Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • A dois meses do início, Fórum já tem mais de 9 mil inscritos

    Florianópolis– A pouco mais de dois meses do início do II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será realizado de 28 de maio a 1º de junho em Florianópolis, mais de 9 mil pessoas se inscreveram no evento. A meta é chegar a 10 mil inscrições.

    Nesta semana, o Comitê Organizador do Fórum Mundial, composto por 162 entidades de todo o país, esteve reunido na sede do Ministério da Educação, em Brasília, para sua sétima reunião.

    “Espero que o Fórum seja um espaço privilegiado de debate para discutir a educação profissional na ótica do desenvolvimento, da sustentabilidade e emancipação”, afirmou o secretário de educação profissional e tecnológica do MEC, Marco Antonio de Oliveira. Ele destacou ainda que o evento será uma boa oportunidade para discutir o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

    Para a coordenadora-geral do II Fórum Mundial de Educação Profissional, Maria Clara Kaschny Schneider, que também é reitora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, o fato do número de inscritos já estar próximo à meta inicial demonstra a importância do evento. “Nos últimos anos, a educação profissional e tecnológica cresceu muito no Brasil, como também em outros países”, observou.

    Com o tema Democratização, Emancipação e Sustentabilidade, o fórum mundial também conta com importantes nomes internacionais em sua programação, como o mexicano Enrique Leff, coordenador da Rede de Formação Ambiental para a América Latina e Caribe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), e os americanos John “Maddog” Hall, diretor-executivo da organização Linux Internacional, e Richard Matthew Stallmann, considerado o idealizador do “movimento software livre”.

    Mobilização- No próximo dia 28 de março acontecerá o dia nacional de mobilização pelo II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. Na ocasião, todas as instituições integrantes do comitê organizador do evento promoverão ações em suas comunidades para destacar a importância do debate sobre o assunto. Também serão realizadas ações nas redes sociais, como Twitter e Facebook.

    As inscrições para participantes, Mostra de Pôsteres, Feira de Economia Solidária e Feira Gastronômica estão abertas e podem ser feitas no portal do evento.

    Assessoria de imprensa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina



  • Alunas do Mulheres Mil expõem seus trabalhos no Fórum Mundial

    Florianópolis — O programa Mulheres Mil do Ministério da Educação esteve representado no 2° Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que termina nesta sexta-feira, 1º de junho, na capital catarinense. Aluna do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Maria Teresinha Dutra Neres, 50 anos, e outras seis beneficiárias do programa em Minas expuseram trabalhos de pintura em tecidos, cerâmica e vidro.

    Aos 71 anos de idade, a catadora Maria Alves Miranda, de Rio Branco, Acre, faz parte de um grupo de beneficiárias do programa que expôs e vendeu produtos como bombons feitos a partir de frutas da região amazônica e peças artesanais.

    Maria Teresinha, que nunca saíra de Minas — e poucas vezes de sua cidade, Araçuaí —, relata que a experiência no Mulheres Mil foi gratificante. “Com o programa, melhorei profissionalmente, emocionalmente e socialmente”, disse. “Encontrei calor humano.”

    A acriana Maria Miranda também destaca a importância do programa em sua vida. No Instituto Federal do Acre ela frequenta o curso de promotor de vendas. “Estou muito feliz, aprendendo muita coisa”, afirmou.

    O programa Mulheres Mil foi criado para permitir o acesso de mulheres em situação de vulnerabilidade social à educação profissional, ao emprego e à renda.

    Automação — Estudantes de engenharia da Universidade Federal de Santa Catarina apresentaram um robô, um quadricóptero controlado com o movimento dos braços a partir de uma câmera, e projetos de aerodesign que chamaram a atenção do público durante o fórum.  O quadricóptero é uma espécie de aeronave, com quatro hélices. Um dos estudantes integrou o comando da aeronave a uma câmera com sensor usada em videogames. “Ela captura o movimento dos braços e o traduz para o robô”, explica Ebraim Samer, doutorando na área de controle e automação de sistemas mecânicos.

    Os estudantes também exibiram um aeromodelo desenvolvido para uso pela polícia. Com uma câmera acoplada, a aeronave pode sobrevoar ambientes de risco e enviar imagens. O percurso pode ser programado, o que dispensa instrumento para controle a distância. Dessa forma, o equipamento pode ser usado em zonas de fronteira, por exemplo.

    Até quinta-feira, 31 de maio, 15.713 pessoas tinham visitado o fórum.

