caminhos:

  • Das escolas cívico-militares ao Future-se: os Novos Caminhos para os professores no governo Bolsonaro

    Programas lançados pela atual gestão dão protagonismo aos docentes da educação básica, profissional e tecnológica e superior


    Da equipe do Portal MEC

    Os professores são protagonistas nos programas lançados pela atual gestão do Ministério da Educação (MEC). Tanto nas escolas cívico-militares, quanto no Future-se e no Novos Caminhos, o papel dos docentes é preservado e ressaltado, seja pela formação profissional, seja por premiação de boas práticas.

    As iniciativas contemplam diversos níveis de educação: básica, profissional e tecnológica e superior.

    Educação básica – Na educação básica, a proposta é reforçar a disciplina em sala de aula, valorizando o dever de ofício do docente. Exemplo dessa gestão por excelência são as escolas cívico-militares, programa lançado em setembro. O professor continua a comandar a sala de aula, enquanto a organização e disciplina ficarão por conta de militares. Todas as funções previstas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação serão mantidas.

     “Daremos a tranquilidade na estrutura do colégio para que os professores ensinem com ainda mais qualidade na sala de aula”, afirma o subsecretário de Fomento às Escolas Cívico-Militares do MEC, Aroldo Cursino.

    O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares tem o objetivo de implementar o modelo cívico-militar em 216 escolas em todo o país até 2023. No programa, os militares atuarão como monitores em três áreas: educacional, didático-pedagógica e administrativa. Eles ajudarão os civis a realizar uma gestão de excelência nas instituições de ensino.

    Educação profissional e tecnológica – Para a educação profissional e tecnológica, o MEC quer preparar professores, em especial da rede estadual, por meio do Novos Caminhos.

    Um dos três eixos do programa, o de Articulação e Fortalecimento, foca na oferta de cursos para formação de professores para a implementação do itinerário da Formação Técnica e Profissional na trajetória do Ensino Médio. Essa formação vai desde da oferta de 21 mil vagas em cursos de licenciatura e de 40 mil vagas em atualização tecnológica até a oferta de duas mil vagas em cursos de Mestrado Profissional até 2022.

    Segundo o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Ariosto Culau, “os professores que se colocam a serviço da educação profissional e tecnológica desempenham uma nobre causa de contribuir com a transformação do indivíduo e da sociedade. Vivemos hoje num novo cenário de mundo que requer Novos Caminhos e os professores são fundamentais nesse processo”.

    Mais recente programa lançado pelo MEC, o Novos Caminhos visa ao aumento de 80% nas matrículas na educação profissional e tecnológica. O objetivo é aumentar, até 2023, do atual 1,9 milhão para 3,4 milhões — crescimento de 1,5 milhão.

    Educação superior – O Future-se, programa do governo Bolsonaro para universidades e institutos federais, vai valorizar o professor com base no empreendedorismo e na inovação. “Há chances de a carreira de professor do ensino superior se tornar uma das melhores no Brasil”, afirma o secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Lima.

    O programa prevê o incentivo ao viés empreendedor dos professores a partir da consolidação de startups no ambiente universitário. No Future-se, os docentes poderão entrar como sócios ou coautores de projetos e aumentar a renda. Além disso, eles também poderão receber prêmios em dinheiro por publicação em períodos reconhecidos internacionalmente.

    A principal proposta do Future-se é aumentar a autonomia financeira de universidades e institutos federais por meio do incentivo ao empreendedorismo e à captação de recursos próprios.

  • Educação profissional terá ampliação do diálogo com estados, diz secretário do MEC

     

    Secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Ariosto Antunes é o sexto entrevistado da série sobre as perspectivas do MEC para 2020


    Dyelle Menezes, do Portal MEC

    Mais vagas para estudantes, capacitação para professores e parceria com estados para implementação de ações de educação profissional e tecnológica. Esses serão os pilares da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC) em 2020.

    O planejamento de ações da Setec é parte da implementação do programa Novos Caminhos, lançado em outubro de 2019 para fomentar a educação profissional e tecnológica em todo o país. A iniciativa tem o objetivo de aumentar 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023.

    “Para 2020, vamos ampliar as ações dos Novos Caminhos”, afirmou o secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Ariosto Culau. Ele é o sexto entrevistado da série “MEC 2020”, em que os secretários do ministério elencaram as prioridades para o ano que vem.

    Confira essas e outras perspectivas da Setec para o ano de 2020 nesta entrevista especial concedida pelo secretário para o Portal MEC.

    Como principal programa da Setec, o que podemos esperar do Novos Caminhos em 2020?

    Para 2020, vamos ampliar as ações do Novos Caminhos, em parceria com os estados. Já iniciamos um amplo debate para o planejamento das ações conjuntas que vamos desenvolver ao longo do ano. Em dezembro, foram realizadas oficinas com 26 estados e o Distrito Federal para dialogar sobre as melhores estratégias. O objetivo é promover o aumento da oferta de matrículas nas redes estaduais e o apoio da União à implementação do itinerário formativa da educação profissional e tecnológica.

