Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ações

  • Do acesso às vagas

Os alunos do ensino médio regular das redes públicas poderão acessar as vagas do MedioTec por meio dos processos seletivos realizados pelas Secretarias de Estado e Distrital de Educação, a serem realizados nas unidades estaduais de ensino médio. Uma vez selecionado, o aluno será pré-matriculado diretamente pela referida secretaria no Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec), que emitirá a Carta de Encaminhamento, direcionando o aluno para a unidade de ensino ofertante do curso técnico, que deverá comparecer no prazo determinado no documento para confirmar sua matrícula.

  • Seminários de profissões

Considerando-se a idade escolar do público prioritário do MedioTec, as instituições ofertantes, em parceria com as Secretarias Estaduais e Distrital de Educação, poderão promover seminários de profissões para apresentar as perspectivas do mundo do trabalho e renda. Os seminários devem abordar o perfil das mais diversas profissões, suas contribuições à sociedade, favorecendo a construção da identidade pessoal e profissional do educando.

Os seminários têm por objetivo facilitar o processo de escolha e definição do curso pelos alunos, na premissa de evitar a evasão devido a uma escolha pouco embasada, uma vez que possibilitam ao beneficiário o conhecimento prévio das profissões, uma análise sobre suas aptidões, transformando-se num instrumento indutor da escolha mais adequada do curso.

  • Acompanhamento Psicossocial e Pedagógico

É imprescindível oferecer ao educando um acompanhamento psicossocial, com vistas a estimular sua permanência e êxito na formação técnica. Por se tratar de um público jovem (de 15 a 19 anos), é nesta fase que o indivíduo mais necessita de apoio para tomar importantes decisões sobre seu futuro.

Ainda, há que se levar em conta que o público beneficiado desempenhando atividades acadêmicas em mais de um turno para a sua formação escolar. O acréscimo de carga de estudo e de atividades acadêmicas, os conflitos da idade e as condições econômicas e sociais podem ser fatores contribuintes para a evasão desse aluno. Desse modo, as instituições ofertantes dos cursos técnicos devem oferecer um acompanhamento e um suporte pedagógico diferenciado, como, por exemplo, apoio aos estudos individuais e coletivos. Os apoios psicossocial e pedagógico têm como objetivo o acompanhamento das dificuldades apresentadas pelos alunos, identificando suas necessidades individuais, como reforço escolar presencial, entre outros.

Outra maneira de se prevenir a evasão é viabilizar o alinhamento entre os conteúdos ministrados no ensino médio regular com os da educação profissional. Essa ação pode ser fomentada por meio do apoio pedagógico aos docentes quando da elaboração do Projeto Pedagógico de Curso Unificado e dos planos de aula.

Diante disso, recomenda-se à instituição ofertante o acompanhamento psicossocial e pedagógico do educando em toda a execução da oferta, oferecendo-lhe o apoio necessário ao seu desenvolvimento durante o curso. Para tanto, poderá inserir em seu quadro técnico um psicólogo e um pedagogo, neuropsicopedagogo ou um psicopedagogo, para atendimento desse público específico, por meio de concurso público ou pagamento de bolsas, conforme legislação do bolsa-formação.

  • Acompanhamento dos Egressos

Concluído o curso técnico, o estudante passa a ser egresso do curso. O acompanhamento do egresso será de responsabilidade da instituição ofertante, em parceria entre as Secretarias Estaduais e Distrital de Educação e o parceiro demandante, e deverá ser realizado pelo prazo de 12 meses.

O acompanhamento observará fatores como: o tempo que o egresso levou para ser inserido no mundo do trabalho e renda, a relação direta de sua formação técnica com sua inserção profissional e as dificuldades dessa inserção, a permanência no mundo do trabalho e renda, o tempo para reinserção, em caso de desemprego, se a formação técnica contribuiu para sua formação cidadã e pessoal, se a formação técnica incentivou a continuidade dos estudos ou de especializações em sua área de atuação, entre outros.

  • Assistência Estudantil

A assistência estudantil deverá ser prestada pela instituição de ensino ofertante do curso técnico concomitante, como mecanismo de prevenir a evasão, auxiliando o estudante a permanecer na escola para o estudo e desenvolvimento das atividades presenciais e acadêmicas no contraturno do ensino regular.

Para tanto, a assistência estudantil poderá fornecer alimentação e, se necessário, transporte diretamente ao estudante, ou em pecúnia, desde que se adotem mecanismos que permitam a precisa identificação do beneficiário final, nos termos do Decreto Federal nº 7.507/2011.

A assistência estudantil deverá ser fornecida observando também a necessidade do público, do curso, das especificidades de transporte ou da região. Sendo a alimentação e o transporte elementos primordiais para garantir a permanência do aluno no curso, recomenda-se que a instituição destine especial atenção ao planejamento destes benefícios, contribuindo de maneira eficaz, eficiente e efetiva para a permanência e êxito de seus estudantes.

X
Fim do conteúdo da página