    Danilo Almeida
  • Aprovados os temas a serem debatidos no fórum mundial

    O comitê organizador do 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que se realizará em Santa Catarina, de maio a junho de 2012, definiu os tema a serem debatidos. Os participantes do encontro falarão sobre universalização, democratização, emancipação, sustentabilidade, tecnologia e inovação e desenvolvimento sustentável, entre outros assuntos.

    No primeiro tema — Educação, Universalização e Democratização —, os debates abordarão o contexto mundial em políticas públicas para a educação profissional e tecnológica, educação integral e ações afirmativas. O segundo — Educação, Trabalho e Emancipação — abrangerá trabalho e educação emancipatórios, formação de trabalhadores da educação profissional e perspectivas curriculares. O último — Educação, Tecnologia e Sustentabilidade — tratará de juventude, tecnologia e inovação e  desenvolvimento sustentável, além de inovações no mundo do trabalho e da mobilidade estudantil e docente.

    “Tivemos um grande cuidado para não perder o vínculo com o Fórum Social Mundial e com o Fórum Mundial de Educação, além de outros debates mundiais sobre educação e, especificamente, educação profissional e tecnológica”, explica a coordenadora-geral da comissão temática, Edna Corrêa Batistotti. Ela ressalta que outro cuidado tomado durante a elaboração do documento foi discutir o contexto da educação profissional em diversos países.

    O comitê organizador reúne cerca de 100 participantes de diversas entidades públicas e particulares. A divulgação dos eixos temáticos dos debates estará disponível na página eletrônica do fórum no início de outubro, e servirá de orientação para os expositores e especialistas que participarão do evento. Os interessados podem acompanhar informações sobre o fórum pelo twitter e pelo facebook.

    Assessoria de Imprensa da Setec


  • Brasil Profissionalizado terá recursos de R$ 790 milhões

    Foram anunciados nesta quarta-feira, 25, investimentos de R$ 790 milhões do programa Brasil Profissionalizado para 23 estados e para o Distrito Federal. Os recursos são para construção ou reforma de escolas estaduais, compra de mobiliário e equipamentos e formação de professores. “A Rede Federal está em plena expansão, mas só com as escolas estaduais daremos conta de atender a toda demanda que o Brasil apresenta”, explicou Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação.

    O MEC está finalizando os projetos dos estados para firmar os convênios e repassar os recursos relativos a 2009. “Os estados traçam suas metas e principais necessidades e, com esse material cuidadosamente analisado, fazemos o repasse”, detalhou o diretor de articulação institucional da educação profissional, Gleisson Rubin, durante o anúncio, feito em entrevista coletiva no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, em Brasília.

    O projeto arquitetônico das escolas é padrão, fornecido pelo MEC. Custa R$ 6 milhões e prevê a construção de uma biblioteca, 6 laboratórios, 12 salas de aula e capacidade para atender a 1,2 mil estudantes. Cada estado solicitou ao MEC suas principais demandas; portanto, o valor dos recursos varia bastante de estado para estado. “Não temos cota máxima nem mínima. O valor depende da iniciativa do estado”, destacou Rubin.

    Ampliação– Em 2008, o programa repassou R$ 524 milhões a 18 estados. Este ano, os recursos serão de R$ 790 milhões, para 24 entidades federadas. “Estamos unindo esforços com estados e municípios para garantir educação profissional ao maior número possível de jovens”, disse Eliezer Pacheco.

    Assessoria de Comunicação Social do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
  • Carta de encerramento defende cooperação entre trabalhadores

    “Outro mundo não é possível, é necessário”. A frase dita pelo filósofo Leonardo Boff é o prólogo da Carta do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica encerrado nesta sexta-feira, 27, em Brasília. O documento é um resumo do que o evento, com público de 15 mil pessoas, trouxe para as discussões de educação e de formação profissional nas mais diversas áreas. Em suma, o texto defende a união em detrimento da concorrência entre os trabalhadores.

    A carta defende a criação de um novo paradigma mundial, fundamentado não no mercado de trabalho, mas em “laços de cooperação, de interação e de partilha”. Nos cinco dias em que Brasil recebeu o fórum mundial, pessoas de mais de 16 países trocaram experiências e levantaram propostas para construir uma formação profissional capaz de “trazer o resgate e a superação de direitos negados”.

    Marco do Fórum Mundial, o julgamento da anistia política de Paulo Freire é também citado no documento. No último dia 26, o Estado brasileiro pediu desculpas oficiais pela perseguição política que fez ao educador. À viúva de Freire, foi dada a maior indenização que a lei permite, de 450 salários mínimos. A anistia do educador foi recebida com lágrimas por sua viúva e pelo público de três mil pessoas que lotaram o auditório principal do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.  