    Quantas vagas devem ser criadas em 2020?

    A nossa meta é ofertar 200 mil novas vagas ofertadas a jovens para formação técnica e profissional no âmbito dos sistemas estaduais de ensino. São 105 mil vagas decorrentes da repactuação de recursos parados nos estados e mais 95 mil vagas decorrentes de novas ofertas que serão promovidas pelos diversos ofertantes de educação.

    [Nota da redação: Há cerca de R$ 550 milhões parados nas contas dos Estados e do Distrito Federal de recursos do Bolsa Formação. No lançamento do Novos Caminhos, o ministro Abraham Weintraub assinou portaria para dar essa finalidade ao dinheiro. Um trabalho conjunto vai viabilizar a reavaliação da oferta e da demanda pelas unidades da Federação, que poderão buscar parcerias com o Sistema S e a Rede Federal, por exemplo.]

    Por que a implementação das medidas é relevante?

    Essa oferta adicional de vagas de formação profissional e tecnológica vai olhar com muito cuidado a vocação regional, será voltada para o desenvolvimento local. Esse é o principal papel desse nível de ensino que se espelha nas ações da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, que possui são 661 unidades espalhadas pelo país. A rede é essencial para o desenvolvimento local e desenvolvimento do capital humano necessário ao desenvolvimento das comunidades.

    A Rede será ampliada em 2020?

    Para 2020, em relação à consolidação da infraestrutura da nossa Rede Federal, pretendemos ampliar os investimentos em energia fotovoltaica, além de consolidar investimentos em andamento dentro da entidade. Vamos criar uma nova linha para promover investimentos nas regiões metropolitanas para ampliar a oferta onde existe uma demanda muito grande de formação de jovens, temos planos de consolidar da estrutura e ampliar capacidade, principalmente, nas regiões metropolitanas.

    Os professores receberão atenção especial da Setec?

    Temos o compromisso de treinar, em 2020, em torno de 5 mil profissionais das redes públicas estaduais. Para isso, vamos desenvolver um conjunto de ações de oferta à formação profissional de professores das redes públicas estaduais.

    Saiba mais sobre a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica aqui e sobre o currículo de Ariosto Culau aqui.

  • IFPE abre seleção para 960 vagas em cursos de qualificação profissional a distância

    Vagas foram viabilizadas com investimento de R$ 291 mil do Ministério da Educação

     

    Interessados em cursos on-line de qualificação profissional podem escolher entre 10 alternativas ofertadas pelo Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), por meio do Programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC). As inscrições para as 960 vagas disponíveis podem ser feitas a partir desta sexta-feira, 1º de maio, até a próxima quinta, 7 de maio, exclusivamente, pelo site da instituição de ensino.

    Os cursos são gratuitos e foram viabilizados com repasse de R$ 291 mil do MEC. As vagas serão preenchidas de acordo com a ordem de inscrição. Veja a seguir, a relação dos cursos ofertados:

    • Agente de informações turísticas;
    • Assistente administrativo;
    • Assistente de recursos humanos;
    • Assistente financeiro;
    • Auxiliar de cozinha;
    • Balconista de farmácia;
    • Cuidador de idoso;
    • Higienista de serviços de saúde;
    • Operador de caixa;
    • Recepcionista.

    A formação mínima exigida para alguns cursos é o ensino fundamental anos iniciais completo (1º ao 5º) e para outros é o ensino fundamental anos finais (6º ao 9º) completo. O resultado da seleção está previsto para o dia 13 de maio. Para saber mais sobre o processo seletivo, como vagas, cronograma completo, procedimentos da seleção e demais informações, confira o edital ou envie e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

    Novos Caminhos – O Programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023.

    Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil vagas que foram pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do IFPE

  • Instituto Federal da Bahia oferta 500 vagas em curso de programador web

    Qualificação será oferecida na modalidade a distância e é parte do programa Novos Caminhos


    O Instituto Federal da Bahia (IFBA) está com 500 vagas abertas para o curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) de Programador Web. A qualificação será oferecida na modalidade a distância, de maneira gratuita, e com carga horária de 200 horas. O curso faz parte do programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC). 

    As vagas foram divididas pelos campi da instituição: cada unidade possui 50, sendo 20 para alunos e 30 para o público externo. Somente o campus Salvador que possui oferta 100 vagas, sendo 40 para estudantes e 60 para o público em geral.

    Confira os detalhes de cada edital de inscrição aqui.

    Para participar da seleção é necessário ter pelo menos dezesseis anos, ter concluído os anos finais (6º ao 9º) do ensino fundamental, possuir um e-mail válido, ter RG e CPF ativos e efetuar a inscrição dentro do prazo, como determinado em cada edital. 