    A agenda estabelecida pela carta prevê compromissos públicos, como aumentar o alcance da educação profissional e promover ações que reconheçam na ciência e na tecnologia instrumentos fundamentais para uma melhor educação. O Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica foi realizado, pela primeira vez, em Brasília, de 23 a 27 de novembro. O evento é um desdobramento dos fóruns Social Mundial e Mundial de Educação. 

    Assessoria de Comunicação Social do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Leia a íntegra da Carta do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica.
  • Com mais de 15 mil inscritos, fórum tem programação fechada

    Com início previsto para 28 de maio, o 2° Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica já está com a programação oficial fechada. Com o tema Democratização, emancipação e sustentabilidade, o evento acontecerá em Florianópolis, e já tem mais de 15 mil inscritos. Nesta edição, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina é a secretaria-executiva do fórum.

    O evento prosseguirá até 1° de junho. Durante cinco dias, haverá quatro conferências, nove debates, quatro observatórios, além de cerca de 180 atividades autogestionadas propostas pelo comitê organizador e 150 atrações culturais. Além disso, o fórum mundial contará com feira de economia solidária, mostra de inovação tecnológica, feira gastronômica, feira do livro e mostra de pôsteres.

    Entre conferencistas, debatedores e mediadores, serão 29 convidados internacionais e 39 nacionais. Os estrangeiros virão de países como Portugal, Inglaterra, Uruguai, México, Colômbia, Argentina, Estados Unidos, Ruanda, Espanha, Chile e Canadá.

    Gastronomia– Também já estão definidos os 13 expositores da feira gastronômica. Além disso, haverá 37 oficinas. O objetivo da feira é valorizar e promover a cultura gastronômica e proporcionar aos participantes a oportunidade de conhecer e degustar os sabores da gastronomia nacional e internacional.

    Também foram inscritos 2825 pôsteres e 2664 selecionados. A avaliação dos trabalhos levou em consideração a pertinência, relevância, abordagem conceitual e linguagem em relação ao tema do evento. Em função da grande quantidade de pôsteres inscritos, a mostra será realizada de 29a 31 de maio, das 9h às 18h, sendo que em cada dia um grupo de expositores diferentes apresentará seu trabalho.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Instituto Federal de Santa Catarina


    Confira a programação oficial do evento
  • Declarada a anistia ao educador Paulo Freire, com pedido de perdão

    Ana Maria, viúva de Paulo Freire, sobre a anistia: 'Resolvi fazer o requerimento para resgatar a cidadania de meu marido e atestar que ele é um verdadeiro brasileiro'. (Foto: Wanderley Pessoa)Em julgamento nesta quinta-feira, 26, durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, foi declarada a anistia do educador Paulo Freire. A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, que analisou o requerimento feito pela viúva Ana Maria Freire, em 2007, sob a ótica da perseguição política sofrida pelo educador à época da ditadura, também pediu desculpas pelos atos criminosos cometidos pelo Estado.

    “Esse pedido de perdão se estende a cada brasileiro que, ainda hoje, não sabe ler sua própria língua”, disse o relator do processo, Edson Pistori. Para ele, a perseguição a Paulo Freire pela ditadura se traduz no impedimento à alfabetização de milhares de cidadãos e, principalmente, à conscientização de cada um deles sobre a própria condição social.

    Paulo Reglus Neves Freire nasceu em Recife, em 1921, e morreu em São Paulo, em 1997. Ficou conhecido pelo empenho em ensinar os mais pobres e se tornou uma inspiração para gerações de professores. Freire desenvolveu um método inovador de alfabetização, a partir de suas primeiras experiências, em 1963, quando ensinou 300 cortadores de cana a ler e a escrever em 45 dias. O educador sofreu perseguição do regime militar (1964-1985), ficou preso por 70 dias e foi exilado por 16 anos, considerado traidor.

    Em 1967, durante o exílio, no Chile, escreveu o primeiro livro, Educação como Prática da Liberdade. Em 1968, publicou uma de suas obras mais conhecidas, Pedagogia do Oprimido. Freire retornou ao Brasil em 1980, com a anistia que permitiu o retorno dos exilados, e foi nomeado secretário de educação da cidade de São Paulo, cargo que exerceu até 1991.

    “Resolvi fazer o requerimento para resgatar a cidadania de meu marido e atestar que ele é um verdadeiro brasileiro. Assim como muitos, ele lutou por um Brasil mais bonito e mais justo”, disse Ana Maria Freire. A reparação econômica concedida pela comissão de anistia à viúva de Paulo Freire será de 480 salários mínimos, não excedendo o teto estipulado de R$ 100 mil, pagos em parcela única.

    Comissão
    — A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça existe desde 2002. Até agora, 64 mil requerimentos com pedido de anistia foram protocolados. Destes, 47 mil foram julgados — 30 mil deferidos, 12 mil dos quais com reparação econômica, além do pedido oficial de desculpas do Estado.

    Para revelar à população de todo o país os fatos arbitrários praticados durante o regime militar e pedir desculpas, publicamente, às pessoas que resistiram à ditadura e sofreram os atos de violação dos direitos humanos feitos pelo Estado, a comissão criou a Caravana da Anistia. Desde 2008, o projeto visitou 16 estados e está na 31ª edição. Mais de 500 processos já foram julgados.

    O projeto é realizado por meio de parceria entre a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, o Instituto Paulo Freire, o Ministério da Educação, as comissões de educação da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), a Associação dos Juízes para a Democracia, o Instituto Catarinense de Aprendizagem e Educação Infantil (Icae), o Movimento dos Sem-Terra (MST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e a Associação Brasileira de Ensino do Direito (Abedi).

    No Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será encerrado nesta sexta-feira, 27, há também uma exposição fotográfica sobre Paulo Freire.

    Letícia Tancredi

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
  • Educadores de nove países vão debater tecnologia em Recife

    Pesquisadores e professores de nove países foram confirmados na programação do 3º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, entre os dias 26 e 29 próximos, em Recife. Com o tema Diversidade, Cidadania e Inovação, o evento terá a participação do ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, na abertura.

    Os participantes terão 384 atividades autogestionadas, ministradas pelas 150 instituições integrantes do comitê organizador do evento em diversas áreas. São 102 oficinas, 24 lançamentos de livros, 25 palestras, 52 mesas redondas, além de 100 atividades culturais, entre apresentações musicais, encenações teatrais, exibição de filmes e exposições. Durante o evento também acontecerão feiras do livro, de gastronomia e de economia solidária.

    Haverá também uma mostra de inovação tecnológica, com a exposição de 52 projetos desenvolvidos por pesquisadores de todo o país. Ela contará com a participação de representantes dos ministérios da Educação e Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, entre outros órgãos e entidades.

    O evento, promovido pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) e pelo Ministério da Educação, já conta com aproximadamente 15 mil inscritos e ainda é possível fazer parte, gratuitamente, até o dia 26. As inscrições podem ser feitas pela página do fórum na internet.

    Além do ministro, o evento conta com conferencistas de referência nas áreas de educação, inovação tecnológica, empreendedorismo, políticas públicas e movimentos sociais. Nomes como o de Mariela Castro, filha do presidente de Cuba Raul Castro, militante do movimento LGBT e diretora do Centro Nacional Cubano de Educação Sexual, além de Frei Betto, conhecido por sua atuação na área social e na defesa dos Direitos Humanos, e Sílvio Meira, professor titular aposentado do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

    Especialistas como Marti Ford (Canadá), Elísio Estanque (Portugal), Albert Sansano (Espanha), Beatriz Soto (Colômbia), Oscar Valiente (Inglaterra), Wilson Netto (Uruguai), também participarão dos debates.

    O Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica nasceu do Fórum Social Mundial e do Fórum Mundial de Educação. Entre os seus objetivos está a construção de propostas para integrar a Plataforma Mundial de Educação. Sua primeira edição foi realizada em 2009, em Brasília, e a segunda aconteceu no ano de 2012, em Florianópolis. Cerca de 150 instituições, entidades, associações e representações do poder público de todo o Brasil compõem o Comitê Organizador do evento, que se reuniu bimestralmente ao longo de um ano para estrutura a edição.

    Assessoria de Comunicação Social

    Visite a página do Fórum

    Confira a programação do Fórum

  • Evento põe em debate modelos futuros de educação e trabalho

    Integrar educação, trabalho e desenvolvimento sustentável é um desafio que se coloca para todos os países. O tema foi debatido durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, na conferência desta terça-feira, 24. Participaram da mesa o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, e o português Joaquim Azevedo, representante da Organização dos Estados Ibero-Americanos.

    O cenário social brasileiro projetado nos próximos 30 anos foi apresentado por Pochmann. Segundo ele, haverá aumento significativo da expectativa de vida, queda na taxa de fecundidade, competição acirrada no mundo do trabalho devido à maior inserção da mulher, além do envelhecimento da população e crescente dificuldade de diálogo entre as famílias.

    “O setor terciário, de serviços e atendimento pessoal passam a ser o foco e não mais os produtos concretos. Por isso, a educação deve ser contínua e as pessoas precisam saber como vão se educar por mais tempo”, pontuou Pochmann.