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do IFBA

  • Instituto Federal de Brasília oferta 1.800 vagas em cursos on-line de qualificação profissional

    Por meio do Programa Novos Caminhos, Ministério da Educação investiu R$ 778,5 mil para viabilizar vagas

    O Instituto Federal de Brasília (IFB) abriu nesta quinta-feira, 30 de abril, processo seletivo para 1.800 vagas em cursos de qualificação profissional, na modalidade a distância. A oferta foi viabilizada com investimento de R$ 778,5 mil do Ministério da Educação (MEC), por meio do programa Novos Caminhos. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site da instituição até o dia 10 de maio.

    As oportunidades são para os cursos de Programador de Sistemas (500 vagas), Estatística Descritiva (500 vagas), Operador de Câmera (200 vagas) e Cadista para Construção Civil (600 vagas). Os conteúdos serão ministrados pelos campi Planaltina, Recanto das Emas e Taguatinga.

    O processo de seleção dos candidatos será realizado por meio de sorteio eletrônico e todas as fases do processo serão on-line. Há oportunidades para quem tem ensino fundamental completo e ensino médio. Os cursos têm duração de 4 a 6 meses, a previsão para o início das aulas é dia 27 de maio.

    Novos Caminhos – O Programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023.

    Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil vagas que foram pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD.

    Assessoria de Comunicação, com informações do IFB

  • Instituto Federal de Santa Catarina oferece 400 vagas para curso de qualificação profissional

    Oferta é parte do leque de oportunidades criadas por meio do programa Novos Caminhos


    O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) está com inscrições abertas até 19 de maio para o curso de qualificação profissional em Mecânico de Refrigeração e Climatização Residencial a distância.

    A oportunidade de qualificação profissional ofertada pelo IFSC faz parte das ações do programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC). São oferecidas 400 vagas e a seleção será realizada por meio de sorteio público em 21 de maio. O curso é gratuito, sem taxa de inscrição.

    Confira outros detalhes no edital.

    Novos Caminhos – O Programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Instituto Federal de Santa Catarina

  • Instituto Federal Farroupilha oferece 2.980 vagas para qualificação profissional a distância

    Cursos fazem parte do programa Novos Caminhos


    O Instituto Federal Farroupilha (IFFar) está com 2.980 vagas em 22 cursos de qualificação profissional a distância, oferta que faz parte do programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC). As inscrições podem ser realizadas até 20 de maio. As aulas começam no dia 29 do mesmo mês.

    Os cursos são gratuitos, a distância e possuem curta duração. As capacitações são oferecidas pela plataforma moodle e têm carga horária entre 160 e 280 horas. Ao final do curso, os estudantes receberão certificado de conclusão.Os candidatos podem optar por apenas um curso no momento da inscrição. A seleção será realizada por ordem de inscrição.

    As informações completas estão disponíveis no edital de seleção. No Edital nº 159/2020, que retifica a seleção, podem ser conferidos o número e o quadro de vagas após a ampliação.

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

    Lista de cursos  Confira a lista de cursos, vagas, cargas horárias das capacitações ofertadas pelo Instituto Federal Farroupilha (IFFar): 

    • Operador de Computador – 80 vagas – 160h
    • Horticultor Orgânico – 80 vagas – 160h
    • Produtor de Derivados do Leite – 80 vagas – 160h
    • Agricultor Orgânico – 80 vagas – 160h
    • Produtor Agrícola Familiar nas Culturas de Milho e Sorgo – 80 vagas – 160h
    • Assistente Administrativo – 240 vagas – 160h
    • Microempreendedor Individual – 340 vagas – 160h
    • Operador de Caixa – 180 vagas – 160h
    • Agricultor Familiar – 80 vagas – 200h
    • Instalador e Reparador de Redes de Computadores – 80 vagas – 200h
    • Programador de Dispositivos Móveis – 80 vagas – 200h
    • Reparador de Circuitos Eletrônicos – 160 vagas – 280h
    • Cuidador Infantil – 160 vagas – 160h
    • Agente de Projetos Sociais – 120 vagas – 160h
    • Produtor de Plantas Aromáticas e Medicinais – 120 vagas – 200h
    • Recepcionista de Eventos – 60 vagas – 160h
    • Introdução à Interpretação em Libras – 80 vagas – 160h
    • Assistente Financeiro – 160 vagas – 160h
    • Promotor de Vendas – 160 vagas – 160h
    • Vendedor – 240 vagas – 160h
    • Organizador de Eventos – 120 vagas – 180h
    • Recepcionista – 120 vagas – 160h

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Instituto Federal Farroupilha

  • Instituto Federal Goiano oferece mais de 6,5 mil vagas para 33 cursos a distância

    Oportunidades fazem parte do programa Novos Caminhos


    O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) está com mais de 6,5 mil vagas para 33 cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), na modalidade a distância. A oportunidade faz parte do Programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC). Interessados devem se inscrever até quinta-feira, 14 de maio. A divulgação do resultado final está prevista para o 17 de maio, com início das aulas agendado para 25 e 29 de maio.