    Joaquim Azevedo falou sobre a importância de implementar uma educação sociocomunitária, baseada em projetos pessoais, institucionais e sociais e construída em diálogos abertos entre sociedade e Estado. “É preciso abrir os horizontes por meio dos debates nos espaços públicos, renovar as práticas pedagógicas de forma livre e democrática.”

    Também participaram do debate o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, e Marise Ramos, do Instituto Federal do Rio de Janeiro. As conferências acontecem até quinta-feira, 26, às 9h, no auditório Máster do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, e são desdobradas em debates temáticos no período da tarde.

    Assessoria de Comunicação Social do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
  • Evento recebeu 15 mil pessoas e representantes de 16 países

    Para o secretário Eliezer Pacheco, evento foi dos mais relevantes na área da educação.  (Foto: Dephot)Representantes de 16 países e caravanas com estudantes vindos de diferentes estados do Brasil participaram do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, encerrado nesta sexta-feira, 27, em Brasília. O público presente foi de 15 mil pessoas.

    Foram apresentadas 195 atividades culturais, 755 pôsteres com projetos de todo o país e realizadas 19 oficinas gastronômicas gratuitas e abertas ao público. Já a mostra estudantil de inovação tecnológica acumulou 34 trabalhos. Foram 164 atividades autogestionadas (propostas pelas entidades participantes), entre painéis, mesas, oficinas e palestras.

    Também foi significativo o número de voluntários. Dos 700 inscritos, 300 selecionados ajudaram o comitê organizador. Para alimentar esse exército de colaboradores, foram servidas 800 refeições diárias. Na praça de alimentação destinada ao público, 10 mil refeições foram consumidas em cinco dias de encontro.

    “Fora isso, contabilizamos 300 títulos e 520 volumes doados para a Biblioteca Nacional de Brasília, com nota especial na catalogação”, informou Patrícia Barcelos, secretária executiva do Fórum Mundial.

    Para o secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco, o evento pode entrar para o rol dos mais relevantes do mundo na área da educação. “Além da organização impecável, o fórum mundial apresentou debates e palestras de alto nível e reuniu os mais renomados especialistas para discutir temas de interesse da educação profissional e tecnológica”, comemorou o secretário, que elegeu a participação maciça de estudantes como o grande diferencial do encontro.

    Eliezer Pacheco também se surpreendeu com o empenho dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia na organização do fórum. Para ele, a rede federal, mais uma vez, deu mostras de seu potencial. “A rede colaborou decisivamente para o sucesso da iniciativa. A diversidade e a qualidade dos trabalhos apresentados são uma prova disso”, destacou.

    Assessoria de Comunicação Social do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
  • Feira comercializa produtos e serviços a preços acessíveis

    Artesanato indígena, roupas e acessórios personalizados, bijuterias, crochê, bordados, tapetes, biscuit, um instituto de beleza e muitos outros produtos e serviços estão reunidos em um único espaço: a feira da economia solidária do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. O encontro ocorre no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, até a próxima sexta-feira, 27.


    Ao todo, 20 instituições que trabalham com geração de renda coletiva, baseadas no tripé econômico, social e ambiental, comercializam os seus produtos a preços mais baixos que os de mercado.


    O estande da etnia indígena etinioca, por exemplo, oferece produtos feitos a partir de matérias-primas extraídas da natureza há 50 anos por mulheres, homens e crianças de várias etnias do Brasil. Eles trabalham para divulgar a cultura indígena, principalmente por meio do artesanato. Madeiras, penas, sementes e capim dourado são alguns dos materiais usados para compor porta-moedas, cachimbos, lanças, bolsas, pulseiras e colares. Tudo com a originalidade indígena e a preços acessíveis, a partir de R$ 2,00. “Com muito respeito ao meio ambiente, utilizamos da melhor forma possível tudo o que a mãe natureza tem para nos oferecer”, resumiu a índia paraense Airy, do povo gavião.


    Instituto de beleza – Para cuidar da imagem dos participantes do fórum, 15 alunos do curso profissionalizante de administração, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, unem o útil ao necessário. O grupo aproveita o evento para colocar em prática o plano de negócios do instituto de beleza Feliccitá. Com preços fixos, limitados a R$ 10, os estudantes oferecem serviços como manicure, pedicure e escovação de cabelo. Com um público de 15 mil pessoas, cliente não falta.   