    Os candidatos podem escolher entre cursos de agente de desenvolvimento socioambiental, assistente financeiro, operador de computador, microempreendedor individual, entre outros.

    Confira a lista completa de cursos aqui.

    As vagas estão disponíveis nos campi de Campos Belos, Catalão, Cristalina, Hidrolândia, Ipameri, Iporá, Morrinhos, Posse, Rio Verde e Urutaí. As inscrições, bem como os cursos FIC do IF Goiano, são públicos e gratuitos.

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do IFGoiano

  • MEC define regras para oferta de cursos técnicos por instituições privadas de ensino superior

    Diretrizes e prazos são um passo adiante na consolidação do programa Novos Caminhos


    Guilherme Pera, do Portal MEC

    Estão definidos prazos e regras para instituições privadas de ensino superior ofertarem os próprios cursos técnicos de nível médio. Elas devem respeitar padrões de qualidade, observar prazos e seguir os critérios e procedimentos adotados pelo Ministério da Educação (MEC). 

    A portaria com as regras, publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 27 de janeiro, é mais um passo na consolidação do Novos Caminhos, agenda estratégica desta gestão para a educação profissional e tecnológica. 

    De acordo com o secretário de Educação Tecnológica e Profissional do MEC, Ariosto Culau, o estabelecimento dos critérios e os prazos para oferta de cursos técnicos de nível médio em instituições privadas é uma ferramenta importante na regulação do setor. “É um fator de controle de qualidade da oferta e de segurança jurídica para as instituições, características englobadas no programa Novos Caminhos", disse.

    Os pedidos de autorização de cursos devem ser feitos por meio do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec), mantido pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC. 

    O Sistec ficará aberto para o recebimento de propostas em duas épocas do ano. Para cursos a serem ofertados a partir do segundo semestre, o pedido deve ser formulado entre 1º de fevereiro e 1º de março do mesmo ano. Para o primeiro semestre, as datas são 1º a 31 de julho do ano anterior. Os pedidos feitos no Sistec até a publicação da portaria agora não precisam ser reapresentados. A norma estabelece que eles serão vinculados à data de 1º de fevereiro pelo Sistema. 

    A partir do registro no Sistec, o ministério tem um prazo de 120 dias para avaliação.  A pasta conta com um banco de avaliadores, com especialistas em diversas áreas de educação profissional e tecnológica. Caso as informações da instituição de ensino sejam consideradas insuficientes, há um prazo de diligência e complementação. 

    Como resultado do processo, o pedido pode ser deferido ou indeferido. Cabe recurso em caso de negativa. Concedida, a autorização tem validade por três anos. 

    Como já havia sido publicado em portaria de outubro de 2019, podem oferecer os cursos técnicos as instituições privadas de ensino superior que: 

    • tenham Índice Geral de Cursos (IGC) maior do que 3; 
    • apresentem excelência na oferta comprovada por indicadores pré-estabelecidos pelo normativo; 
    • já atuem previamente em cursos de graduação em área de conhecimento correlata ao curso técnico a ser ofertado, com um conceito do curso igual ou superior a 4.

    Novos Caminhos – Lançado em outubro de 2019, o Novos Caminhos estabelece uma série de medidas com o objetivo de aumentar em 80% — de 1,9 milhão para 3,4 milhões — o número de matrículas na educação profissional e tecnológica do país. O programa é dividido em eixos. O marco regulatório para a oferta de cursos técnicos pelas instituições de ensino superior faz parte do eixo Gestão e Resultados.

    A explicação completa do programa você encontra aqui

    Com informações da Setec

  • MEC e gestores estaduais debatem educação profissional no ensino médio

    Novo Ensino Médio prevê diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes, como o itinerário formativo com foco no mercado de trabalho



    A diretora de Políticas e Regulação da Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Marilza Machado Gomes Regattieri, apresenta o Novos Caminhos (Foto: Luís Fortes/MEC)


    Larissa Lima, do Portal MEC

    Ouvir quem faz a educação na prática. O Ministério da Educação (MEC) e gestores responsáveis pela condução das políticas de educação profissional e tecnológica dos estados estão reunidos nesta terça-feira, 17 de dezembro, para conversar sobre a implementação do itinerário da formação técnica profissional no Novo Ensino Médio. O encontro acontece no Instituto Federal de Brasília (IFB).

    O Novo Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017) alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e estabeleceu algumas mudanças na estrutura do ensino médio, como a oferta de diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes, os chamados itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

    A mudança visa a garantir educação de qualidade a todos os jovens brasileiros e aproximar as escolas à realidade dos estudantes, considerando as novas demandas e complexidades do mundo do trabalho.