    A feira da economia solidária faz parte da programação permanente do fórum e está situada na ala oeste do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

    Assessoria de Comunicação Social do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

  • Florianópolis sedia lançamento da 2ª edição do fórum mundial

    O 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica será lançado oficialmente na tarde desta terça-feira, 29, em Florianópolis. Sob o tema Democratização, Emancipação e Sustentabilidade, o fórum será realizado na capital catarinense de 28 de maio a 1º de junho do próximo ano, com a expectativa de reunir 10 mil pessoas.  

    A cerimônia de lançamento, às 16 horas, marcará o início das inscrições dos participantes do fórum. Estarão presentes o secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco, autoridades e reitores de instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Apresentações culturais farão parte da programação.

    “Em sua segunda edição, o fórum é um momento privilegiado de reunião de especialistas, professores, técnicos e estudantes para a troca de experiências e o debate sobre os rumos e a importância da educação profissional e tecnológica”, diz o secretário.

    O evento do próximo ano em Florianópolis será um encontro temático, vinculado ao Fórum Mundial de Educação. Durante cinco dias, estudantes, professores, pesquisadores, trabalhadores, autoridades governamentais e representantes da sociedade civil de diversos países abordarão o tema da educação na construção de um outro mundo possível.

    A primeira edição do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica foi realizada em 2009, em Brasília. Com o tema Educação, Desenvolvimento e Inclusão, o evento reuniu 15 mil representantes de 20 países em debates sobre a formação do cidadão para o mundo do trabalho.

    As inscrições, gratuitas, devem ser feitas na página do fórum na internet. Mais informações no endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pelo telefone [48] 3877-9007

    Assessoria de Imprensa da Setec
  • Fórum mundial abre inscrições para apresentação de trabalhos

    O caráter democrático do fórum mundial de educação profissional e tecnológica chegou à programação do evento, que acontece em Brasília de 23a 27 de novembro deste ano. Duas novas modalidades de inscrição para o fórum foram abertas nesta terça-feira, 28. Os participantes poderão levar pôsteres ao evento, assim como propor a realização de palestras, seminários, mesas de discussão, apresentações de música, dança e até desfiles de moda.

    Agora são três as possibilidades de interação no fórum: como participante comum, na mostra de pôsteres e com atividades autogestionadas, que são as palestras, seminários, apresentações culturais e que incluem ainda uma mostra estudantil de inovação tecnológica. Todas as formas de inscrição são gratuitas e devem ser feitas na página eletrônica do fórum.

    Pôsteres- Para os que quiserem levar pôsteres ao evento, haverá uma mostra com os trabalhos desenvolvidos no Brasil e no mundo. Qualquer participante pode inscrever um trabalho. A intenção, além da apresentação de trabalhos científicos, é o relato de projetos ou estudos em andamento. O prazo para as inscrições de pôsteres está aberto até 15 de outubro.

    Atividades- Já no caso das atividades autogestionadas, as inscrições devem ser feitas pelas instituições participantes. As regras são detalhadas. Cada instituição pode propor até sete atividades, sendo duas do tipo 1: seminários, mesas de discussão, oficinas, painéis temáticos; quatro atividades do tipo 2: apresentações culturais, rodas de leitura, desfiles de moda; e uma atividade do tipo 3: mostra estudantil de inovação tecnológica. As inscrições para atividades autogestionadas de qualquer tipo vão até o dia 30 de setembro.

    Para as atividades do tipo 1 – seminários, relatos de pesquisa, etc. – a organização do evento entra com o espaço e a divulgação da atividade no caderno de programação do fórum. Já para as atividades do tipo 2 – apresentações de música, dança e demais iniciativas culturais – o fórum oferece o espaço e a infra-estrutura mínima para as apresentações.

    As instituições que quiserem inscrever alunos para a mostra estudantil de inovação tecnológica – atividade autogestionada do tipo 3 – também contarão com o espaço e infra-estrutura mínima. As instituições ficam responsáveis por trazer o material excedente, caso necessitem de mais do que a organização do fórum oferece.

    “Queremos projetos que demonstrem de fato inovações tecnológicas. Assim a mostra fica mais interativa”, explica Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional e tecnológica do MEC. 

    Assessoria de Imprensa da Setec
  • Fórum mundial abre inscrições para autores lançarem livros

    Autores interessados em lançar obras na terceira edição do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT) têm prazo até terça-feira, 31, para fazer a inscrição on-line. O cronograma com a programação dos lançamentos será divulgado em 16 de abril próximo.

    O fórum, que será realizado em Recife, de 26 a 29 de maio, promoverá feira do livro, com o lançamento de obras acadêmicas, mostra de inovação tecnológica, feira de economia solidária e concurso gastronômico. O tema do evento será Diversidade, Cidadania e Inovação. Na programação estão previstas conferências, debates, mostras, minicursos e atividades culturais.