    Segundo a diretora de Políticas e Regulação da Educação Profissional e Tecnológica, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC, Marilza Machado Gomes Regattieri, o objetivo da reunião é fazer um mapeamento da situação dos estados na implementação do itinerário da formação técnica e profissional.

    “A ideia é saber qual é o estágio de implantação que os estados estão, quais são as necessidades, os desafios que eles estão enfrentando ou os caminhos que eles já encontraram para pautar a nossa política baseada na evidência da realidade dos estados”, afirmou.

    O encontro conta com a presença de gestores do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

    Até o final desta quarta-feira, 18 de dezembro, além do itinerário, os presentes irão debater o cenário da educação profissional técnica de nível médio, a repactuação de R$ 550 milhões do Bolsa Formação, o Novo Ensino Médio e formação de professores.

    Na avaliação da diretora, a educação profissional e tecnológica tem três grandes desafios. “Alinhamento de demanda e oferta de cursos no setor produtivo, fomento à formação técnica e ao empreendedorismo e incentivo para a implementação do itinerário da formação técnica e profissional no ensino médio”, pontuou.

    Com base nas informações apresentadas pelos gestores estuais de educação, o MEC pretende estruturar ações do programa Novos Caminhos.

    Novos Caminhos – Lançado em outubro, o programa Novos Caminhos, do MEC, abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. A intenção é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. De acordo com a Setec, o principal público-alvo dos Novos Caminhos são jovens que não trabalham nem estudam: 11,1 milhões das 48,5 milhões de pessoas de 15 a 29 anos do país, ou 23%.

    O Novos Caminhos é estruturado em três frentes. O eixo Gestão e Resultados prevê o reconhecimento de diplomas de mais de 11 mil pessoas que se concluíram a formação técnica na rede privada de ensino superior desde 2016, mas não tinham a chancela do MEC por falta de ordenamento jurídico.

    Também haverá o marco regulatório para a oferta de cursos da rede privada de Ensino Superior com novas regras e segurança jurídica. Outra medida será a atualização do catálogo de cursos da educação profissional e tecnológica para facilitar a inclusão de novos cursos e adequação às novas tendências e demandas do mercado. Isso não acontece desde 2014.

    Com ênfase no itinerário formativo do Novo Ensino Médio, o eixo Articulação e Fortalecimento foca na oferta de cursos para a formação de professores e gestores educacionais, além de abrir novas vagas para a qualificação profissional de jovens e adultos.

    A meta é preparar 40 mil docentes da rede pública até 2022, com aulas sobre atualização tecnológica (indústria 4.0), técnicas pedagógicas voltadas para a educação profissional, empreendedorismo e orientação profissional e vocacional.Serão abertas ainda mais 21 mil vagas para formação de professores de ciências e de matemática. Outra iniciativa é articular junto às unidades da Federação a oferta de 2 mil vagas de mestrado profissional em redes estaduais até 2022.

    Mais de 100 mil vagas voltadas para a qualificação profissional de jovens e adultos devem ser ofertadas. Isso será possível com a repactuação de R$ 550 milhões do Bolsa Formação com recursos que estão parados nas contas dos estados e do Distrito Federal. Um trabalho conjunto vai viabilizar a reavaliação da oferta e da demanda pelas unidades da Federação, que poderão buscar parcerias com o Sistema S e a Rede Federal, por exemplo.

    O eixo Inovação e Empreendedorismo traz a implementação de um escritório, do MEC, para fomentar projetos que estimulem as atividades de pesquisa aplicada, inovação e iniciação tecnológica. Serão lançados editais concorrenciais para grupos de alunos, professores e pesquisadores com investimento de R$ 60 milhões até 2022.

    Esse escritório atuará na articulação de parcerias entre público e privado. Além disso, serão criados mais 5 polos de inovação nos institutos federais para disseminar a cultura do empreendedorismo e alavancar o desenvolvimento de pesquisas aplicadas que atendam as reais demandas do setor produtivo aproximando a educação do mercado de trabalho.


    17/12/2019 - Novos Caminhos e Apoio à implementação do itinerário da formação técnica profissional.  Fotos: Luis Fortes/MEC

  • MEC incentiva abertura de 122 mil vagas em cursos de qualificação profissional online durante pandemia

    Para viabilizar a oferta, ministério investiu R$ 60 milhões por meio do programa Novos Caminhos

    Larissa Lima, do Portal MEC

    O Ministério da Educação (MEC) investiu R$ 60 milhões para incentivar a abertura de 122 mil vagas em cursos de qualificação profissional a distância na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica. A rede é integrada por institutos federais, Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets), escolas técnicas vinculadas às universidades federais e instituições das redes estaduais, distrital e municipais.

    A iniciativa, uma ação do programa Novos Caminhos, é viabilizada com recursos da pasta e infraestrutura das instituições de ensino parceiras. De acordo com o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do ministério, Ariosto Antunes Culau, o MEC entende como prioritária a geração de oportunidades de qualificação profissional nesse momento de restrição da mobilidade. “Na retomada econômica, é fundamental que estejamos preparados para os desafios do mercado”, afirmou.

    As vagas são liberadas aos poucos, conforme confirmação de acordos ente o MEC e as instituições participantes. Em abril, foram aprovadas 86.020 vagas, em diversos cursos, em parceira com 31 instituições de ensino. Os processos seletivos para o preenchimento das vagas vão ocorrer durante o mês de maio.

    Nesta etapa, o MEC já firmou parceria com 17 institutos federais, 4 escolas técnicas vinculadas a universidades federais, 9 estados e 1 município. Até junho, mês previsto para o fim da ação, a expectativa é que sejam criadas, ao todo, 122 mil vagas de qualificação profissional online em todo o Brasil.

    Os cursos oferecidos são gratuitos, podem ser feitos por interessados de qualquer parte do Brasil e abrangem diversas áreas, como ciências agrárias, desenvolvimento de jogos e aplicativos para mídias sociais, tecnologia da informação, administração, logística, meio ambiente, agroindústria, comércio exterior, fotografia, empreendedorismo. A carga horária e escolarização mínima exigida variam de acordo com a oferta.

    A seleção, a matrícula, a divulgação e a realização dos cursos são de responsabilidade das instituições parceiras. Cada uma abre processo com formato, critérios e cronograma próprios. As vagas são divulgadas nos sites das instituições e também na plataforma do Novos Caminhos. Na plataforma, o usuário pode fazer uma busca por instituição e ter informações sobre o curso, número de vagas e inscrição.

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

  • MEC lança Novos Caminhos para impulsionar a educação profissional e tecnológica

    Programa é dividido em três eixos e tem como meta aumentar em 80% o número de matrículas no setor

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Ariosto Antunes, detalharam o programa em coletiva à imprensa nesta terça-feira, 8 de outubro (Foto: Luciano Freire/MEC)


    Guilherme Pera, do Portal MEC

    Potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. O programa Novos Caminhos, do Ministério da Educação (MEC), abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. É mais renda, mais emprego e mais capacitação.

    O programa foi lançado nesta terça-feira, 8 de outubro, pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, e pelo secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC (Setec), Ariosto Antunes. O evento, com coletiva à imprensa, aconteceu no auditório do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em Brasília.

    Para o ministro da Educação, o programa tem o objetivo de quebrar preconceitos no país contra as funções técnicas. “A Europa tem quase 50% dos jovens fazendo ensino técnico. O país mais rico da América do Sul, o Chile, tem 30% de ensino técnico. E quanto o Brasil tem? 8%”, comparou.

    Weintraub também destacou que a educação profissional é mais uma oportunidade para jovens entrarem no mercado de trabalho. “Um curso técnico bom permite ao jovem ter renda superior a alguém formado em curso superior, que não tem foco na realidade", afirmou.

    Segundo o secretário da Setec, o principal público-alvo dos Novos Caminhos são jovens que não trabalham nem estudam: isso representa 11,1 milhões das 48,5 milhões de pessoas de 15 a 29 anos do país, ou 23%. “A educação tem que estar voltada para o mercado de trabalho, não pode dar as costas e ignorar as demandas do setor produtivo”, disse.

    Para isso estão previstas uma série de ações divididas em três eixos: Gestão e Resultados, Articulação e Fortalecimento, e Inovação e Empreendedorismo. As iniciativas vão desde melhorias na regulação da oferta de cursos técnicos, formação de professores bem como a ampliação da oferta de cursos profissionais e técnicos.

    Os três eixos - O eixo Gestão e Resultados prevê o reconhecimento de diplomas de mais de 11 mil pessoas que se concluíram a formação técnica na rede privada de ensino superior desde 2016, mas não tinham a chancela do MEC por falta de ordenamento jurídico.

    Também haverá o marco regulatório para a oferta de cursos da rede privada de Ensino Superior com novas regras e segurança jurídica. Outra medida será a atualização do catálogo de cursos da educação profissional e tecnológica para facilitar a inclusão de novos cursos e adequação às novas tendências e demandas do mercado. Isso não acontece desde 2014.

    Com ênfase no itinerário formativo do Novo Ensino Médio, o eixo Articulação e Fortalecimento foca na oferta de cursos para a formação de professores e gestores educacionais, além de abrir novas vagas para a qualificação profissional de jovens e adultos.

    A meta é preparar 40 mil docentes da rede pública até 2022, com aulas sobre atualização tecnológica (indústria 4.0), técnicas pedagógicas voltadas para a educação profissional, empreendedorismo e orientação profissional e vocacional.

    Serão abertas ainda mais 21 mil vagas para formação de professores de ciências e de matemática. Outra iniciativa é articular junto às unidades da Federação a oferta de 2 mil vagas de mestrado profissional em redes estaduais até 2022.