    A feira do livro contará com 20 estandes. Professores, pesquisadores e estudantes vinculados às instituições que participam da organização do fórum podem encaminhar propostas para lançamento de livros. Um ambiente será reservado à sessão de autógrafos e outras ações promocionais.

    Para o concurso gastronômico, as inscrições estarão abertas até 5 de abril próximo. É necessário encaminhar a ficha disponível no regulamento para o endereço O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. Cada instituição pode inscrever uma dupla por categoria — cursos técnicos, cursos superiores e cursos de formação inicial e continuada. Os candidatos terão acesso a estruturas de cozinha e a todos os insumos necessários para a preparação dos pratos. Cada dupla terá até uma hora e meia para a preparação e submetê-los à avaliação do corpo de jurados. Os três primeiros colocados em cada categoria receberão certificação.

    Todos os regulamentos dos eventos do 3º FMEPT e mais informações estão disponíveis na página do fórum na internet. As inscrições para o lançamento de livros podem ser feitas diretamente pelo formulário on-line.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Fórum mundial chega à marca de 3 mil participantes inscritos

    Dois meses após a abertura oficial das inscrições, em novembro de 2011, o 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica já conta com mais de 3 mil participantes inscritos. O encontro será realizado de 28 de maio a 1° de junho, em Florianópolis.

    O número de inscritos será ainda maior, prevê a secretária-executiva do evento, Waléria Külkamp Haeming. “Com a proximidade do fórum, vamos intensificar o trabalho de mobilização para que tenhamos um público presente bem representativo e possamos tornar a discussão sobre educação profissional e tecnológica ainda mais valiosa e com muitas contribuições", destacou.

    Com o tema Democratização, Emancipação e Sustentabilidade, o fórum terá conferências, debates, oficinas e mostras de inovação tecnológica, artes visuais e pôsteres, além de feiras gastronômicas e de economia solidária.

    Para os debates, estão confirmados os brasileiros Ubiratan D’Ambrósio, professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), um dos pioneiros da etnomatemática, e Moacir Gadotti, professor da Universidade de São Paulo (USP) e diretor-geral do Instituto Paulo Freire.

    Também está confirmada a participação dos professores Maria Margarida Machado, da Universidade Federal de Goiás (UFG); Marcelo Henrique Romano Tragtenberg, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Renato Dagnino, da Unicamp; Carlos Henrique Medeiros de Souza, da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), e Nilva Schroeder, coordenadora-geral de desenvolvimento de programas de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação.

    Conferência— O 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica faz parte do calendário de eventos preparatórios da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que será realizada de 20a 22 de junho, no Rio de Janeiro. O objetivo da conferência é assegurar um novo comprometimento político para o desenvolvimento sustentável.

    Na página do fórum na internet os interessados podem fazer a inscrição e obter mais informações.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina
  • Fórum mundial recebe inscrição de voluntários até novembro

    Estão abertas desde terça-feira, 25, as inscrições de voluntários dispostos a trabalhar no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. O período se estenderá até 6 de novembro. O candidato deve ter idade superior a 18 anos.


    No momento da inscrição, o voluntário escolherá a área na qual prefere atuar. Todos receberão treinamento específico, alimentação e certificação pela participação no fórum. O treinamento terá uma fase de orientações gerais sobre o evento, em 12 e 13 de novembro, e outra de informações específicas sobre a área escolhida pelo voluntário, de 16 a 20 do mesmo mês.


    Pelas expectativas dos organizadores do fórum, devem se apresentar mais de cem voluntários. “Todos são bem-vindos. Estudantes, aposentados, professores, trabalhadores. Enfim, qualquer pessoa com idade superior a 18 anos pode participar do evento, que será um marco da educação profissional no país”, disse o secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco.


    O formulário de inscrição está disponível na página eletrônica do fórum


    Assessoria de Imprensa da Setec


     

  • Fórum Mundial terá recorde de inscritos na segunda edição

    Florianópolis— O 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será realizado de 28 de maio a 1º de junho próximos, em Florianópolis, já conta com mais de 15 mil inscritos. Esse número equivale ao de participantes da primeira edição, há dois anos, em Brasília. A marca, superior em 50% ao estabelecido inicialmente, foi alcançada esta semana.

    O encontro, organizado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, terá lugar no Centrosul, um dos maiores pavilhões de convenções de Santa Catarina, e ocupará ainda a estrutura da vizinha Passarela de Samba. Durante o fórum, linhas de ônibus gratuitas farão o transporte dos participantes. “Nossa preocupação, desde o começo, foi oferecer um local condizente ao evento e aspectos logísticos que atendam aos participantes durante os dias do evento”, afirma o coordenador da comissão de infraestrutura, Vinicius De Lucca Filho.