    Mais de 100 mil vagas voltadas para a qualificação profissional de jovens e adultos devem ser ofertadas. Isso será possível com a repactuação de R$ 550 milhões do Bolsa Formação com recursos que estão parados nas contas dos estados e do Distrito Federal. Um trabalho conjunto vai viabilizar a reavaliação da oferta e da demanda pelas unidades da Federação, que poderão buscar parcerias com o Sistema S e a Rede Federal, por exemplo.

    O eixo Inovação e Empreendedorismo traz a implementação de um escritório, do MEC, para fomentar projetos que estimulem as atividades de pesquisa aplicada, inovação e iniciação tecnológica. Serão lançados editais concorrenciais para grupos de alunos, professores e pesquisadores com investimento de R$ 60 milhões até 2022.

    Esse escritório atuará na articulação de parcerias entre público e privado. Além disso, serão criados mais 5 polos de inovação nos institutos federais para disseminar a cultura do empreendedorismo e alavancar o desenvolvimento de pesquisas aplicadas que atendam as reais demandas do setor produtivo aproximando a educação do mercado de trabalho.

    Para mais informações acesse a página do Novos Caminhos no Portal MEC.


    08/10/2019 - Lançamento Programa Novos Caminhos

  • Novos Caminhos oferta mais 8.330 vagas em cursos de qualificação profissional a distância

    Cursos gratuitos serão organizados e ministrados pelo IFRN, pelo IF Sertão-PE e pela UFV

    O Ministério da Educação (MEC) vai ofertar, por meio do programa Novos Caminhos, mais 8.330 vagas de educação profissional a distância. Dessa vez, serão 66 cursos que podem ser realizados gratuitamente por interessados de qualquer estado brasileiro. Parceria do ministério com instituições de ensino, o projeto é uma alternativa de aprendizagem democrática para o isolamento social durante a pandemia de coronavírus. 

    O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) está com inscrições abertas para 4.200 vagas em 10 cursos até o dia 14 de maio. Os candidatos podem escolher entre cursos de agente de alimentação escolar; agente de inclusão digital em centros públicos de acesso à internet; assistente administrativo; assistente de secretaria escolar; instalador e reparador de redes de computadores; montador e reparador de computadores; operador de computador; programador de sistemas; programador de web; e vendedor. 

    A carga horária das oportunidades varia de 160 a 200 horas. Segundo o instituto, a classificação e o preenchimento das vagas será por ordem de inscrição. A lista dos aprovados será divulgada no dia 15 de maio. A previsão de início das aulas é dia 29 de maio. 

    Já o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) está oferecendo 2.040 vagas, distribuídas em 23 cursos. As inscrições podem ser realizadas até dia 13 de maio. A escolaridade mínima exigida depende do curso. Há oportunidades para ensino fundamental incompleto, ensino fundamental completo e ensino médio completo. A carga horária vai de 160 a 300 horas. 

    Eis as oportunidades oferecidas: 

    Campus Petrolina Zona Rural

    • agente de desenvolvimento cooperativista;
    • agricultor orgânico; 
    • assistente administrativo; 
    • assistente de logística; 
    • assistente de planejamento, programação e controle de produção; 
    • assistente financeiro; 
    • sommelier;
    • vendedor.  

    Campus Petrolina

    • assistente administrativo; 
    • recepcionista; 
    • organizador de eventos; 
    • agente de desenvolvimento socioambiental;
    • agente de gestão de resíduos sólidos; 
    • auxiliar pedagógico; 
    • contador de histórias; 
    • agente de projetos sociais; 
    • operador de computador; 
    • programador web.  

    Campus Santa Maria da Boa Vista

    • mestre de obras;
    • assistente administrativo; 
    • auxiliar de agropecuária.   

    Campus Floresta

    • agricultor orgânico; 
    • programador de sistemas. 

    De 11 a 15 de maio, a Universidade Federal de Viçosa (UFV), por meio do Centro de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal (Cedaf), vai abrir inscrições para 2.090 vagas em 33 cursos. Os interessados podem se candidatar no site da instituição. A carga horária varia de acordo com a opção escolhida e pode ser de até 400 horas. A escolaridade mínima pode ser ensino fundamental incompleto, ensino fundamental completo ou ensino médio completo, a depender do curso.

    Confira a seguir as oportunidades oferecidas:

    • administrador de banco de dados;
    • agente comunitário de saúde; 
    • agricultor familiar;
    • agricultor orgânico; 
    • almoxarife;
    • assistente administrativo; 
    • assistente de controle de qualidade; 
    • assistente de produção cultural; 
    • assistente de recursos humanos; 
    • assistente de secretaria escolar; 
    • auxiliar pedagógico; 
    • confeiteiro; 
    • cuidador de idoso; 
    • cuidador infantil;
    • desenhista de topografia; 
    • desenhista mecânico; 
    • eletricista industrial; 
    • eletricista instalador predial de baixa tensão; 
    • fotógrafo; 
    • garçom; 
    • instalador e reparador de redes de computadores; 
    • Língua Brasileira de Sinais (Libras); 
    • microempreendedor individual (MEI); 
    • monitor de transporte escolar; 
    • montador e reparador de computadores;
    • operador de caixa; 
    • operador de computador; 
    • organizador de eventos; 
    • padeiro; 
    • programador de sistemas; 
    • programador web; 
    • recepcionista; 
    • vendedor. 