     

    Com o tema Democratização, Emancipação e Sustentabilidade, o fórum tem confirmada a presença de nomes internacionais, como o mexicano Enrique Leff, coordenador da Rede de Formação Ambiental para a América Latina e Caribe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), e os norte-americanos John “Maddog” Hall, diretor-executivo da organização Linux Internacional, e Richard Matthew Stallmann, considerado o idealizador do movimento Software Livre.

     

    A programação oficial será divulgada até terça-feira, 24. As inscrições, gratuitas, continuam abertas na página do fórum na internet.


    Assessoria de imprensa do Instituto Federal de Santa Catarina

     

  • Fórum mundial, em novembro, terá programação diversificada

    Estão abertas até quarta-feira, dia 30, as inscrições de apresentações no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será realizado de 23 a 27 de novembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Podem ser inscritas atividades como palestras, mostras de filmes e apresentações culturais, entre outras.


    “Adotamos temas transversais como forma de destacar a educação profissional, polivalente, que valorize a cultura geral, a postura profissional, a ética e a responsabilidade social”, afirma Norma Ferro Costa, do comitê organizador do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/ Senat). Ela ressaltou o caráter plural e democrático da programação. “O objetivo é fortalecer a formação do cidadão, da pessoa em seu sentido amplo, não somente a formação profissional.”


    Entre as apresentações já inscritas, Norma destaca os temas presentes na mostra de filmes de curta metragem. “Temos filmes que falam sobre os problemas da dependência de álcool e drogas e um sobre a doação de órgãos.”


    O filme Doação de Órgãos foi produzido pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/ Senat), a partir do relato de especialistas, pacientes e familiares de doadores. Para a produtora, Luciana Malamin, coordenadora de promoção social e desenvolvimento profissional do Sest/Senat, o mérito do filme está na harmonia entre as informações técnicas e científicas e o apelo emocional. O curta apresenta casos reais de pessoas que vivem a angústia de aguardar um órgão de um doador compatível e registra a felicidade de pacientes que conseguem a doação.

    Yusseff Abrahim

     

    Saiba mais sobre o Fórum.

  • Inscrições ainda estão abertas para Fórum Mundial em Recife

    Com apoio do Ministério da Educação, a terceira edição do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será realizada em maio de 2015, em Recife, tem inscrições prestes a se encerrar. Os trabalhos para participar do evento devem ser apresentados até 16 de março.

    A participação é aberta à sociedade para temas como diversidade, cidadania e inovação. O evento, ligado ao Fórum Social Mundial e ao Fórum Mundial de Educação, apresenta conferências, debates, palestras, observatórios internacionais, além da Feira de Economia Solidária e da Mostra de Inovação Tecnológica e Atividades Culturais. Para este ano, a expectativa dos organizadores é a participação de 20 mil pessoas.

    Os interessados em divulgar seus trabalhos podem encaminhá-los gratuitamente para a página do Fórum, com temas que versem sobre as áreas de ambiente e saúde; segurança; apoio escolar; controle e processos industriais; produção alimentícia; produção cultural e design; informação e comunicação; produção industrial; recursos naturais; educação profissional e tecnológica; sustentabilidade; projetos sociais e políticas públicas.

    Assessoria de Comunicação Social

    Acesse a página do Fórum na internet

  • Instituições trarão ao Fórum Mundial 170 eventos culturais

    Balé Bolshoi, de Joinville, estará na abertura do evento (Foto: Nilson Bastian/Divulgação)Dança, teatro, música, exposição de fotografias, desfiles de moda e lançamento de livros. Não faltarão atrações culturais no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. Logo no lançamento do evento, dia 23 de novembro, às 19h, o Ginásio Nilson Nelson será o palco da apresentação da Companhia Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e o Grupo Tholl.


    A lista completa de atividades culturais terá em torno de 170 eventos diferentes, promovidos por instituições dos mais diversos estados do país.


    O Instituto Federal do Piauí, por exemplo, realizará um desfile de moda com roupas e acessórios produzidos por alunas do instituto e do projeto Mulheres Mil do Piauí e Tocantins. São peças artesanais produzidas por mulheres em situação de risco social, das regiões Nordeste e Norte.


    A lista com a programação completa das atividades está disponível na página do Fórum Mundial. As inscrições para o evento, gratuitas, já superam as 10 mil.

    Assessoria de Imprensa da Setec

Fim do conteúdo da página