    Novos Caminhos – O programa Novos Caminhos abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro de 2019, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023. Essas novas vagas oferecidas somam-se às mais de 31 mil pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD. 

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do IFRN, do IF SERTÃO-PE e da UFV

  • Processo para instituir cinco novos polos de inovação é adiado

    Medida da Embrapii tem o objetivo de diminuir a transmissão do coronavírus

    O processo de seleção para o credenciamento de cinco novos polos de inovação na educação profissional e tecnologia foi adiado por tempo indeterminado. A medida foi tomada pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) para mitigar os riscos do coronavírus. A empresa vai monitorar a situação e novas datas serão definidas tão logo tenhamos condições de dar prosseguimento ao processo.

    Com a ação, o credenciamento de instituições da Rede Federal fica suspenso. A criação dos novos polos de inovação é realizada em parceria com o Ministério da Educação (MEC), dentro do programa Novos Caminhos.

    De acordo com a Embrapii, na definição de novo calendário, estará garantido o tempo hábil para as instituições interessadas se preparem para participação das fases remanescentes do processo, conforme regras já estabelecidas.

    As entidades selecionadas serão credenciadas para se tornar polos de inovação e poderão solicitar até R$ 3 milhões cada, ao longo de três anos, para prospectar e executar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em parceria com empresas industriais.

    Polos de inovação – Os polos de inovação têm o objetivo de promover o aumento da competitividade e da produtividade da economia nacional, por meio do desenvolvimento da pesquisa aplicada e da qualificação de recursos humanos para ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

    Esses polos são voltados ao desenvolvimento de pesquisas avançadas que atendem demandas reais do setor produtivo, construindo uma ponte entre a academia e o mercado. São constituídos a partir de competências tecnológicas específicas dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) do MEC.

    O desenvolvimento de produtos e serviços para a indústria já é uma realidade para cerca de 500 estudantes da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica que participam de 131 projetos em parceria com 114 empresas em nove polos de inovação.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Embrapii

  • UFRN oferece 4,9 mil vagas de formação profissional a distância

    A iniciativa é parte do Programa Novos Caminhos e recebeu R$ 2,3 milhões em investimentos do Ministério da Educação

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu inscrições para nove cursos de formação profissional a distância. A oferta, que faz parte do Programa Novos Caminhos, oferece 4,9 mil vagas gratuitas nas áreas ciências agrárias e de informática. As inscrições podem ser realizadas por pessoas de todo o Brasil até o dia 27 de abril. Para se inscrever, acesse o site do programa.

    A iniciativa é ofertada com recursos repassados pelo Ministério da Educação (MEC), por meio da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). Ao todo, a pasta investiu R$ 2,3 milhões para viabilizar a oferta dos cursos. Soma-se a esse valor, o montante aplicado pela instituição de ensino como contrapartida.

    Confira a seguir os cursos disponíveis:

    • Instalador e reparador de redes de computador;
    • Programador Web;
    • Programador de dispositivos móveis;
    • Desenvolvedor de jogos eletrônicos;
    • Operador de processamento de frutas e hortaliças;
    • Produção comercial de peixes ornamentais;
    • Produção comercial de organismos aquáticos;
    • Produtor agropecuário; e
    • Produtor de derivados do leite.

    A formação mínima exigida para alguns cursos é ensino fundamental anos iniciais completo (do 1º ano ao 5º ano) e para outros é ensino fundamental anos finais (do 6º ano ao 9º ano) completo. A carga horária varia de 160 horas a 240 horas, dependendo do curso. A idade mínima para participação é de 16 anos. Os cursos são realizados por duas escolas técnicas vinculadas à UFRN: Escola Agrícola de Jundiaí e Instituto Metrópole Digital.

    Novos Caminhos – O Programa Novos Caminhos do MEC abre novas oportunidades e novos cursos com foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro. O objetivo da iniciativa, lançada em outubro do ano passado, é potencializar a educação profissional e tecnológica com incremento de 80% nas matrículas — subindo de 1,9 milhão para 3,4 milhões — até 2023.

    Neste semestre, o programa está focado na expansão de vagas na modalidade a distância para proporcionar capacitação durante o período de restrição de mobilidade, por conta da pandemia do novo coronavírus. Essas novas vagas oferecidas pelo IF Sul de Minas somam-se às mais de 31 mil vagas que foram pactuadas com diversas instituições de ensino para oferta EaD.

Fim do conteúdo da página